Como corrigir uma dieta desequilibrada

Você sabe como corrigir uma dieta desequilibrada? Quando se fala em dieta, todo mundo tem uma solução mágica: “você deve comer isso, você deve comer aquilo...” Mas as nutricionistas não trabalham dessa forma. Elas entendem as características e necessidades de cada um para elaborar um cardápio personalizado. No entanto, existem algumas regras básicas que podem ser aplicadas a todos quando as pessoas estão em uma dieta desequilibrada:
Share on facebook
Share on twitter

Você sabe como corrigir uma dieta desequilibrada?

Quando se fala em dieta, todo mundo tem uma solução mágica: “você deve comer isso, você deve comer aquilo…”

Mas as nutricionistas não trabalham dessa forma. Elas entendem as características e necessidades de cada um para elaborar um cardápio personalizado.

No entanto, existem algumas regras básicas que podem ser aplicadas a todos quando as pessoas estão em uma dieta desequilibrada:

1 – Identifique e remova as deficiências nutricionais

como-corrigir-uma-dieta-desequilibrada-2

A maioria das pessoas acha que precisa de uma mudança radical na dieta logo no começo: “Eu tenho que cortar o açúcar, laticínios, carboidratos e gordura saturada, e devo comer mais proteína, gorduras mais saudáveis, vegetais e frutas”.

Se uma pessoa está precisando de tudo isso, é porque tem algo muito errado com sua alimentação.

Nesse caso, o ideal é ir fazendo as mudanças aos poucos. Dificilmente alguém consegue levar adiante mudanças muito radicais na alimentação.

Na maioria das vezes, o que acontece é que as pessoas falham e depois se sentem ainda piores do que antes.

Após uma consulta, sua nutricionista poderá identificar o que precisa ser introduzido e retirado da sua dieta, mas aos poucos.

Uma das deficiências nutricionais mais comuns encontradas são baixos níveis de água, vitaminas e minerais, proteína (particularmente em mulheres e em homens com pouco apetite) e ácidos graxos essenciais como ômega 3 (95% da população é deficiente aqui).

O poder da correção de uma dieta

healthy lifestyle, medicine, nutritional supplements and people concept - close up of male hands holding pills with cod liver oil capsules and water glass

Veja este exemplo: uma pesquisa publicada no “British Journal of Psychiatry” mostra que adicionar óleo de peixe na dieta de presos, reduz o comportamento agressivo e violento em 35% e diminui o comportamento antissocial em 26%.

Além disso, um artigo publicado na “Nutrition Reviews” mostra que dar óleo de peixe a crianças melhora seu comportamento e os níveis de inteligência.

Esse é o poder da correção de uma dieta. Quando nosso corpo não tem os nutrientes que precisa para trabalhar, ele sofre. Mas assim que recebe esses nutrientes, ele melhora.

2 – Ajuste a quantidade e os tipos de alimentos

como-corrigir-uma-dieta-desequilibrada-4

Uma vez que recebemos todos nutrientes necessários para o funcionamento adequado do organismo, podemos passar para outras questões:

– Quantidade de alimentos (o que alguns chamam de ingestão de calorias);

– Composição de alimentos (que inclui a decomposição de macronutrientes).

– Quantidade de alimentos e contagem de calorias

O importante aqui é evitar a contagem de calorias. Além de ser um processo desgastante, pode ser muito impreciso.

O que fazer então?

A maioria das pessoas pode eliminar as deficiências nutricionais e obter corretamente as porções e a qualidade dos alimentos, e parar por aí.

Pequenos ajustes nessas duas áreas farão uma enorme diferença em 90% da sua aparência e saúde.

Para isso, conte sempre com ajuda da sua nutricionista!

3 – Frequência das refeições

como-corrigir-uma-dieta-desequilibrada-5

Durante anos, nutricionistas pensavam que a melhor abordagem para dividir a ingestão diária de alimentos era comer pequenas refeições com frequência ao longo do dia.

Desde a pesquisa inicial, o senso comum era de que que isso aceleraria o metabolismo, ajudaria a controlar os hormônios insulina e cortisol e ajudaria a administrar melhor o apetite.

No entanto, um estudo recente publicado no Jornal da Sociedade Internacional de Nutrição Esportiva sugere o contrário.

O que isto significa é que, quando ingerimos os alimentos certos nas quantidades certas, a frequência das refeições é uma questão de preferência pessoal.

Você pode comer pequenas refeições por dia (ou seja, a cada poucas horas) ou comer grandes refeições por dia (ou seja, com maiores intervalos de tempo entre elas).

Viu como não é tão difícil manter uma dieta equilibrada? Basta procurar ajuda de um nutricionista e ir fazendo as mudanças aos poucos.

Se você gostou deste conteúdo, repasse para seus amigos, afinal compartilhar saúde é Vital!

Referências:
Gesch, C. B., Hammond, S. M., Hampson, S. E., Eves, A., &Crowder, M. J. (2002). Influenceofsupplementaryvitamins, mineralsandessentialfattyacidsontheantisocialbehaviourofyoungadultprisoners. British JournalofPsychiatry, 181(01), 22–2
Frensham, L. J., Bryan, J., &Parletta, N. (2012). Influencesofmicronutrientand omega-3 fattyacidsupplementationoncognition, learning, andbehavior: methodologicalconsiderationsandimplications for childrenandadolescents in developedsocieties. Nutrition Reviews, 70(10), 594–610.
La Bounty, P. M., Campbell, B. I., Wilson, J., Galvan, E., Berardi, J., Kleiner, S. M., … Antonio, J. (2011). International Society of Sports Nutrition position stand: mealfrequency. JournaloftheInternational Society of Sports Nutrition, 8(1), 4. doi:10.1186/1550-2783-8-4

3 comentários em “Como corrigir uma dieta desequilibrada”

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Vitamina D e imunidade

Vitamina D e imunidade: entenda essa relação

Muitas pessoas, quando ouvem falar em vitamina D, logo associam ela ao sol. De fato, ele é a maior fonte dessa vitamina para o nosso corpo. Além disso, ela também é muito conhecida pelo seu importante papel fisiológico no metabolismo do cálcio, logo, na saúde dos nossos ossos.

Lúpus: conheça substâncias e formas naturais de combater os sintomas

Quem sofre de lúpus, está sempre em busca de soluções para avaliar os sintomas. Isso porque eles são bem desagradáveis e algumas vezes até incapacitantes, impedindo o paciente de executar as atividades do dia a dia.

O problema é que muitas vezes, os medicamentos prescritos podem trazer efeitos colaterais indesejados.

Mas atualmente, substâncias naturais aliadas a mudanças no estilo de vida podem melhorar muito a qualidade de vida dos portadores de lúpus.

Nesse blog post você vai saber mais sobre essa doença e o que fazer para mantê-la sob controle.

Estresse oxidativo: o que é e como ele pode afetar a sua saúde

Todos já sentiram ou conhecem os efeitos do estresse no corpo humano, desde cansaço, desequilíbrio emocional, ansiedade, agitação, dores de cabeça, dentre outros. As células presentes em nosso corpo também podem passar por este problema, mas neste caso usamos o termo “estresse oxidativo”, que é quando o corpo possui excesso de radicais livres em comparação à sua capacidade de neutralizar ou desintoxicar seus efeitos nocivos através da ação dos antioxidantes.