5 dicas para reaprender a relaxar e preservar a saúde

Share on facebook
Share on twitter

Fonte: mdemulher.abril.com.br

Quase 63% das mulheres têm uma agenda atribulada e raramente reservam tempo para relaxar, segundo pesquisa exclusiva feita pela WOMEN’S HEALTH americana em parceria com o programa de entrevistas The Doctors, vencedor do Emmy, e divulgada em outubro. O estudo também mostrou que as mulheres dedicam menos tempo ao descanso do que os homens e que 55% delas sentem-se culpadas quando tiram tempo para relaxar. Alegam que são mais felizes sentindo-se produtivas do que fazendo nada.

Essa insistência em se manter sempre ativa pode ter um custo alto: vira hábito e se desaprende a relaxar, o que tem impacto negativo na saúde. O principal efeito colateral da agitação é o acúmulo de cortisol, o hormônio do estresse. A superexposição a ele aumenta o risco de insônia, distúrbios cardíacos, ansiedade, depressão, gastrite e síndrome do intestino irritável, reduz a resistência a infecções, derruba o desejo sexual e facilita o acúmulo de gordura, em especial os odiosos pneuzinhos ao redor da cintura. É um estrago generalizado. Como se não bastasse, a mulher torna-se mais vulnerável a compulsões como abuso de álcool, drogas e comida, alerta a psicóloga Amanda Skowron, do Casey Health Institute, em Gaithersburg, nos Estados Unidos. E lá se vai a qualidade de vida.

Mas nem tudo está perdido: as pessoas podem reaprender a relaxar. As cinco dicas abaixo vão ajudar.

1. Admita

O primeiro passo é reconhecer que você anda tensa e isso pode detonar a sua saúde. Pior ainda se a inquietação se somar à agressividade. “O risco de ter uma doença do coração sobe às alturas”, adverte o psiquiatra Cyro Masci, de São Paulo. “É preciso pisar no freio.” Ao perceber que está inquieta, pare, espreguice e respire profundamente. Às vezes, o que a deixou nervosa foi uma discussão no trânsito há uma hora e você continua ansiosa por algo que já passou.

2. Conte as respirações

Quando estamos agitadas, nossa respiração é curta, acelerada e torácica. Coloque a mão sobre o umbigo e respire fundo, sentindo o ar preencher seu diafragma. “É um modo de oxigenar o cérebro e avisá-lo de que você não está correndo perigo”, esclarece o psiquiatra. “A respiração traz o senso de que você está no controle, o que reduz a ansiedade.” Para ser mais eficaz, a exalação deve durar o dobro de tempo da inalação. Repita dez vezes.

3. Quebre seus hábitos

Em vez de ficar checando e-mails, torpedos e posts toda hora, estabeleça horários. Após as 20 horas, deixe o celular em modo avião. “Isso evita que a luz e os alertas de mensagens perturbem seu sono – mas o despertador continua a funcionar”, explica o psiquiatra José Hamilton Vargas, que escreve sobre cérebro, saúde mental e comportamento. Reduza o consumo de café para duas xícaras no máximo, de manhã e após o almoço. A bebida é rica em cafeína, que tende a acelerar seu ritmo.

4. Prepare-se para dormir

Evite a síndrome do “só mais…” uma coisa que faltou, uma olhada nas redes sociais, um último zapping pelos canais de TV… Assim você vai comprimindo atividades nas 24 horas do dia e adiando o momento de deitar, alerta a oncologista Kathy Helzlsouer. Programe um tempo para relaxar: tome um banho morno, ouça música suave, leia um livro light ou uma revista sobre viagens, veja uma comédia na TV. Manter um ritual de sono ajuda a se desligar.

5. Faça pausas preventivas

Descubra seu tempo ótimo de concentração (em torno de 20 minutos, 30 minutos, uma hora?) e o intercale com períodos de recuperação em que você para, levanta, bebe água ou fecha os olhos, respira fundo e se imagina num lugar agradável, fazendo algo prazeroso. Segundo Masci, em vez de quebrar seu pique, essa breve parada permite que você volte ao trabalho mais energizada e tenha um desempenho melhor.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Aproveite os benefícios de ficar ao ar livre mesmo em dias frios

Você é daquelas pessoas que quanto mais o tempo esfria, mais quer ficar em casa? A maioria é assim: prefere ficar no aconchego do lar quentinho, tomando sopas, chocolate quente e vendo filme. Não tem nada de mal nisso, mas vamos te fazer uma proposta: mesmo em dias frios, que tal sair mais de casa?

Estresse: quem está no controle?

Como lidar com o estresse e falta de tempo? Como organizar o cérebro para libertar do estresse? O estresse acompanha o homem desde o seu aparecimento. Tanto o “homus sapiens” como o do século 21, vivencia o estresse em sua vida diária. O estresse é uma situação que ocorre a todo instante aos seres humanos.