O perigo silencioso causado pela inflamação crônica do organismo

Share on facebook
Share on twitter
inflamação

A inflamação nos é apresentada como um processo benéfico do nosso organismo, justamente por se tratar de um recurso do corpo para combater infecções, ferimentos e toxinas através do sistema imunológico. De fato, é algo positivo para a nossa recuperação de algum acidente, como torcer o tornozelo. Porém, a inflamação pode causar danos à saúde e estar envolvida na causa ou agravo de certas doenças. Esse problema acontece de forma silenciosa e afeta milhões de pessoas. (1,2,3)

No texto de hoje, vamos falar sobre a inflamação do tipo crônico e entender o porquê ela acontece, além de saber como podemos manter o organismo em equilíbrio.

O que, de fato, é a inflamação?

Primeiramente, vamos explicar o que é o processo inflamatório em si para, depois, especificarmos os seus tipos e origens. A inflamação é nada mais nada menos do que uma função do sistema imune acionada quando um patógeno invasor é detectado ou, também, diante de um dano tecidual. (3)

Acontece assim: em torno do local lesionado, os pequenos vasos (capilares) se dilatam trazendo mais sangue para a área, então, eles ficam mais porosos, permitindo que mais fluidos, proteínas e glóbulos brancos sejam liberados entre as células, para que a área afetada seja contida. Sendo assim, essa região fica quente, vermelha e inchada. (3)

Consequentemente, a pressão dos líquidos e das moléculas inflamatórias causa dor ao irritar as fibras nervosas. Portanto, o tecido na região inflamada pode não funcionar como deveria, causando, por exemplo, dificuldades para se movimentar ou outros sintomas, dependendo do local afetado. (3)

Ao eliminar o patógeno invasor, começa o processo de reparação. As células que sobreviveram se multiplicam, com a finalidade de reparar a lesão. Quando não é possível regenerar o tecido danificado, surge o tecido cicatricial. Assim que o objetivo é atingido, a tendência é que tudo volte ao normal. (1,3)

O detalhe chave está na informação a seguir: se a ameaça persiste e o sistema imune é mantido acionado ou ele reage como se estivesse em alerta, a inflamação continua e pode causar danos e problemas mais graves. (3)

A diferença entre inflamação aguda e crônica

Agora que você já sabe o que é uma inflamação, vamos diferenciá-las em seus dois tipos: a aguda e a crônica. A inflamação aguda é caracterizada por ter um início rápido e de curta duração. Ocorre o que nós já explicamos acima: na região lesionada o organismo se mobiliza para expulsar os invasores para que, em seguida, possa recuperar e proteger os tecidos atingidos. (1,4)

Quando a inflamação é crônica, a história fica um pouco diferente. Podemos compará-la a um trem desgovernado carregado de citocinas, que são constantemente disseminadas na circulação do corpo, causando inflamação nos tecidos. O esperado é que o sistema imunológico detenha os possíveis danos e o avanço do distúrbio, porém, pisar nos freios não é uma tarefa tão simples e fica mais difícil com o tempo, já que o corpo fica cansado e as células enviadas pelo sistema imune para combater os danos não conseguem acompanhar a demanda. (2)

inflamação

O que pode causar a inflamação crônica e quais as consequências?

A inflamação age de forma silenciosa e, muitas vezes, nem percebemos. Uma variedade de fatores pode provocá-la e não temos controle sobre alguns desses fatores, enquanto outros podemos controlar.  Um deles é não se alimentar bem, fumar, ser muito estressado e não praticar atividades físicas, um cenário que pode ser revertido a partir de uma mudança de estilo de vida. (2)

Em seguida, listamos alguns tipos de alimentos que contribuem para estimular a inflamação crônica. Ou seja, é melhor evitar. Acompanhe: (2)

  • Alimentos ricos em açúcar;
  • Alimentos ricos em gorduras saturadas (carnes, aves e laticínios);
  • Alimentos refinados/processados;
  • Alimentos que contém gorduras trans;
  • Glúten;
  • Álcool.

Como dissemos, a inflamação crônica de baixo nível pode circular por aí sem causar nenhum sintoma até que as coisas fiquem sérias. Quando não tratada, ela pode resultar em uma ampla gama de sérios problemas de saúde, como vários tipos de câncer; doença cardíaca e AVC; Alzheimer e comprometimento da capacidade cognitiva; nefrite e doença renal crônica; doença respiratória crônica; distúrbios da próstata; osteoporose; degeneração macular relacionada à idade; depressão; artrite reumatoide; doença inflamatória intestinal; diabetes; asma. (2)

É importante saber, também, que a obesidade, diabetes, resistência à insulina, doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, psoríase, doença inflamatória do intestino, hipersensibilidade, eczema, asma, gota, artrite reumatoide, entre outras, são doenças em que a inflamação crônica desempenha um papel central. (3)

Pois é, são diversos problemas e a gente ainda nem citou as famosas “ites”, que significam “doença caracterizada por inflamação”, como pericardite (inflamação do coração), osteomielite (inflamação óssea) e encefalite (inflamação do cérebro). Viu só como a inflamação crônica é nociva para a nossa saúde? (2)

inflamação

Como combater a inflamação crônica e manter o organismo em equilíbrio

Além de promover uma mudança verdadeira no estilo de vida, uma das modificações mais importantes diz respeito à dieta. Uma boa estratégia é priorizar alimentos que trazem propriedades anti-inflamatórias, pois, além de potencializarem a recuperação das fibras musculares e evitar lesões, esses alimentos proporcionam benefícios para a melhora do desempenho e para a saúde de quem pratica atividades físicas. (5)

Entre os alimentos com propriedades anti-inflamatórias estão gengibre, cúrcuma,  tomate, alho, a pimenta, maracujá, romã, frutas vermelhas, chá verde, azeite de oliva, linhaça, chia e peixes, como sardinha, arenque, cavala, salmão e truta. (5)

Finalizando o texto, concluímos que o melhor método de evitar futuros problemas de inflamações crônicas é levar um estilo de vida saudável, um estilo Vital de viver a vida. Por isso, reflita sobre suas atitudes e convide outras pessoas a refletirem também. Apesar de silenciosa, estamos falando de uma condição que pode comprometer o seu bem-estar. Quem ama, se cuida!

Fontes:
  1. OLIVETO, Paloma. Inflamação crônica pode causar doenças graves. Estado de Minas, 2013. Disponível em: <https://www.em.com.br/app/noticia/tecnologia/2013/01/11/interna_tecnologia,342595/inflamacao-cronica-pode-causar-doencas-graves.shtml>. Acesso em 30 mar. 2022.
  2. COOPER, Craig. Chronic Onflammation is a Silent Killer of Men. Huffpost, 2017. Disponível em: <https://www.huffpost.com/entry/chronic-inflammation-is-a-silent-killer-of-men_b_590cef7ce4b056aa2363d4ec>. Acesso em 30 mar. 2022.
  3. ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA. Entender e combater a inflamação – causas, tratamento e prevenção. Disponível em: <https://www.saudedafamilia.org/sua_saude/inflamacao.pdf>. Acesso em 30 mar. 2022.
  4. ANDRADE, Bruno Augusto Benevenuto de. Inflamação. Patologia Oral, p. 9-20. Disponível em: <https://statics-shoptime.b2w.io/sherlock/books/firstChapter/125586931.pdf>. Acesso em 30 mar. 2022.
  5. ASBRAN – Associação Brasileira de Nutrição. Alimentos anti-inflamatórios ajudam a proteger o organismo. Disponível em: <https://www.asbran.org.br/noticias/alimentos-anti-inflamatorios-ajudam-a-proteger-o-organismo>. Acesso em 30 mar. 2022.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM