Magnésio: entenda como ele pode ajudar na prevenção da osteoporose

Share on facebook
Share on twitter
Magnésio e osteoporose

A osteoporose, por ser uma doença silenciosa, que dificilmente apresenta sintomas antes de estar no estágio mais grave, precisa de atenção na sua prevenção. Isso porque, atualmente, mais de dez milhões de brasileiros sofrem com a doença.

Uma alimentação rica em cálcio e vitamina D desde a infância, além de, claro, a prática de atividades físicas, pode ajudar a evitar que a osteoporose apareça. E o magnésio também pode desempenhar um importante papel nessa luta. (1)

Nesse texto, vamos explicar melhor o que é a osteoporose e os seus riscos, além de mostrar como o magnésio entra nessa conversa.

O que é a osteoporose?

Com o passar dos anos, é natural perdermos massa óssea. Aos 50 anos, essa perda se torna mais evidente, e é aí que precisamos ficar ainda mais atentos com a osteoporose. (2)

A osteoporose é uma doença que tem como principal característica a perda de massa óssea, além da degeneração da microarquitetura óssea. Isso faz com que os ossos fiquem mais frágeis, colaborando para possíveis fraturas. (2)

Segundo estudos, as mulheres são as mais afetadas pela doença: uma a cada cinco mulheres acima dos 50 anos poderão desenvolver a osteoporose. E por que isso acontece? Na menopausa, os níveis de estrogênio caem bruscamente e esse hormônio é responsável por manter o equilíbrio entre ganhar ou perder massa óssea. Com o nível baixo, os ossos começam a ficar mais frágeis, se descalcificando. Os homens também possuem esse hormônio, só que em quantidade inferior. Para termos uma melhor noção, a osteoporose atinge um homem para cada quatro mulheres. (1)

As fraturas mais comuns causadas pela doença são: (1)

  • Bacia;
  • Coluna;
  • Braço;
  • Punho;

A mais preocupante, sem dúvida, é a da bacia. Além de poder levar à morte, a fratura neste local pode afetar bastante a qualidade de vida e a independência.(1)

Imagem ilustrativa

Quais são as causas da osteoporose?

Existem diversos fatores, como:

  • Dieta com baixa ingestão de cálcio e nutrientes como magnésio, vitamina A e D, zinco e outros; (3)
  • Menopausa precoce; (1)
  • Alcoolismo e tabagismo; (3)
  • Genéticos, como casos de osteoporose na família; (4)
  • Sedentarismo e má nutrição. (3)

Como citamos acima, a osteoporose geralmente não dá sinais. Quem sofre por causa da doença só se dá conta que a tem quando acontece uma fratura. É possível diagnosticar a osteoporose prematuramente por meio de um exame que mede a densidade óssea do paciente, chamado de densitometria óssea. (1)

Esse exame é recomendado para pessoas acima de 50 que tenham fatores de risco associados e mulheres na menopausa. A partir dos 65 anos das mulheres e 70 dos homens, a densitometria óssea começa a fazer parte dos exames de rotina como forma de prevenção. (1)

Infelizmente, a osteoporose não tem cura. Uma vez com a doença, não é possível eliminá-la. A melhor forma de tratamento, sem dúvidas, é a prevenção. Desde a infância, é preciso ter uma alimentação saudável, com ingestão de nutrientes como o magnésio, a vitamina D e o cálcio. Praticar exercícios físicos também é fundamental. (1,3)

Já no caso de mulheres pós-menopausa, a terapia com estrogênio tem tido ótimos resultados. De acordo com pesquisas, ela é o tratamento fisiológico ideal para a osteoporose. Fora que a reposição hormonal também foi aprovada como método para prevenir a doença. (3)

Como o magnésio pode ajudar na saúde óssea? 

O magnésio nada mais é do que um mineral e faz parte da composição dos ossos do corpo humano. (3)

O que acontece é que o magnésio é um condutor do cálcio. Quando o cálcio é ingerido, seja por suplementação ou alimentação, ele não é encaminhado para os ossos e dentes diretamente, e é aí que o magnésio entra: ele faz o papel de conduzir o cálcio para os ossos. Por isso, quando estamos com uma quantidade de magnésio abaixo do indicado no corpo, também acontece a diminuição de cálcio. (5)

Se o cálcio é ingerido sem o magnésio, ele pode ser acumulado em outras áreas do corpo, resultando em problemas cardíacos, nas articulações, no cérebro e até nos rins – fazendo com que surjam as pedras. (5)

Resumidamente, o magnésio previne a osteoporose porque consegue controlar o excesso de um hormônio chamado paratormônio – hormônio responsável por retirar o cálcio dos ossos. (5)

Por isso, dizemos que o magnésio auxilia na formação óssea. Quando os níveis deste mineral no corpo estão adequados, temos a saúde óssea preservada, além de um bom desempenho físico.(3,6)

Foi comprovado, ainda, que o magnésio tem a função de ajudar várias outras partes do corpo. Quando há insuficiência dele, os sistemas circulatório, nervoso e muscular também acabam sendo prejudicados. (5)

Além da osteoporose, a falta de magnésio pode causar problemas como dores nas articulações e artrite. (5)

Imagem Ilustrativa  

Onde encontrar o magnésio e como inseri-lo em nosso dia a dia?

O magnésio pode ser encontrado em diversos alimentos, como soja, gergelim, nozes, grão de bico, beterraba, amendoim, banana, uva, batata doce e até em peixes, como sardinha e atum. Além disso, é possível encontrá-lo em verduras como espinafre e couve. (5)

Atualmente, existem diversas opções de suplementação com magnésio no mercado. Como muitas pessoas têm dificuldade em consumir diariamente alimentos que possuem magnésio, a suplementação pode ser uma alternativa. (5)

As mais comuns e de melhor absorção pelo corpo são as que o magnésio está quelado, isso é, aliado à aminoácidos que ajudam na sua absorção, são os suplementos com o Magnésio na forma Bisglicinato e Malato.

Levando em consideração tudo que citamos acima, é importante visitar o médico regularmente, mesmo que não apresente nenhum sintoma. Exames anuais são fundamentais para a manutenção da saúde. Fora isso, é importante manter hábitos de vida saudáveis, como alimentação balanceada e a prática regular de exercícios físicos.

Na Vital, temos um suplemento chamado Vital Flór que, além de ter magnésio, também contém nutrientes muito importantes para a saúde, como cálcio, óleo de peixe e vitamina D, essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. Para conhecer mais, basta acessar: https://www.vitalatman.com.br/produto/vital-flor/

É importante ressaltar que, antes de começar a tomar suplementos ou praticar exercícios físicos, um médico deverá ser consultado.

FONTES: 

  1. 10 COISAS que você precisa saber sobre osteoporose. SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, 2009. Disponível em <https://www.endocrino.org.br/10-coisas-que-voce-precisa-saber-sobre-osteoporose/>. Acesso em 14 jan. 2021.
  2. FEIBER, Larissa; CAETANO Roberta. Magnésio e osteoporose. Revista Eletrônica Estácio Saúde, vol. 1, n. 1, 2012. Disponível em: <http://revistaadmmade.estacio.br/index.php/saudesantacatarina/article/viewFile/234/186>. Acesso em 14 jan. 2021.
  3. GUARNIERO, Roberto; OLIVEIRA, Lindomar Guimarães. Osteoporose: atualização no diagnóstico e princípios básicos para o tratamento. Bras. Ortop., v. 39, n. 9, 2004. Disponível em: <http://rbo.org.br/detalhes/24/pt-BR/osteoporose–atualizacao-no-diagnostico-e-principios-basicos-para-o-tratamento>. Acesso em 14 jan. 2021.
  4. PASSOS, Sandra de Paiva; TOMÉ, Fernanda Malagutti; REIS, Maria Juciara de Abreu. Levantamente de conduta alimentar e fatores de risco para o surgimento de osteoporose em mulheres no climatério. Health Sci Inst., v. 35, n. 3, p. 205-209, 2017. Disponível em: <https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2017/03_jul-set/V35_n3_2017_p205a209.pdf>. Acesso em 14 jan. 2021.
  5. LAURE, Bianca R. Silva; CHAVES, Daniela Rodrigues; HOTT, Mara Christina. Magnésio como condutor do cálcio: prevenção e tratamento de osteoporose e infarto agudo do miocárdio. In: CARDOSO, Nayara Araújo, ROCHA, Renan Rhonalty; LAURINDO, Maria Vitória (org.). Princípios em Farmácia 2. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019, p. 43-53. Disponível em: <https://www.atenaeditora.com.br/post-artigo/20046>. Acesso em 14 jan. 2021.
  6. CONHEÇA três aliados contra dor articular e ossos frágeis. Veja, 2019. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/saude/tres-aliados-contra-dor-articular-e-ossos-frageis/>. Acesso em 14 jan. 2021.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Novembro azul pode ter outro tom!

Como contribuir efetivamente com o Novembro Azul? Uma mensagem de incentivo ao diagnóstico e prevenção do câncer de próstata poderia ser o bastante, mas não

Óleo de manjericão, benefícios além da cozinha

O manjericão é usado na culinária tradicional há muitos anos, mas o que muitas pessoas não sabem é que o óleo extraído do manjericão tem muitos benefícios potenciais para a saúde!

O que é óleo de manjericão?
O óleo de manjericão é um extrato obtido das folhas da planta de manjericão (Ocimum basilicum).

Geralmente, o óleo de manjericão é utilizado em pratos finos, molhos, chás, aromaterapia e até mesmo em aplicações tópicas. Além de dar um delicioso sabor aos alimentos, o óleo de manjericão tem sido usado como coadjuvante no tratamento de doenças desde os tempos antigos.