Como a luz dos celulares e tablets interfere no sono das crianças?

Share on facebook
Share on twitter

Com o avanço tecnológico, os aparelhos eletrônicos – online e offline -, se tornaram cada vez mais presentes nos lares familiares por todo o mundo. Mas você sabe que a luz desses aparelhos pode interferir no sono das crianças?

Um estudo recente realizado em 2020 nos EUA concluiu que crianças de 6 a 12 anos estavam passando ao menos 50% do seu tempo diário em frente às telas. No Brasil, dados de uma pesquisa feita em 2018 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil revelaram que 86% das crianças e adolescentes no país, entre 9 e 17 anos, estão conectados na web. (1,2)

Por mais que a tecnologia proporcione vantagens, o uso indiscriminado de aparelhos, como computadores, tablets e celulares, pode prejudicar a segurança física e psicológica das crianças em idades cada vez mais precoces. (3)

Neste texto, vamos falar como a luz dos celulares e tablets podem interferir no sono das crianças.

Desenvolvimento cerebral e mental das crianças

Inicialmente, para entendermos os impactos da tecnologia na qualidade do sono das crianças, precisamos compreender como se dá o desenvolvimento cerebral e mental nessa idade. Os primeiros mil dias de vida são fundamentais na infância, assim como os primeiros anos, idade escolar e a fase da adolescência. (4)

Ao longo de todo esse período, diferentes estruturas e regiões cerebrais amadurecem, incluindo não só a nutrição/oral, como também todos os circuitos e estímulos sensoriais que modelam a arquitetura e função dos ciclos neurobiológicos para produção dos neurotransmissores e conexões sinápticas. (4)

Dado que o desenvolvimento precoce da linguagem e das habilidades de comunicação são essenciais para o progresso das habilidades cognitivas e sociais, é importante destacar que bebês que ficam passivamente expostos às telas por períodos prolongados, frequentemente, enfrentam um atraso na evolução da fala e da linguagem. (4)

Além disso, os transtornos de sono se tornam comuns e são associados aos transtornos mentais precoces em crianças e adolescentes. Portanto, é muito importante que os pais estabeleçam rotinas do dia/vigília e da noite/sono que contribuam para a produção dos hormônios primordiais ao crescimento equilibrado do corpo e da mente. (4)

Sendo assim, vemos que o desenvolvimento cerebral e mental na infância é bastante dinâmico e complexo, e que esse processo sofre influências de fatores externos e internos. Quando a criança está em constante contato com as telas, que começa como uma simples distração ou experimentação do objeto, ela entende que o equipamento se transforma em uma espécie de solução rápida contra sentimentos perturbadores e emoções difíceis, resultando em dependência e criando um ciclo vicioso de ansiedade e depressão. (4) 

criança

A tecnologia e o sono

O brilho que vem das telas contribui para o bloqueio da melatonina, o hormônio do sono. Isso ocorre devido à faixa de onda de luz azul presente na maioria dos aparelhos, que resulta na prevalência da dificuldade para dormir e manter uma boa qualidade de sono, chegando até a ocorrer o aumento de pesadelos e terrores noturnos. (4)

Ao acordar, a criança sofre com a sonolência diurna e problemas de memória e concentração, tão importantes nessa fase de aprendizado, sem contar que, além da diminuição do rendimento escolar, a falta de sono também se associa a sintomas de transtornos de déficit de atenção e hiperatividade. (4)

O sono é tão importante para o desenvolvimento e bem-estar dos pequenos quanto a alimentação e atividades físicas. Quando dormimos, o corpo entra em um estado que libera uma série de processamentos em que ocorre a produção de alguns hormônios muito importantes para o corpo. Nas crianças, a liberação de GH (o hormônio de crescimento) acontece durante o sono profundo, um pouco depois da criança adormecer. (5)

Com um sono desregulado, a fabricação de outros hormônios, além do GH, também é prejudicada, como a leptina (hormônio da saciedade), o cortisol (apesar de ser conhecido como o hormônio do estresse, ele ajuda a manter a estabilidade emocional, controlar inflamações e alergias) e do TSH (estimulador da tireoide). (5)

Portanto, o uso de eletrônicos atrapalha o sono principalmente por entreter demais a criança, fazendo com que ela postergue a hora de ir para a cama. Ainda, o conteúdo pode ser muito estimulante, gerando uma excitação e atrasando o início do relaxamento para uma boa recuperação e descanso. E, como já citamos, a luminosidade da “luz azul” impede a secreção da melatonina, influenciando negativamente em vários outros processos do organismo. (5) 

5 dicas para reduzir o tempo de tela 

  1. Estabelecer períodos em que os aparelhos não deverão ser utilizados, como na hora do almoço, bem como locais de uso não permitidos, como o quarto ou a sala; (6)
  2. Aos adultos, cabe a autoavaliação do tempo de uso de telas para dar um bom exemplo às crianças; (6)
  3. Estipular limites de tempo e começar a utilizar os eletrônicos de forma intencional, quando realmente precisar. (7)
  4. Não utilizar as mídias antes de dormir para que o cérebro possa relaxar antes do descanso; (6)
  5. Preservar os rituais em família e propor atividades offline que envolvam as crianças.(8) 

criança

Principais problemas que exposição às telas pode causar em crianças

Apesar de o foco do nosso texto serem os efeitos que a exposição excessiva às telas causa no sono das crianças, existem também muitos outros problemas que podem surgir. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, entre os principais problemas médicos que podem afetar a saúde das crianças na era digital estão: (4)

  • Dependência digital e uso problemático das mídias interativas;
  • Problemas de saúde mental: irritabilidade, ansiedade e depressão;
  • Transtornos do déficit de atenção e hiperatividade;
  • Transtornos do sono;
  • Transtornos de alimentação: sobrepeso/obesidade e anorexia/bulimia;
  • Sedentarismo;
  • Bullying & cyberbullying;
  • Transtornos da imagem corporal e da autoestima;
  • Riscos de exposição da sexualidade, nudez, sexting, sextorsão, abuso sexual, estupro virtual;
  • Comportamentos autolesivos, indução e riscos de suicídio;
  • Aumento da violência, abusos e fatalidades;
  • Problemas visuais, miopia e síndrome visual do computador;
  • Problemas auditivos e PAIR (perda auditiva induzida pelo ruído);
  • Transtornos posturais e músculo-esqueléticos;
  • Uso de nicotina, cigarros eletrônicos, bebidas alcoólicas, anabolizantes e outras drogas.

Como vimos, manter uma boa rotina de sono é muito importante para a saúde, sobretudo a das crianças, uma vez que ocorrem diversos processos de liberação de hormônios que auxiliam no desenvolvimento físico e mental dos pequenos.

Cada vez mais, os aparelhos eletrônicos adentram os lares e cabe aos pais ou responsáveis designarem regras que limitam o uso prolongado dessas mídias, protegendo as crianças de disfunções e transtornos que possam surgir.

Fontes:
  1. CÉSAR, Luiza; LIMA, Vanessa. Crianças passam, pelo menos, 50% do tempo nas telas durante a quarentena, sugere estudo. Sociedade Brasileira de Pediatria, 2020. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/criancas-passam-pelo-menos-50-do-tempo-nas-telas-durante-quarentena-sugere-estudo/>. Acesso em 22 out. 2021.
  2. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. SBP atualiza recomendações sobre a saúde de crianças e adolescentes na era digital. 2020. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/sbp-atualiza-recomendacoes-sobre-saude-de-criancas-e-adolescentes-na-era-digital/>. Acesso em 22 out. 2021.
  3. SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Excesso de uso de eletrônicos pode prejudicar desenvolvimento, reafirma especialista da SBP em evento na Bahia. 2018. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/excesso-no-uso-de-eletronicos-pode-prejudicar-desenvolvimento-reafirma-especialista-da-sbp-em-evento-na-bahia/>. Acesso em 22 out. 2021.
  4. EISEINTEIN, Evelyn et al. Manual de orientação – Grupo de Trabalho Saúde na Era Digital. Sociedade Brasileira de Pediatria, 2019-2021. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/_22246c-ManOrient_-__MenosTelas__MaisSaude.pdf>. Acesso em 22 out. 2021.
  5. STOCK, Adriana. Celulas antes de dormir afeta sono, hormônios e desenvolvimento infantil. BBC News Brasil, 2018. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-42603165>. Acesso em 22 out. 2021.
  6. ROBERTS, Michelle. Celular e tablets para crianças: passar muito tempo usando eletrônicos pode prejudicar desenvolvimento. BBC News Brasil, 2019. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-47036386>. Acesso em 22 out. 2021.
  7. IDOETA, Paula Adamo. ‘Abstinência de telas’: Como conter o uso excessivo de eletrônicos por crianças na pandemia. BBC News Brasil, 2021. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-58714218>. Acesso em 22 out. 2021.
  8. IDOETA. Paula Adamo. Crianças no celular? Como a pandemia mudou o modo como especialistas veem o uso de telas na infância. BBC News Brasil, 2020. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-53774440>. Acesso em 22 out. 2021.

 

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

conheca-seis-beneficios-da-atitude-mental-positiva-aliada-a-exercicios-fisicos

Conheça seis benefícios dos exercícios físicos aliados a uma atitude mental positiva

No filme Bohemian Rhapsody, que retrata a vida do cantor Freddie Mercury, existe uma cena muito bonita: o pai do artista dá a ele um conselho: “bons pensamentos, boas palavras, boas atitudes”.
Essa filosofia de vida está alinhada com o que os psicólogos chamam de “movimento de positividade”, que é a prática de ter atitudes positivas e otimistas em relação à vida.
Pessoas assim têm a tendência a aceitar o mundo como ele é, procuram a esperança quando algo ruim acontece e espalham mensagens de esperança para os outros.
Essa atitude positiva é ótima para as pessoas que estão em volta, mas é melhor ainda para quem a pratica, pois traz benefícios reais à saúde.