Atividade física é a aposta para se manter saudável

Share on facebook
Share on twitter
Atividade física

Desde sempre ouvimos falar que a atividade física é essencial para termos uma vida saudável. Infelizmente, para muitas pessoas, fazer atividade física está ligado somente ao fato de emagrecer.

Claro que ela pode auxiliar na perda de peso e evitar doenças. Mas a prática, além de fazer bem para a saúde do corpo, também ajuda na saúde da mente, sabia?

Que tal aprender como a atividade física é primordial quando queremos nos manter saudáveis?

Atividade física x Exercício físico

Antes de começarmos a falar sobre os benefícios da atividade física, é importante entender a diferença entre ela e os exercícios físicos.

Atividade física é todo e qualquer movimento que fazemos no dia a dia desde que traga estímulo para os músculos e gasto de energia. (1)

Já os exercícios são programados, têm uma sequência de movimento com o intuito de atingir um objetivo, seja ele relacionado à estética, à saúde ou até mesmo a ambos. (1)

Resumidamente, todo exercício é uma atividade física, mas nem toda atividade física é um exercício. (1)

Agora que já vimos a diferença, vamos entender como a atividade física pode ajudar a manter nosso corpo ativo para que tenhamos uma vida saudável, longa e feliz!

Atividade física e prevenção de doenças

Muitas pesquisas já mostraram que adotar hábitos de vida saudáveis, como  atividades físicas, pode prevenir e até auxiliar no tratamento de doenças crônico-degenerativas como depressão, câncer, osteoporose, pressão alta, doenças do sistema cardiovascular, entre outras. (2)

E como a atividade física faz isso? Vamos explicar!

Diabetes: a atividade física auxilia na redução da glicose no sangue, otimizando assim os níveis de glicose plasmática. Outra função importante da atividade física é que ela consegue desestimular a progressão da intolerância à glicose, aumentando assim os receptores de insulina e mantendo o peso corporal, ajudando a controlar os níveis glicêmicos em quem possui diabetes e também auxiliando no controle da obesidade. (2)

Osteoporose: a atividade física também consegue retardar a perda de massa óssea, especialmente em mulheres no período pós-menopausa, evitando, assim, o surgimento da osteoporose. (2)

Controle de pressão arterial e saúde do sistema cardiovascular: Além de conseguir diminuir a pressão arterial, a prática de atividade física regular consegue reduzir consideravelmente riscos de doenças arteriais, acidentes vasculares cerebrais e até mortalidades em geral. (2)

E tem mais! Quando nos exercitamos regularmente, nosso organismo tende a reduzir os níveis do colesterol ruim, enquanto eleva os níveis do colesterol bom, dificultando o aparecimento de aterosclerose, que pode causar derrames, infartos e até morte súbita. (2)

Imagem Ilustrativa

Câncer: além de tudo que citamos acima, a atividade física também pode auxiliar na prevenção do câncer. E ela faz isso de uma forma simples: toda gordura em excesso faz com que o nosso corpo fique em estado inflamatório crônico, o que auxilia a proliferação celular e o surgimento de mutações e, como resultado, o câncer. (3)

Esse estado inflamatório dificulta a morte programada das células, facilitando a formação e a progressão de vários tipos de câncer, como de fígado, intestino, mama, ovário, rins, estômago, entre outros. Portanto, a atividade física, por reduzir a gordura que temos no organismo, pode ser uma aliada na prevenção de alguns tipos de câncer.(3)

Incontinência urinária: sim, é isso mesmo que você leu. A prática de atividade física, desde uma caminhada até a musculação, pode ajudar a combater a incontinência urinária. Como é necessário fortalecer o piso pélvico, o fato de evitar o sedentarismo pode ajudar – e muito – na progressão do problema. Atividades como ioga, natação e até pilates podem ser bons aliados. (4)

Mas atenção: quem sofre de incontinência urinária precisa de preparo e cuidado na prática de alguns esportes, como vôlei, body jump, crossfit e basquete. Isso porque algumas atividades podem causar vazamentos, lesionar o piso pélvico ou sobrecarregar a musculatura responsável por sustentar a bexiga. (4)

Atividade física ajuda na saúde mental?

Em 2010, um estudo publicado no The Lancet, concluiu que a atividade física melhorava a cognição, o bem-estar mental, o sono e ajudava também a ter uma vida mais saudável. (1)

O que acontece é que, quando praticamos alguma atividade física, liberamos endorfina, que é conhecido como hormônio do prazer. Fora esse hormônio, a prática também libera neurotransmissores responsáveis por dar a sensação de bem-estar. (5)

Estudos também mostraram que, quando nos mexemos, acabamos estimulando o crescimento de células nervosas no hipocampo, região do cérebro que comanda o humor e a memória. (5)

Além disso, a atividade física pode auxiliar pessoas que têm depressão, principalmente se elas fizerem exercícios ao ar livre. Como o contato com a natureza melhora o bem-estar mental, uma boa caminhada em parques, por exemplo, já ajuda. Se a pessoa que tem depressão toma remédios e faz atividade física, ela apresentará melhores resultados do que aqueles que são sedentários. (5)

Também há pesquisas que apontam que, além de auxiliar no tratamento da depressão, em muitos casos, a atividade física pode ser suficiente para prevenir a doença. (5)

Imagem Ilustrativa 

A importância de fazer as escolhas certas para cada momento da vida:

Sabendo da importância de se manter em movimento, é essencial ter em mente que cada público tem frequência e recomendações diferentes, especialmente na infância, gestação e velhice. Veja algumas dicas:

Crianças de 3 a 5 anos: busque algo que seja divertido e prazeroso. Brincadeiras ativas em grupo ou até mesmo andar de bicicleta já são ótimas opções. O ideal é que as brincadeiras sejam estimulantes e que sempre tenha novidades, assim a criança ficará interessada. O recomendado é que sejam feitos 180 minutos de práticas semanais, mas se não der, não se preocupe, o importante mesmo é se mexer. (6)

Crianças acima de 5 anos e adolescentes: o ideal é achar o que eles gostam e focar nisso. Exercícios mais intensos como vôlei, natação, dança e até mesmo pular corda já ajudam a evitar doenças como diabetes tipo 2, hipertensão, obesidade e colesterol alto. O recomendado é que seja feita de 150 a 300 minutos por semana de atividade física, sempre tomando muito cuidado com lesões. Procurar um médico antes de começar também é necessário! (6)

Gestantes: elas podem – e devem – se mexer. Além de prevenir sobrepeso na gestação, a prática de atividades físicas auxilia a evitar diabetes gestacional e hipertensão, além de melhorar a saúde mental e poder facilitar o parto, diminuindo o risco da criança nascer acima do peso. 150 minutos por semana – desde que sejam exercícios moderados – já são suficientes. É importante dar prioridade para exercícios aeróbicos, como hidroginástica, pilates e caminhada. E deve-se evitar esportes de contato, como o futebol, por exemplo. É necessário que o médico acompanhe a gestante durante todo o período em que ela estiver fazendo atividades físicas. (6)

Idosos: eles também não podem ficar parados! Quando o idoso faz alguma atividade física, colabora para evitar quedas e lesões graves decorrentes dela. Caminhada, hidroginástica, natação, tudo isso vale desde que o médico libere, combinado? (6)

É importante adotar um estilo de vida saudável e encontrar alguma atividade física que te agrade. Assim, você conseguirá envelhecer bem e com saúde – e sem fazer aquele esforço para começar a se mexer.

Antes de começar qualquer atividade física, é muito importante buscar ajuda profissional. Só ele conseguirá entender quais são suas necessidades e avaliar o que é recomendado fazer no seu caso.

Fontes:
  1. LUISA, Ingrid. As novas recomendações ds OMS para atividades físicas. Veja Saúde, 2020. Disponível em <https://saude.abril.com.br/fitness/as-novas-recomendacoes-da-oms-para-atividades-fisicas-o-que-muda/>. Acesso em 03 mar 2021.
  2. BOTTCHER, Lara Belmudes. Atividade Física como ação para promoção da saúde: Um ensaio crítico. Rev. Gestão & Saúde, 2019. Disponível em <https://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/23324>. Acesso em 03 mar 2021.
  3. A IMPORTÂNCIA da atividade física para prevenção do câncer. Saúde Brasil, 2019. Disponível em <https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-exercitar-mais/a-importancia-da-atividade-fisica-para-a-prevencao-do-cancer>. Acesso em 03 mar 2021.
  4. PINHEIRO, Chloé. Como a atividade física ajuda quem tem incontinência urinária. Veja Saúde, 2019. Disponível em <https://saude.abril.com.br/medicina/como-a-atividade-fisica-pode-ajudar-quem-tem-incontinencia-urinaria/>. Acesso em 03 mar 2021.
  5. BRUM, Maurício; ORTIZ, Juan; KANITZ, Henrique. Como evitar ou tratar a depressão? Com exercício físico, oras. Veja Saúde, 2018. Disponível em <https://saude.abril.com.br/fitness/como-evitar-ou-tratar-a-depressao-com-exercicio/>. Acesso em 03 mar 2021.
  6. SANTOS, Maria Tereza; RUPRECHT, Theo. Atividade física: para cada fase, um tipo diferente. Veja Saúde, 2019. Disponível em <https://saude.abril.com.br/fitness/atividade-fisica-para-cada-fase-um-tipo-diferente/>. Acesso em 03 mar 2021.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

De onde vem o gergelim?

Somos acostumados a ver sementes de gergelim em todos os lugares: em pães de hambúrguer e baguetes, no zátar (aquela mistura de especiarias usada como condimento, originária do Oriente Médio) e sobre aquele frango que comemos no restaurante chinês. Mas será que alguém sabe de onde vem as sementes de gergelim?

Ômega 3 pode fazer bem para a saúde dos seus olhos. Quer ver?

Recentemente, abordamos as propriedades e funções do ômega 3 no nosso organismo e relacionamos elas ao tratamento da ansiedade e depressão, além de auxiliar no tratamento desses transtornos, devido à sua função anti-inflamatória, esse ácido graxo essencial oferece diversos outros benefícios em outras áreas da nossa saúde e é sobre uma delas que vamos abordar hoje: a saúde ocular