Magnésio: saiba como ele atua no Sistema Neuromuscular

Sistema Nervoso Central: Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes
Share on facebook
Share on twitter

Já abordamos a diversidade de benefícios do magnésio algumas vezes aqui no blog.

Você pode conferir a importância deste mineral no nosso corpo clicando neste link:https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/ e, se quiser saber como ele pode contribuir no tratamento contra a ansiedade e depressão, é só clicar neste: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/magnesio-no-combate-depressao-ansiedade/.

Agora, você vai entender melhor como ele atua no nosso sistema neuromuscular. Vamos lá?!

Anatomia e fisiologia do sistema neuromuscular

– Sistema Nervoso Central:

Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes e, também, temos a medula espinhal,onde ocorrem muitas atividades motoras reflexas e circuitos neurais que estão diretamente associados à execução de movimentos, sendo eles voluntários ou não. (1)

– Músculos:

Temos três tipos que se diferenciam na organização celular e nas propriedades contrácteis. São eles: (1)

– Esqueléticos (ou estriados);

– Lisos;

– Cardíacos.

Entre as principais funções dos músculos, em especial dos esqueléticos, estão: (1)

– Produzir movimento;

– Estabilizar a articulação;

– Manter a postura;

– Produzir calor.

Para cumprirem essas funções, eles exercem quatro propriedades: (1)

– Excitação elétrica;

– Contração;

– Extensão;

– Elasticidade.

Caso você não saiba da importância do magnésio no nosso organismo, explicamos melhor nesta publicação: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/. Não deixe de conferir!

magnesio-saiba-como-ele-atua-no-sistema-neuromuscular

O magnésio e os músculos: entenda essa relação

No sistema neuromuscular, o magnésio está presente de maneira participativa na transmissão neuroquímica e na excitabilidade muscular, atuando no controle da atividade elétrica cardíaca, na contração muscular e no funcionamento das células nervosas.(2)

De uma maneira mais simples de explicar, enquanto o cálcio atua como estimulador da contração muscular, o magnésio age no relaxamento do músculo.(2)

Esse micronutriente essencial que, como já mostramos acima, exerce uma grande importância no nosso organismo, participa de muitos processos que afetam a função muscular, como: (3)

– Consumo de oxigênio;

– Produção de energia;

– Equilíbrio de eletrólitos.

A deficiência de magnésio pode resultar em hiperexcitação neuromuscular.(4)

Os principais sintomas neuromusculares de deficiência de magnésio no organismo podem ser:(2)

– Cãibras;

– Fasciculações (espasmos musculares);

– Parestesia (formigamento);

– Letargia (cansaço, fadiga);

– Fraqueza muscular;

– Tremores;

– Ataxia (apatia);

– Nistagmo (movimento involuntário dos olhos);

– Tetania (contrações musculares intermitentes, acompanhadas de tremores, paralisias e dores musculares);

– Mioclonia (contrações musculares súbitas e involuntárias, especialmente em mãos e pés);

– Irritabilidade neuromuscular;

– Convulsões.

magnesio-saiba-como-ele-atua-no-sistema-neuromuscular

Magnésio e Atividades Físicas

Quando praticamos alguma atividade, tendemos a aumentar a produção de radicais livres e antioxidantes. É pela alimentação que fornecemos antioxidantes para o organismo, e o déficit deles na dieta e de substâncias importantes podem resultar em estresse oxidativo. O magnésio é uma dessas substâncias super importantes, pois participa do metabolismo energético, da contração muscular e da regulação dos transportes de íons. (5)

Quando estamos em falta deste mineral, é possível notar um aumento da peroxidação lipídica e a diminuição da atividade antioxidante. Sendo assim, aumenta a resposta inflamatória no corpo. (5)

No que se trata o desempenho físico, quando há falta deste mineral, podem surgir lesões musculares mais sérias, deixando os músculos mais suscetíveis à infiltração de macrófagos e neutrófilos e também ao rompimento do sarcolema. Quando isso acontece, dificulta a regeneração e pode diminuir o desempenho físico. (5)

Não fornecer quantidade necessária de magnésio ao organismo, aumenta a exigência de oxigênio para concluir exercícios submáximos e pode reduzir a performance em exercícios endurance. (5)

Atletas tendem a ter perdas elevadas de magnésio através da urina e do suor em períodos de treinamento intenso. Por isso, sua necessidade deste mineral pode ser entre 10 e 20% maior do que as recomendações atuais para pessoas sedentárias. (5)

Por isso, a suplementação pode ser considerada para a melhora da função celular, revertendo um quadro de deficiência. (5)

Conscientes do quanto esse é um mineral essencial para o organismo e sempre pensando em como contribuir para a saúde dos nossos clientes com praticidade, responsabilidade e qualidade excepcional, em breve, o magnésio também será um dos protagonistas da nossa linha de produtos.

Fique atento à sua saúde e vá periodicamente ao médico!

Gostou desse artigo? Compartilhe com alguém especial.

FONTES: 
  1. CHAUD, Vitor Martins. Modelagem do sistema neuromuscular humano para estudo de contrações isométricas. 2013, 130 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Elétrica) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013. Disponível em <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3142/tde-30072013-204749/publico/Dissertacao_VMChaud_unprotected.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. MONTEIRO, Thaís Helena; VANNUCCHI, Helio. Funções plenamente reconhecidas de nutrientes – magnésio. ILSI Brasil. São Paulo, v. 16, 2010. Disponível em <https://ilsi.org/brasil/wp-content/uploads/sites/9/2016/05/16-Magne%CC%81sio.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. AMORIM, Samuel; LOUREIRO, Nuno. Magnésio e exercício físico. Federação Portuguesa de Ciclismo. Disponível em <https://www.fpciclismo.pt/ficheirossite/16102014094602.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. Os minerais na alimentação. Aditivos & Ingredientes. P. 33-44. Disponível em <https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201805/2018050469345001525704512.pdf>. Acesso em 22 set. 2020.
  1. BARBOSA, Mirceli Goulart et al. Micronutrientes na atividade física: um enfoque nos minerais. EFDEPORTES.COM. Revista Digital, n. 15, Buenos Aires, 2010. Disponível em <https://www.efdeportes.com/efd145/micronutrientes-na-atividade-fisica.htm>. Acesso em 05 out. 2020.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Benefícios do ômega 3 que todos os atletas precisam conhecer

Praticar exercícios é uma ótima maneira para ter corpo e uma mente saudáveis. Mas para algumas pessoas, como os atletas, a atividade física exige muito mais do organismo, fazendo com que eles se preocupem ainda mais com a saúde.

A boa notícia é que o ômega 3 pode ajudar atletas profissionais de várias formas: pode fortalecer os ossos, melhorar o desempenho dos músculos, aliviar as dores do pós treino e muito mais.

Saiba mais:

5 passos para deixar o açúcar

Você já pensou em comer um doce hoje ou, já comeu? Já tentou por várias vezes ficar sem um docinho mas não conseguiu? Então este texto está direcionado pra você, que ama açúcar mas não consegue deixar este vício!

Respeitar o próximo é respeitar a si mesmo: reflita sua relações

Soa quase um absurdo ainda ser tão preciso falar sobre a importância do respeito mútuo entre os seres humanospara se viver em sociedade, não é mesmo? Parece estar tudo tão claro, mas, a cada dia que passa, percebemos uma grande necessidade de escancarar as feridas ainda tão abertas e dolorosas