Vital Âtman

estresse

Estresse: quais os riscos para a nossa saúde?

No dia a dia, você já notou perdas rápidas de memória? À princípio, não achamos que seja algo incomum, mas, na maioria dos casos, ela está relacionada ao acúmulo de estresse. Além desse sintoma, outros, como queda de cabelo, gastrite, osclilação de pressão, também estão associados ao estresse. (1) Neste texto, vamos abordar sobre os riscos do estresse para a saúde e como reduzir essas ocorrências no dia a dia, influenciando diretamente na sua qualidade de vida. Você irá perceber o quanto fazer atividades que você gosta e que te façam relaxar é importante para levar uma vida mais leve e feliz. (2)  O que é o estresse e como ele age no nosso corpo? O estresse é uma reação natural do organismo que surge quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Quando ocorre, nos coloca em estado de alerta, provocando diversas alterações físicas e emocionais. Trata-se de uma atitude biológica essencial para se adaptar às situações novas, que nem sempre são confortáveis. (3) Assim que surge a sensação de ameaça ou estresse, o corpo desencadeia uma reação química, muitos a chamam de “luta ou fuga”. O cérebro fica em alerta e produz os hormônios adrenalina e cortisol, provocando uma resposta que aumenta a frequência cardíaca, acelera a respiração, contrai os músculos e aumenta a pressão arterial. (4,5) Em relação ao segundo hormônio que citamos, o cortisol, todo esse estado de estresse e/ou alerta máximo fazem com que a produção dessa substância nas glândulas suprarrenais seja intensificada. Sendo assim, para agir corretamente, as glândulas precisam

LER MAIS
cranberry

Conheça os benefícios da cranberry para a saúde

Hoje vamos nos aprofundar sobre uma pequena fruta vinda da América do Norte e que recentemente ganhou fama devido a seus inúmeros benefícios e se tornou mais fácil de encontrar no Brasil: a cranberry. (1) A cada ano estamos mais conscientes e convencidos de como é importante fazermos escolhas melhores e mais naturais para nossa saúde. Passamos a dedicar mais tempo na seleção dos ingredientes que colocamos na nossa mesa todos os dias e colhemos os benefícios com a qualidade de vida que estamos ganhando. A natureza nos oferece diversos aliados para esta missão: as frutas (como a cranberry), sementes, raízes e outros diversos alimentos que são fontes de nutrientes para nosso corpo.  O que é cranberry? A cranberry é uma das três frutas nativas cultivadas na América do Norte, e, no Brasil, é conhecida pelo nome “oxicoco”. Os primeiros registros sobre a fruta surgem na literatura por volta de 1620, mostrando americanos usando o alimento na conservação de carnes de caça. Outro fato apontado é que seu suco vermelho era usado como tinta natural para coloração de tecidos como tapetes, cobertores e roupas. (1) Naquela época, já observavam suas propriedades medicinais e utilizavam como antisséptico natural, aproveitando a cranberry no tratamento de ferimentos que eram causados por flechas venenosas. Nos Estados Unidos, a cranberry também tem um papel cultural e importante nos tradicionais feriados, como o de Ação de Graças, e é considerada símbolo de uma vida saudável.(1) A fruta é rica em fibras (pectina), ácidos (acético, ascórbico, cáprico, málico, valeriânico, cítrico), antioxidante (flavonóides)

LER MAIS

Sálvia: componentes e benefícios dessa planta medicinal

Se você acompanha o nosso blog, certamente conhece algumas plantas medicinais que já foram citadas por aqui. Hoje, você vai descobrir as propriedades terapêuticas da sálvia, uma erva originária da região Mediterrânea, cujo nome já predestina a função pela qual ela se popularizou: salvar! (1) Cada vez mais existem estudos aprofundados sobre essas “dádivas” da natureza, comprovando seus benefícios para a nossa saúde. A Salvia Officinalis também é conhecida como erva sagrada e é muito utilizada como tempero em comidas. É aromática, perene e pode ser encontrada em vários lugares do mundo, já que ela se adapta em solos quentes e secos. (2,3) Quanto ao sabor… bem, tem gente que ama e aqueles que não gostam de jeito nenhum. No entanto, o gosto amargo e potente não prejudica sua utilidade gastronômica nem seus fins terapêuticos, tanto que essa planta é usada por todas as medicinas populares europeias há centenas de anos, além de estar presente em muitos lares. (3,4,5) Existe uma variedade de sálvias com sabores e fragrâncias específicas: Sálvia Tricolor; Groselha Preta; Grega; Esclareia; Icterina; Ananás; e Roxa. (3) Por serem fontes naturais de compostos antioxidantes, elas têm sido alvo de diversos estudos acerca do papel na prevenção e tratamento de doenças neurodegenerativas. (5) A seguir, você saberá a composição da sálvia para que então entenda da onde vieram tantos benefícios.  Os componentes principais da sálvia  Taninos tipo catequina (condensados), ácidos fenólicos (cafeico, ferúlico, rosmarínico, gálico, hidroxibenzóico, vanílico, cumárico e clorogénico), flavonoides, óleos essenciais (tujona, cânfora, cineol, humuleno, alfa-pineno), diterpenóides amargos (ácido carnósico), triterpenoides

LER MAIS

Glúten: o que é e quais doenças ele pode causar?

O glúten, muitas vezes, é enxergado como algo negativo. As pessoas o excluem da alimentação por acreditarem que ele ajuda no ganho de peso. Na verdade, a história é um pouco diferente. O que sabemos é que sim, o glúten tem relação com algumas patologias, mas ele não é o maior vilão do mundo vegetal. (1) Neste texto, vamos falar sobre quem realmente pode consumir essa proteína, os desafios relacionados a ela e, de quebra, ainda desmistificaremos a associação com o ganho de peso.  O que é glúten O glúten é um conjunto de proteínas de reserva usadas por algumas plantas para nutrir suas sementes durante a germinação. Pode ser encontrado em alguns cereais, como o trigo, centeio, cevada e aveia. (2,3) Por ser uma substância viscoelástica, o glúten é muito importante na fabricação de pães, macarrão, biscoitos e outros alimentos. (3) Sendo assim, o glúten, na maior parte dos casos, pode ser consumido normalmente, sem oferecer riscos à saúde. Contudo, existem pessoas que desenvolveram intolerância ou alergia ao glúten, fazendo com que o consumo dessa proteína seja prejudicial à saúde desses pacientes, como veremos nos próximos tópicos.. (3)  Patologias relacionadas ao glúten Nos Estados Unidos, cerca de 30% das pessoas seguem uma dieta que inibe o consumo de glúten. Considerando que somente uma minoria realmente tem um diagnóstico de patologias relacionadas à ingestão dessa proteína, a restrição do seu uso pode apresentar um comprometimento nutricional para quem não convive com os seguintes problemas: alergia ao trigo (AT), sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) e

LER MAIS
EPA

EPA, coração e câncer: entenda essas relações

EPA! Já ouviu falar? Estamos falando do ácido eicosapentaenoico, um dos ácidos graxos mais importantes do tipo ômega 3, que não só atua na redução dos riscos de doenças cardiovasculares, como também na minimização de tumores cancerígenos. Sem contar os benefícios relacionados à sua propriedade antioxidante e anti-inflamatória, contribuindo para o bom funcionamento do organismo. (1) Este é um conteúdo que pode te auxiliar na jornada em busca de uma vida mais saudável. Sendo assim, neste texto, você vai entender os benefícios que o EPA oferece à nossa saúde e onde encontrá-lo para implementá-lo de vez na dieta. Vamos lá?! EPA e ômega 3 são a mesma coisa? O EPA é ômega 3, mas para responder a essa pergunta é importante entendermos que nem todo ômega 3 é igual ao outro. Mas, como assim? Bem, existem 3 tipos conhecidos e cada um age de modo distinto. Quando definimos o ômega 3, podemos dizer que trata-se de um ácido graxo poli-insaturado de cadeia longa que é constituído pelos ácidos alfa-linolênico (ALA), docosahexaenóico (DHA) e eicosapentaenoico (EPA). (1,2) O EPA e o DHA são considerados os ácidos graxos mais importantes do grupo ômega 3. Abordamos essa dupla no nosso mais recente e-book (INCLUIR LINK), você já conferiu? Essas gorduras são derivadas de animais e também podem ser encontradas em suplementos. O organismo humano não produz ômega 3, porém, o corpo é capaz de transformar o ALA em EPA e DHA, e os tecidos capazes de fazer isso, por meio de sistemas enzimáticos de alongamento e dessaturação, são:

LER MAIS
gentileza

Gentileza gera gentileza, felicidade e saúde mental!

“Gentileza gera gentileza” é uma frase que ouvimos há muito tempo e não é à toa que alguém um dia pensou nela. Fazer o bem e se doar ao bem-estar do outro é uma semente que nos faz colher frutos maravilhosos no decorrer da vida. E essa afirmação não está só no campo da subjetividade não, a ciência comprova que, ao ser gentil e fazer o bem ao próximo também é ser gentil e fazer bem a si mesmo. Vamos refletir sobre isso? Ajudar alguém, independente da circunstância, quando feito genuinamente de coração, pode te deixar mais feliz! Um estudo de seis semanas em que os participantes realizaram cinco novos atos de gentileza, um por dia, mostrou que essas pessoas sentiram um aumento significativo de bem-estar se comparado às do grupo controle. (1) Mais do que felicidade, “fazer o bem sem olhar a quem” pode aumentar os níveis de satisfação, proporcionar o senso de sentido na vida, melhorar o nosso humor e reduzir o estresse. (2) Além disso, quando ajudamos o outro, também deixamos de focar apenas nos nossos problemas, passando a levar uma vida com mais empatia e compaixão, sentimentos que enobrecem qualquer pessoa, não é mesmo? Fazer o bem é uma corrente que funciona de verdade, ao contrário daquelas que a gente recebe nas redes sociais! Isso porque, quando a gente cuida do outro, incentivamos mais pessoas a fazerem o mesmo e, assim, conseguimos um feito que tanta gente busca: fazer do mundo um lugar melhor para se viver. Existe ligação entre ajudar

LER MAIS
DHA

Saiba o que é DHA e seus benefícios para a saúde

Se você já está familiarizado com os benefícios do ômega 3, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre uma das substâncias que o compõe: o DHA! Também conhecido como ácido docohexaenoico, pode se tornar essencial na formação da retina dos olhos, além de possuir ação antioxidante e, principalmente, contribuir para a saúde cerebral. (1,2) Neste texto, você descobrirá um pouco mais sobre os benefícios do DHA e como ele contribui para a manutenção de uma boa saúde.  O que é DHA? O DHA é o ácido graxo ômega 3 mais abundante nas membranas celulares. Juntamente com o EPA (ácido eicosapentaenólico), são considerados os componentes mais importantes do ômega 3. O DHA está presente em todos os órgãos, sobretudo, no córtex cerebral e retina nos olhos. (1,2) A estrutura do ácido docohexaenoico é mais extensa que a do EPA, logo, ocupa mais espaço nas membranas celulares, exercendo um papel fundamental na manutenção da fluidez dessas membranas. Isso é importante para que haja o funcionamento normal das proteínas, canais e receptores inseridos na membrana. É sempre importante manter o equilíbrio entre os níveis DHA e EPA, pois, quando em excesso, o DHA pode ser tão ruim quanto em escassez, podendo afetar o bem-estar diário e as funções celulares. (2)  DHA e o cérebro Estudos apontam que o DHA está relacionado a vários processos neuronais, entre eles: funcionamento da memória, atenção, raciocínio e imaginação. Além de ser antioxidante, ele favorece a cognição e as conexões entre neurônios. O fígado é considerado o principal local de sintetização

LER MAIS
antioxidantes

A importância dos antioxidantes para a saúde infantil

Quando falamos da saúde de crianças, estamos considerando um tipo de organismo que está em constante desenvolvimento. Existem diversos nutrientes essenciais para que esse desenvolvimento aconteça de maneira saudável nas crianças e os antioxidantes são um exemplo deles. Nos primeiros seis meses de vida, a alimentação principal é o leite materno. Com o passar do tempo, os sistemas do corpo evoluem e requerem mais nutrientes para garantir o bom funcionamento. É aí que entra a introdução alimentar, para suprir todas as necessidades nutricionais dos pequenos, acompanhada dos desafios para garantir um cardápio balanceado e saudável. (1) É nessa fase que o contato com nutrientes importantes para o organismo, como vitaminas e proteínas, se torna mais próximo. Felizmente, nos últimos 20 anos, observou-se um declínio nos índices de desnutrição infantil no Brasil. No entanto, continua sendo uma preocupação no país, já que um dos motivos para a existência dessa realidade é o consumo inadequado de alimentos em qualidade e quantidade. (2) Sendo assim, cabe aos pais, pediatras e nutricionistas, a função de guiar os pequenos a praticarem uma dieta balanceada com hábitos saudáveis desde a infância, para que os níveis ideais de saúde sejam sempre satisfatórios e favoreçam o desenvolvimento físico e intelectual das crianças para que se tornem adultos sadios e com menos chance de desenvolver deficiências nutricionais que prejudiquem a qualidade de vida no presente e futuro. (3) Neste texto, falaremos sobre a importância dos antioxidantes para a saúde infantil, por serem aliados do bom funcionamento do organismo em qualquer idade, constituindo nutrientes vitamínicos,

LER MAIS
manjericão

Manjericão: conheça os benefícios para a saúde

O consumo de alimentos funcionais vem aumentando nas últimas décadas. A busca por um estilo de vida mais saudável, aliado à preocupação individual da saúde, faz com que plantas medicinais, como o manjericão, ocupem uma função especial nas receitas. Podendo ser considerado um condimento ou especiaria, o manjericão é frequentemente utilizado para tratamento, prevenção e controle de doenças crônicas, além de ser um excelente tempero e aromatizador para as refeições, tornando os alimentos mais atraentes ao paladar. (1) Neste texto, você vai descobrir quais os benefícios do manjericão e como utilizá-lo no seu dia a dia. Um dos 100 alimentos mais nutritivos do mundo Estudos apontam que o manjericão (Ocimum basilicum L.) origina-se do continente asiático, proveniente da índia, mas se tornou um ícone da culinária mediterrânea, chegando ao Brasil com a imigração italiana. (2,3) Ao proporcionar um sabor levemente picante e doce, ele é comumente utilizado em massas e pizzas, além de outras combinações que você descobrirá nos próximos tópicos. (3) Quando falamos de sua composição, estamos incluindo uma série de benefícios nutricionais que concebe ao manjericão o título de alimento funcional, considerado uma planta medicinal desde as antigas civilizações. (1) Constituído por óleos essenciais (eugenol, estragol, linalol, lineol, alcanfor, cineol, pineno e timol), taninos, saponinas, flavonóides, ácido cafeíco e esculosídeo, o manjericão também conta com vitaminas A, C, B1, B2, B3, K, (3) (4) e minerais como o cálcio, fósforo e ferro. (2,3) Achou que acabou por aí? Não, ainda tem mais: quanto mais se estuda, mais se descobre novos aspectos da planta,

LER MAIS
melatonina

Melatonina: benefício para o sono e muito mais!

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente pelo organismo. (1) Trata-se de uma molécula versátil que, além de exercer papel fundamental na regulação do sono e da reprodução, revela alta capacidade antioxidante, anti-inflamatória, antienvelhecimento e anticancerígena. (2) Sendo utilizada no tratamento de distúrbios do sono, a melatonina também atua como instrumento de suplementação alimentar.(2) Neste texto, vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre essa substância e entender quais são os efeitos de suas ações implantadas no organismo.  Melatonina: o que é, como funciona, quais os riscos e benefícios Considerada o “hormônio do sono”, a melatonina é um hormônio natural liberado sobretudo no período noturno para regularizar o ciclo circadiano em seres humanos. (3) Essa molécula é produzida pela glândula pineal e sintetizada a partir do triptofano. (4) A glândula está localizada no cérebro e é considerada a “morada da alma” pelo filósofo Descartes. (3,5) Enquanto escurece, os olhos e o cérebro sinalizam para a glândula pineal que é a hora de liberar a melatonina. Em seguida, ela chega na corrente sanguínea e viaja por todo organismo, entrando em contato com as células e iniciando o processo de indução do corpo ao sono e jejum. (5) A realização de todo esse percurso é o que nos mantém alertas e acordados durante o dia e mais sonolentos no período da noite. (6) A deficiência de melatonina pode gerar riscos à saúde. Estudos indicam que, quando há essa ausência, pode ocorrer o desenvolvimento da obesidade, alterações no colesterol, resistência insulínica e distúrbios energéticos. Noites mal dormidas também provocam a diminuição

LER MAIS
plástico

Motivos para diminuir o consumo de plástico

Muitas pessoas, há algum tempo, começaram a se questionar sobre os riscos e o impacto que o descarte errado do lixo, incluindo o plástico, pode causar no mundo. Mas foi em 2015 que o mundo se chocou com um vídeo que mostrava uma tartaruga resgatada agonizando com um canudo enfiado no nariz. Depois dessa cena, que é realmente chocante, esse questionamento passou a ser ainda maior. E, a partir deste fato, inúmeras empresas e instituições de administração pública baniram os canudos. Isso mostra que estamos dispostos a mudar nossos hábitos em prol do meio ambiente, porém, estamos apenas no começo dessa jornada. É preciso fazer muito mais para que os danos causados pelo uso excessivo do plástico, por exemplo, sejam eliminados da nossa rotina. Por isso, nesse texto, daremos informações e motivos reais para que você questione o uso desse material na sua rotina. (1) A quantidade de plástico no oceano Atlântico pode ser até 10x maior do que imaginávamos! E pasme, a estimativa era de 200 milhões de toneladas de plástico somente nesse oceano. Eles vão parar lá devido o nosso descarte excessivo e inadequado de lixo. O grande “x” da questão que coloca o plástico como um vilão do nosso ecossistema se dá, principalmente, ao fato da sua degradação super lenta. Outro ponto extremamente importante é que ele se quebra em pedaços menores e até microscópicos, os microplásticos, que são consumidos por peixes e outros animais marinhos e que, além de colocar a vida deles em risco, coloca a nossa, já que grande

LER MAIS
Glutamina

Mitos e verdades sobre a glutamina

A glutamina é o aminoácido mais abundante no plasma e tecido muscular, sendo atuante no fornecimento de energia ao corpo. (1) Pelo fato de sua sintetização ocorrer no organismo a partir de outros aminoácidos, ela é considerada não essencial, assim como a arginina e tirosina. (2,3) No entanto, a glutamina é um importante aminoácido que favorece diversos órgãos do corpo, como coração, pulmões, rins, fígado e intestino e, dependendo do caso, a suplementação pode ser benéfica. (4,5) Com o crescente interesse da sociedade em melhorar o desempenho em atividades físicas, criar novos hábitos para uma alimentação saudável e balanceada, que resultam em uma boa saúde, se torna imprescindível garantir que o nosso corpo receba todos os nutrientes suficientes para a manutenção adequada do organismo. (5) No entanto, com a correria do dia a dia, essas ações podem ser prejudicadas e não serem realizadas corretamente, comprometendo os benefícios que poderíamos receber. Sendo assim, uma ótima aliada a quem deseja um auxílio na manutenção da saúde é a suplementação alimentar, assegurando que a falta de nutrientes seja suprimida, sempre com supervisão profissional. (5) Logo, um nutriente que vale a pena investir é a glutamina, o assunto principal citado no início do texto. Ao ser produzida pelas células do cérebro e dos pulmões e consumidas pelas células intestinais, imunes e os rins, é considerada segura e benéfica.(5,6) As principais funções da glutamina são: promover a integridade intestinal; atuar no crescimento e diferenciação celular; transportar a cadeia carbônica e transferir o nitrogênio entre os órgãos; estimular a síntese de

LER MAIS