A importância dos antioxidantes para a saúde infantil

Share on facebook
Share on twitter
antioxidantes

Quando falamos da saúde de crianças, estamos considerando um tipo de organismo que está em constante desenvolvimento. Existem diversos nutrientes essenciais para que esse desenvolvimento aconteça de maneira saudável nas crianças e os antioxidantes são um exemplo deles.

Nos primeiros seis meses de vida, a alimentação principal é o leite materno. Com o passar do tempo, os sistemas do corpo evoluem e requerem mais nutrientes para garantir o bom funcionamento. É aí que entra a introdução alimentar, para suprir todas as necessidades nutricionais dos pequenos, acompanhada dos desafios para garantir um cardápio balanceado e saudável. (1)

É nessa fase que o contato com nutrientes importantes para o organismo, como vitaminas e proteínas, se torna mais próximo. Felizmente, nos últimos 20 anos, observou-se um declínio nos índices de desnutrição infantil no Brasil. No entanto, continua sendo uma preocupação no país, já que um dos motivos para a existência dessa realidade é o consumo inadequado de alimentos em qualidade e quantidade. (2)

Sendo assim, cabe aos pais, pediatras e nutricionistas, a função de guiar os pequenos a praticarem uma dieta balanceada com hábitos saudáveis desde a infância, para que os níveis ideais de saúde sejam sempre satisfatórios e favoreçam o desenvolvimento físico e intelectual das crianças para que se tornem adultos sadios e com menos chance de desenvolver deficiências nutricionais que prejudiquem a qualidade de vida no presente e futuro. (3)

Neste texto, falaremos sobre a importância dos antioxidantes para a saúde infantil, por serem aliados do bom funcionamento do organismo em qualquer idade, constituindo nutrientes vitamínicos, como a Vitamina A, C, D e E.

antioxidantes

O que são antioxidantes?

Antioxidantes são substâncias que evitam a ação de radicais livres responsáveis por enfraquecer as células e tornar o organismo mais suscetível a contrair infecções ou patologias por conta da atuação de agentes invasores. (4)

Por isso, o consumo de frutas, verduras e legumes ricos em antioxidantes é tão importante. A baixa ingestão dessas fontes naturais de antioxidantes pode gerar estresse oxidativo e provocar o desgaste dos lipídios, além de, muitas vezes, ser necessária uma intervenção nutricional com a finalidade de concluir as metas diárias de consumo de vitaminas. (5)

A seguir, vamos entender um pouco mais sobre nutrientes vitamínicos que oferecem ação antioxidante, promovendo a saúde das crianças. 

Vitamina A 

Aproximadamente 40 milhões de crianças em idade pré-escolar foram consideradas deficientes de vitamina A, das quais 13 milhões apresentaram algum dano ocular e cerca de meio milhão tornaram-se cegas por causa da deficiência desse nutriente. (2)

A vitamina A, conhecida por retinol pela sua relação com a retina ocular, desempenha um papel essencial na visão, no processo imunológico e no crescimento e desenvolvimento dos ossos e dentes, além de auxiliar na manutenção do tecido epitelial. (2) Também apresenta defesa antioxidante. (6)

A carência de vitamina A no organismo pode causar falhas no crescimento da criança, além de poder gerar um maior risco de doenças respiratórias e sarampo. (2) A ação da suplementação de vitamina A pode minimizar os efeitos adversos sobre o crescimento linear de infecções por HIV, malária e diarreia infecciosa em bebês que estão sendo amamentados e em idade pré-escolar. (6) Mas o uso em excesso pode causar irritabilidade e dores de cabeça. (7)

Alimentos fontes de Vitamina A: fígado, gema de ovos, leite integral, manga, cenoura, mamão, couve, espinafre e outros. (2)

  antioxidantes

Vitamina C

Um dos nutrientes essenciais na infância é a vitamina C. Sendo muito importante para o organismo, ela age na regeneração das células como um poderoso antioxidante em um processo realizado de forma natural na oxidação, sem provocar danos celulares. Também conhecida como ácido ascórbico, ela enriquece a absorção de ferro, promovendo o transporte de oxigênio para o corpo. (1,2)

Frequentemente o uso de vitamina C é relacionado a prevenção de doenças gripais e resfriados. Estudos avaliaram que tomar pelo menos 200 mg dessa vitamina por dia  pode refletir na diminuição da duração dos sintomas de resfriado em 14% nas crianças. A ingestão desse nutriente não auxilia na hora de evitar a doença, a melhor forma de não se pegar um resfriado é manter bons hábitos de higiene. (8)

Quando a vitamina C está presente, ocorre a potencialização da defesa imunológica do corpo. (4) Dentre suas múltiplas funções, esse nutriente tem a capacidade de ceder e receber elétrons, conferindo seu papel antioxidante. (2) Segundo um estudo, a suplementação diária de Vitamina C pode ser benéfica para crianças asmáticas, melhorando a frequência respiratória. Mais estudos estão sendo realizados para confirmação desses dados. (9)

Alimentos fontes de Vitamina C: algumas das melhores fontes são frutas cítricas e vermelhas, como laranja, acerola, kiwi, limão, goiaba, maracujá, morango, além de couve, abóbora e outros. Também pode ser adicionada nas refeições em  sucos, vitaminas com leite, carnes e até mesmo saladas. (2,4) 

Vitamina D

A vitamina D é considerada um pró-hormônio que, quando aliada ao cálcio, se torna nutriente essencial para a saúde óssea, implicando na melhora da formação esquelética, proporcionando um adequado crescimento infantil e prevenindo osteoporose na vida adulta. Um estudo concluiu que o baixo nível de ingestão de cálcio e vitamina D no organismo de crianças e adolescentes brasileiros reflete em mudanças comportamentais e nos hábitos alimentícios. O fornecimento deve acontecer desde o período gestacional até o final da puberdade. (10)

A suplementação de vitamina D,  também chamada de calciferol, pode chegar a reduzir consideravelmente o risco de contrair infecções respiratórias, especialmente no outono e inverno. O consumo também pode prevenir o agravamento de doenças relacionadas ao sistema respiratório, como bronquite ou pneumonia. (11)

A deficiência de vitamina D em crianças pode desenvolver doenças como raquitismo, associada a malformação dos ossos. Além disso, sua falta pode provocar a redução da imunidade. Quando consumida em níveis adequados, ela pode ser boa para o funcionamento do coração, cérebro e da secreção de insulina pelo pâncreas. (11)

Alimentos fontes de vitamina D: manteiga, margarina, leites, creme de leite, óleos de peixes gordurosos e alguns alimentos infantis enriquecidos com esse nutriente. (2, 12) Porém, sua maior fonte ainda é o sol. 

Vitamina E

A principal característica química da vitamina E é o seu poder antioxidante, desempenhando um papel importante para o sistema imune e na reparação de membranas, sendo útil na prevenção de certos cânceres. Uma função importante da vitamina E é a proteção às membranas celulares contra a destruição oxidante, o que explica suas propriedades antioxidantes. (2)

Podendo ser chamada de tocoferol, quando há deficiência desse nutriente no organismo, podem ocorrer disfunções neurológicas, miopatias e atividades anormais das plaquetas. Em recém-nascidos, pode causar anemia hemolítica. A suplementação é recomendada para prevenção de doenças crônicas não-transmissíveis e para o estímulo do sistema imunológico. (2,5)

Alimentos fontes de Vitamina E: óleo de girassol, semente, feijão, ervilha, fava, lentilhas, amêndoas, amendoim, grãos de soja. (2,4,12)

A orientação para crianças manterem hábitos saudáveis é importante e deve ser reforçada desde os primeiros aninhos de vida. Futuramente, elas se tornarão adultos conscientes e que priorizam uma boa saúde. Reforçamos que a introdução alimentar deve ser orientada especificamente pelo pediatra e/ou nutricionista.

 

Fontes: 
  1. MALACARNE, Juliana. A importância da vitamina C para as crianças. Crescer, 2015. Disponível em: <https://revistacrescer.globo.com/Os-primeiros-1000-dias-do-seu-filho/noticia/2015/10/importancia-da-vitamina-c-para-criancas.html>. Acesso em 16 jun. 2021.
  2. BRICARELLO, Liliana Paula. O papel das vitaminas em lactentes e crianças. Disponível em: <https://silo.tips/download/nutricionista-do-setor-de-lipides-e-aterosclerose-da-escola-paulista-de-medicina>. Acesso em 16 jun. 2021.
  3. PAIVA, Márcia R. De S. Amoroso. A importância da Alimentação Saudável na Infância e na Adolescência. 2010. Disponível el: <https://www.medicinanet.com.br/conteudos/revisoes/3149/a_importancia_da_alimentacao_saudavel_na_infancia_e_na_adolescencia.htm>. Acesso em 16 jun. 2021.
  4. STEVAUX, Débora. 7 aliemntos para aumentar a imunidade das crianças nos dias frios. Claudia, 2017. Disponível em: <https://claudia.abril.com.br/saude/7-alimentos-para-aumentar-a-imunidade-das-criancas-nos-dias-frios/>. Acesso em 16 jun. 2021.
  5. BONI, Adriana et al. Vitaminas antioxidantes e prevenção da arteriosclerose na infância. Rev. Paul. Pediatr., v. 28, n. 4, p. 373-380, 2010. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/rpp/a/RpQt38LDcY3YBvxXd4RXh4b/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em 16 jun. 2021.
  6. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Deficiência de vitamina A. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/23_deficiencia_de_vitamina_a.pdf>. Acesso em 16 jun. 2021.
  7. FALCÃO, Mário Cicero. Importância da vitamina A na infância. Nutritotal, 2020. Disponível em: <https://nutritotal.com.br/publico-geral/colunas/importancia-da-vitamina-a-na-infancia/>. Acesso em 16 jun. 2021.
  8. ALMEIDA, Luiz Gustavo de. Vitamina C ajuda a evitar resfriado? Veja Saúde, 2019. Disponível em: <https://saude.abril.com.br/familia/vitamina-c-ajuda-a-evitar-resfriado/>. Acesso em 16 jun. 2021.
  9. VITAMINA C pode melhorar frequência respiratória de crianças com asma. Veja, 2011. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/saude/vitamina-c-pode-melhorar-frequencia-respiratoria-de-criancas-com-asma/>. Acesso em 16 jun. 2021.
  10. FRANÇA, Natasha A. Grande de; PETERS, Bárbara S. Emo; MARTINI, Lígia Araújo. Carência de cálcio e vitamina D em crianças e adolescentes: uma realidade nascional. Anais do 2º Congresso Internacional Sabará de Especialidades Pediátricas. Disponível em: <http://pdf.blucher.com.br.s3-sa-east-1.amazonaws.com/medicalproceedings/2cisep/017.pdf>. Acesso em 16 jun. 2021.
  11. VITAMINA D ajuda a evitar infecções respiratórias em crianças no inverno. Veja, 2021. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/saude/vitamina-d-ajuda-a-evitar-infeccoes-respiratorias-em-criancas-no-inverno/>. Acesso em 16 jun. 2021.
  12. OLIVEIRA, Melissa Fernanda; AVI, Camilla Martins. A importância nutricional da alimentação complementar. Revista Ciências Nutricionais Online, v. 1, n. 1, p. 36-45, 2017. Disponível em: <https://www.unifafibe.com.br/revistasonline/arquivos/cienciasnutricionaisonline/sumario/46/27032017152234.pdf>. Acesso em 16 jun. 2021.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Óleo de semente de abóbora, por que incluí-lo na sua alimentação?

Se você chegou neste post, provavelmente já ouviu falar sobre o óleo de semente de abóbora, não é mesmo?

Agora, talvez você não saiba da quantidade de benefícios que ele pode trazer para sua saúde quando incluído na sua alimentação!

As sementes de abóbora são populares há séculos. Por volta do ano 1300 os nativos americanos já conheciam seus benefícios alimentares e medicinais. Depois dos astecas e de outros povos da América do Sul, estas sementes começaram a ser consumidas pela Europa e se tornaram parte integrante da dieta de muitas áreas da Europa Oriental e do Mediterrâneo (principalmente a Grécia).

Hoje em dia, o uso do óleo da semente de abóbora prensado a frio está se popularizando por conter inúmeros benefícios para a saúde, tanto de homens quanto de mulheres, vamos conferir quais são eles?

Como aliviar os sintomas do Lúpus

Lúpus eritematoso sistêmico (LES) é a forma mais comum de lúpus. O lúpus é uma doença autoimune, o que significa que o sistema imune do corpo ataca erroneamente órgãos e tecidos saudáveis. O lúpus pode afetar qualquer parte do corpo, causando inflamação e danos nas articulações, pele, rins, coração, pulmões, vasos sanguíneos e até mesmo o cérebro.