O papel do consumidor consciente

Share on facebook
Share on twitter
consumo

O consumo faz parte da nossa rotina. Ao longo das últimas décadas, com o rápido desenvolvimento econômico, percebemos que é inevitável que o uso crescente de água, energia e alimentos – recursos essenciais para nossa vida – causem um impacto na natureza.(1)

Tais implicações podem ser positivas ou negativas, influenciando tanto a economia e as relações sociais quanto a natureza e a vida dos animais. No entanto, o consumo incontrolável e compulsivo da sociedade vem trazendo consequências negativas ao meio ambiente, levando à super exploração dos recursos naturais, o que pode comprometer o equilíbrio ambiental. (2,3)

A boa notícia é que esses efeitos podem ser consideravelmente minimizados se simples práticas sustentáveis forem adotadas por todos. Ao ter consciência, você contribui com o seu poder de escolha para instaurar um mundo melhor, optando por atitudes que evitam o desperdício ou o gasto desnecessário de um material. (1,2,4)

Você se considera um consumidor consciente?

O consumo e o consumidor consciente

O consumidor consciente é aquele que se preocupa com a sua qualidade de vida e com os demais membros da sociedade, agindo de modo que possa contribuir para a melhoria da qualidade de vida de todos. (3)

Em outras palavras, podemos dizer que o consumidor consciente é um agente que transforma a sociedade por meio do seu ato de consumo, sempre buscando um equilíbrio entre satisfação pessoal e sustentabilidade. São gestos simples, mas que causam grande impacto no futuro. (1,2)

O Instituto Akatu, uma organização não-governamental que atua na conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente, realizou uma pesquisa com brasileiros para avaliar o grau de consciência do consumidor do país e constatou que apenas 4% das pessoas foram classificadas com um nível mais elevado (aquele em que o consumidor adota os comportamentos listados para um consumo consciente), enquanto 38% foi sinalizado como indiferentes, registrando de 0 a 4 comportamentos. De fato, a população brasileira ainda tem muito o que avançar nessa questão. (1)

Em contrapartida, há esperanças na geração que está se formando: o mesmo instituto realizou, em 2020, uma outra pesquisa no qual mostrou que mais de 70% dos consumidores, principalmente os mais jovens, querem que a iniciativa privada pare de agredir o meio ambiente e estabeleça metas para tornar um mundo melhor. Fazendo isso, essas empresas não só beneficiariam o meio ambiente como também cumpririam com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, formulada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que traz 17 objetivos para o planeta. (1,5)

Sendo assim, o consumo consciente é um estilo de vida que busca garantir a sustentabilidade da vida de forma equilibrada para que o presente e o futuro possam desfrutar dos recursos do planeta, que, sempre é válido lembrar, não são infinitos. (3)

consumo

Afinal, qual o papel do consumidor consciente?

Podemos caracterizar o consumo consciente por quatro dimensões: consciência ecológica, economia de recursos, reciclagem e planejamento do consumo. (3)

  • Consciência ecológica: está relacionada à preferência por produtos, empresas e serviços ecologicamente corretos. (3)
  • Economia de recursos: é sobre a fase do uso do bem adquirido de forma racional, evitando ao máximo o desperdí (3)
  • Reciclagem: retrata o descarte do bem, com práticas que permitam a reutilização e reaproveitamento dos materiais. (3)
  • Planejamento de consumo: refere-se à compra de produtos usados e à atenção em reutilizar os produtos sempre que possível, otimizando o uso racional dos recursos a partir de um estilo de vida mais simples. (3)

A partir daí, entendemos que o consumidor consciente se comporta de modo que possa:

  • Buscar o equilíbrio entre satisfação pessoal e a sustentabilidade. Afinal de contas, é possível viver com qualidade de vida, sem prejudicar o meio ambiente. É preciso maximizar os impactos positivos e minimizar os impactos negativos. (3)
  • Refletir sobre seus atos. Comece refletindo sobre o que é necessidade e o que é luxo. Pergunte-se se essa escolha é a mais correta, evite agir por impulso e coloque o respeito ao meio ambiente acima de tudo. (4)
  • Apoiar empresas que respeitam o planeta. Pesquisar, apoiar e comprar de empresas que valorizam a importância da visão ecológica é só o começo. Alguns produtos já vêm com a indicação nos rótulos sobre o compromisso com o meio ambiente e várias marcas também se posicionam de modo assertivo nesse assunto. Um consumidor consciente fica atento a esses detalhes que fazem toda a diferenç (2)
  • Multiplicar o conhecimento. A falta de informação é um dos maiores obstáculos da conscientização da população. Por essa razão, um consumidor consciente sempre encoraja amigos e familiares a adotarem novas práticas, dão mais visibilidade ao assunto e colocam a pauta em jogo. Quanto mais pessoas descobrirem sobre as práticas de consumo consciente, melhor! (2)

consumo

Algumas ações para o consumo consciente

A seguir, listamos algumas ações que você já pode adotar hoje para cumprir o papel de consumidor consciente e se tornar um agente transformador do planeta.

  • Comprar somente o necessário;
  • Planejar suas compras;
  • Reaproveitar tudo o que puder;
  • Evitar o desperdício de água e energia;
  • Utilizar mais transportes alternativos, como a bicicleta;
  • Separar corretamente o lixo para reciclagem.

Existem várias outras atitudes que podem contribuir para a preservação do meio ambiente. Só basta você assumir e honrar esse compromisso com a vida e com as próximas gerações!

Fontes:
  1. BRASIL. Ministéria da Educação. Universidade Federal do Vale do São Francisco. Saiba a importância de ser um consumidor consciente. Disponível em: <https://portais.univasf.edu.br/sustentabilidade/noticias-sustentaveis/saiba-a-importancia-de-ser-um-consumidor-consciente>. Acesso em 07 fev. 2022.
  2. PROTEÇÃO ANIMAL MUNDIAL. O papel do consumidor. Disponível em: <https://www.worldanimalprotection.org.br/consumo-consciente/papel-do-consumidor>. Acesso em 07 fev. 2022.
  3. CRUZ, Camila Oliveira da. Consumo consciente. Info Escola. Disponível em: <https://www.infoescola.com/desenvolvimento-sustentavel/consumo-consciente/>. Acesso em 07 fev. 2022.
  4. ECO – UNIFESP. Consumo Consciente. Disponível em: <https://dgi.unifesp.br/ecounifesp/index.php?option=com_content&view=article&id=11&Itemid=15>. Acesso em 07 fev. 2022.
  5. CASTRO, Luiz Felipe. Impulsionado pela pandemia, consumo consciente ganha espaço. Veja, 2021. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/cultura/impulsionado-pela-pandemia-consumo-consciente-ganha-espaco/>. Acesso em 07 fev. 2022.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Ômega 3: saiba porque ele é bom para o cérebro!

As estatísticas mostram que a longevidade está aumentando em todos os países do mundo. Esta é uma boa notícia, mas que traz uma preocupação: não adianta viver mais, é preciso também viver melhor.

Isso já é possível graças aos avanços da medicina e da mudança do estilo de vida dos idosos que estão mais conscientes da prática de exercícios físicos e de uma boa alimentação.

E com a idade, um dos principais cuidados deve ser com o cérebro, uma vez que existem várias doenças ligadas a idade, principalmente o Mal de Parkinson e o Alzheimer.

Prevenção das doenças cerebrais

As doenças cerebrais estão entre as enfermidades do corpo mais incapacitantes e temidas pelas pessoas, porque danificam as funções cerebrais responsáveis, pela atividades motoras, sensitivas, fala, audição, visão, olfato, tato, raciocínio, julgamento, pensamento, comportamento e sentimento. As doenças cerebrais promovem a interrupção das conexões mente-corpo. Desencadeia muito sofrimento, perdas, dor, incapacidade física, psíquica, gera transtornos temporários ou definitivos. Por isto, é prudente as pessoas tomarem consciência, das possíveis causas das doenças cerebrais, e atuar sempre de modo preventivo.

Alimentos ricos em ômega 3 que seu corpo precisa agora!

Quais são os alimentos ricos em Ômega 3 que seu corpo precisa para dar um up na sua saúde agora mesmo?

Ômegas 3 são ácidos graxos “essenciais” porque o corpo não é capaz de produzi-los por conta própria. Portanto, devemos confiar nos alimentos ômega 3 em nossas dietas para suprir esses compostos extremamente benéficos.

Existem três tipos diferentes de ômega 3: ácido alfa-linolênico (ALA), ácido docosahexaenóico (DHA) e ácido eicosapentaenoico (EPA).