alimentos funcionais e superalimentos

A diferença entre alimentos funcionais e superalimentos

Provavelmente você já deve ter ouvido falar em alimentos funcionais e no termo “superalimentos”, popularizados nos últimos anos pelo crescente interesse em assegurar refeições mais saudáveis no dia a dia. Da perda de peso até a prevenção do câncer, (1) esses supostos mantimentos poderosos integram dietas milagrosas e cada vez mais adentram nossos lares. Logo, a fama gera dúvidas: será que essas denominações estão corretas? Superalimentos e alimentos funcionais são a mesma coisa? E, afinal, por que são considerados importantes? Nesse texto, você vai descobrir que alimentos milagrosos não existem e que uma alimentação equilibrada e diversificada é o caminho mais potente a ser seguido. (2) Superalimentos: existem mesmo ou é só marketing? A expressão “superalimentos” foi mencionada pela primeira vez em 2004, no livro “SuperAlimentos: Quatorze alimentos que mudarão sua vida” escrito pelo Doutor Steven Pratt. Mais tarde, com a disseminação desse termo, surgiram outros alimentos, além dos 14 apresentados pelo médico. (3) Superalimento é uma descrição utilizada para caracterizar produtos abundantes em nutrientes e considerados especialmente benéficos para a saúde. No entanto, não se trata de uma nomenclatura científica, mas de uma definição voltada para fins comerciais. (1) Reforçando: o termo “superalimento” é apenas uma criação de marketing alheia a qualquer determinação científica. (2) É preciso ter em mente que esses alimentos são excelentes para a manutenção da saúde, mas esse fato não os torna independentes e autossuficientes na dieta. Eles detêm agentes inibidores de doenças, oferecem propriedades anti-inflamatórias, reforçam o sistema imunológico e regulam o metabolismo. No entanto, a utilização do termo

LER MAIS
espiritualidade

Os efeitos da espiritualidade na saúde física e mental

Antes de mais nada, ao contrário do que o título possa sugerir, esse texto não é sobre religião. Falar de fé é falar sobre espiritualidade, um termo muito amplo, particular e abstrato. Qual o significado da vida? Acreditar que existe algo muito maior que nós mesmos pode ter o poder de influenciar positivamente a nossa saúde física e mental? Será que a fé desempenha tamanha capacidade sobre nós? A ciência acredita que sim e nós também! Religiosidade x Espiritualidade Esses termos estão relacionados sim, mas é essencial deixar claro que não são sinônimos. A espiritualidade pode ser compreendida como a busca do sentido da vida através de conceitos que vão além do tangível. É como se houvesse uma conexão com algo além do que se vê e a religião pode ser incluída como um instrumento da espiritualidade. (1) Na religião, temos os cultos e doutrinas compartilhados por um grupo, já na espiritualidade, existe a crença em aspectos espirituais que justifiquem a nossa existência e o nosso propósito de vida. (1) (SAAD et al., 2001; POWELL et al., 2003 apud GUIMARÃES; AVEZUM, 2007) Espiritualidade e seus efeitos positivos O JAMA Internal Medicine apontou, em um estudo em 2016, que jovens com maior grau de espiritualidade tendem a ter uma saúde melhor durante a vida adulta. (2) Uma prestigiada clínica médica americana chamada Mayo Clinic realizou um trabalho que concluiu que o envolvimento com a espiritualidade e com a religião são capazes de aumentar a capacidade de lidar com problemas, melhorar a qualidade de vida até no enfrentamento

LER MAIS
dietas vegana e vegetariana

O ômega 3 nas dietas vegana e vegetariana

Certamente, você conhece alguém no seu grupo de amigos que é adepto ao vegetarianismo ou veganismo. As razões pessoais por de trás da crescente adesão a esses estilos de vida podem ser diversas. Os principais motivos estão relacionados à saúde, ética, religião, meio ambiente, economia e ao acolhimento dos direitos dos animais. (1) Enquanto os vegetarianos não se alimentam de carne, os veganos excluem da alimentação tanto a carne, quanto qualquer substância de origem animal. Logo, devido à dieta mais restrita desses grupos, alguns nutrientes ficam de fora e precisam ser compensados. (2) É o caso do ômega 3, um tipo de gordura saudável essencial para a manutenção da saúde e prevenção de doenças. Já citamos a importância desse nutriente por aqui, que tem, como algumas de suas fontes, ovos e peixes. (1,3) Sendo assim, será que é possível uma pessoa que não come esse tipo de alimento conseguir suprir as necessidades de ômega 3 para o organismo? Esse é o assunto que vamos abordar neste texto. Vegetarianismo: restrito à alimentação  O vegetarianismo tem sido uma opção nutricional desde o início dos tempos. Ao longo da história, essa prática difundiu-se com a cultura de todo o mundo. Grandes filósofos e pensadores aderiram a essa rotina, iniciando por Pitágoras, passando por Leonardo da Vinci, Benjamim Franklin, Mahatma Gandhi e Albert Einstein. (1) Mas, afinal, o que é ser vegetariano? Do ponto de vista nutricional, significa não se alimentar de nenhum tipo de carne (vaca, frango, peixe, “frutos” do mar), nem de produtos feitos com carne (presunto,

LER MAIS
meditação

Como a meditação pode ajudar no controle das emoções

Por muito tempo, a meditação foi vista mais como um assunto religioso e filosófico do que de saúde. Embora ela seja praticada há, no mínimo, 3 mil anos pelos budistas, nas últimas décadas, a ciência vem comprovando os benefícios da meditação associados a diversos fatores importantes para a nossa saúde, como no controle da ansiedade e estresse, além de contribuir para o autoconhecimento e qualidade de vida, já sendo indicada como terapia complementar para pessoas de todas as idades, inclusive as crianças. (1) Segundo a OMS, o Brasil é o país com o maior índice de pessoas ansiosas no mundo. Com certeza, esse não é o tipo de ranking que queremos fazer parte, mas, infelizmente, estima-se que mais de 18 milhões de brasileiros convivem com esse transtorno que ainda é tratado como um grande tabu e ignorado por muita gente. Insegurança, medo, condições sociais, correria do dia a dia, excesso de trabalho e outros motivos, geralmente, influenciam o nosso estado mental, gerando angústia e estresse. A ansiedade é considerada natural em muitas situações, principalmente naquelas relacionadas às expectativas que criamos sobre algo, como o momento que antecede uma prova importante ou um encontro, porém, em muitas pessoas, esse sentimento de estar em alerta é algo presente o tempo todo e é aí que isso se torna um grande problema. (2,3) Mudanças de hábitos como uma alimentação mais saudável e prática de atividades físicas, terapia, uso de medicamentos, dependendo do diagnóstico, e meditação são uns dos mais importantes pilares no tratamento de uma mente ansiosa. (3)

LER MAIS
Chlorella e Spirulina

Chlorella e Spirulina são a mesma coisa? Descubra agora

Devido à crescente adesão ao consumo de ingredientes naturais associado a um estilo de vida mais saudável e solidário ao meio ambiente, o interesse no poder nutritivo dos componentes Chlorella e Spirulina, frequentemente usadas como suplemento alimentar, tem aumentado cada vez mais. Sendo a primeira uma microalga, enquanto a outra é pertencente à categoria de cianobactéria (1), essas denominações revelam o primeiro ponto que as distinguem, já que muitos acreditam ser a mesma coisa. Neste texto, entenderemos um pouco mais sobre a diferença entre a Chlorella e a Spirulina, os benefícios e suas respectivas funções, além de como incluí-las na dieta do dia a dia. Vamos lá? A importância da Chlorella e a Spirulina na alimentação A Chlorella e a Spirulina, ambas de água doce (2), são ricas em proteínas, vitaminas, polissacarídeos, ácidos graxos e minerais primordiais para a saúde. Podem contribuir com o controle das taxas de colesterol e triglicérides, como também atuar no estímulo do sistema imunológico. (3) E tem mais: tanto a Chlorella, quanto a Spirulina destacam-se pela alta concentração da vitamina B12, um micronutriente excelente para o metabolismo energético e sistema nervoso (4), presente em carnes, leite, queijos e ovos. (1)      Chlorella e o poder da detoxificação  A Chlorella é uma microalga que pode ser cultivada até no espaço! (4) Por abranger um alto conteúdo proteico de fácil absorção, se torna ainda mais relevante para quem não come carne. (1) Sem dúvidas, a propriedade marcante da Chlorella é a capacidade de detoxificação e melhora da imunidade. (2) Estudos recentes apontam

LER MAIS
meio ambiente

10 atitudes para cuidar do planeta!

Como você atua diretamente para preservar o meio ambiente e cuidar dessa “casa” que compartilha com todos os outros seres existentes chamada planeta Terra? Cada dia que passa sem cuidarmos do nosso lar é uma derrota nessa batalha tão dura que devemos travar contra toda a exploração acumulada por milhares de anos e causada, principalmente, por nós, homens! Hoje, sentimos na pele o peso de tanto descaso e desrespeito pelo meio ambiente através de vários indicadores, como espécies em extinção, queimadas, seca, excesso de poluição, escassez de recursos naturais, aquecimento global, buraco na camada de ozônio e diversos outros. Em busca do poder e da lucratividade a qualquer custo, o homem provocou impactos imensuráveis e, sem dúvida alguma, é preciso mudar radicalmente nossos hábitos e a maneira que vivemos hoje para deixarmos um planeta melhor para quem chegará no futuro: nossos filhos, netos, bisnetos e as gerações seguintes… Claramente, é preciso convocar uma união entre diversos poderes públicos e empresas nessa luta, porém, cada pequena mudança que adotarmos no nosso dia a dia, já é capaz de fomentar e conscientizar mais e mais pessoas a fazerem o mesmo! Muitos pesquisadores relacionam o surgimento de doenças virais com a degradação ambiental, a falta de práticas sanitárias e a destruição de ecossistemas naturais. De acordo com o sistema Deter-B, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em abril de 2020, o número de desmatamento da Amazônia subiu 63,75% se comparado ao mesmo mês em 2019. Não estamos aprendendo mesmo a lição?! (1) Por isso, nesse texto, separamos

LER MAIS
linhaça

Como incluir a linhaça no dia a dia

Quando falamos de alimentos funcionais, a linhaça, com certeza, estará entre eles, pois ela é uma poderosa semente que é fonte de ácidos graxos ômega 3 e ômega 6. (1) Considerada uma boa fornecedora de proteínas e fibras, a linhaça pode beneficiar a saúde cardiovascular, além de auxiliar no controle do diabetes e obesidade. (2) Existem muitas outras vantagens no consumo da linhaça, seja ela em óleo, farinha ou semente. Neste texto, falaremos uma pouco mais sobre essa oleaginosa e como a inserir no dia a dia.  Por que a linhaça vale a pena? Os atributos da linhaça já começam no fato de ela ser considerada um alimento funcional. Pois, ao receber essa denominação, revela que, além dessa semente possuir propriedades nutricionais básicas, também contém compostos bioativos que são potencialmente benéficos para saúde e cooperam na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, sendo segura para o consumo sem supervisão médica. No entanto, é evidente que as recomendações variam conforme cada alteração e necessidade fisiológica. (2) A linhaça é produzida pela planta Linho (Linum usitatissimum L.) e pode ser encontrada em duas cores: marrom ou amarelo dourado. (3) Enquanto a semente marrom é característica de climas tropicais, como o Brasil, a dourada surge em climas frios, típico do Canadá. (2) Apesar da diferença na coloração, os nutrientes são os mesmos. (3) Sua composição oleaginosa é rica em gordura, polissacarídeos e proteínas. A semente possui até 41% de lipídeos, pode chegar em até 33% de fibra alimentar, 21% de proteína e 7% de umidade. Percorrendo o perfil

LER MAIS
Atividade física

Atividade física e sistema imunológico: entenda essa relação

Nossa saúde depende muito do sistema imunológico e isso ganhou ainda mais evidência durante a pandemia que estamos vivendo. Mas o que exatamente a atividade física tem a ver com o sistema imunológico? É sobre isso que falaremos no texto de hoje. Saúde, bem-estar e qualidade de vida nunca estiveram tão em alta como neste momento. O ato de se cuidar passou a ser um estilo de vida que tem sido adotado por grande parte da população. Investir na saúde, praticar esportes e cuidar da mente tem sido a maior “moda” da sociedade atual. Embora seja comprovada a ligação direta entre a atividade física e a imunidade, é importante ressaltar que exercícios físicos não nos impedem de sermos infectados por alguma doença. A ajuda vem por meio de um reforço no sistema imunológico, que melhora a resposta do corpo tornando-o mais forte para combater esse tipo de perigo. (1) Como funciona o mecanismo de defesa do organismo? Nosso sistema imunológico é o grande defensor do nosso organismo. Ele é composto por células, tecidos, órgãos e moléculas. Esse sistema garante o reconhecimento de células e substâncias estranhas e age na destruição ou neutralização dos invasores, graças às respostas que recebe dos seus componentes. Essa resposta é fundamental para garantir que o corpo desenvolva ou não uma doença ou até mesmo a duração que ela terá. O sistema imune consegue diferenciar as células do próprio corpo das que são consideradas “invasoras” e garante a defesa do nosso organismo.(2) E como as atividades físicas podem contribuir com o

LER MAIS
Antioxidantes

Antioxidantes: 5 motivos para consumir

Existem substâncias que são consideradas super-heroínas para o nosso organismo, com verdadeiros superpoderes. É o caso dos agentes antioxidantes! Por serem tão benéficos a saúde, já falamos sobre eles algumas vezes aqui no blog, mas, por se tratar de algo tão essencial ao nosso corpo, o assunto é sempre bem-vindo novamente. Além de reforçar o que são os antioxidantes e os seus principais benefícios, nesse texto vamos apresentar motivos comprovados para que eles não fiquem fora das nossas vidas. Antioxidantes: quem são vocês? Os agentes antioxidantes são vitaminas, minerais e outras substâncias químicas que protegem as células de elementos prejudiciais produzidos durante seu próprio metabolismo. Esses agentes são as principais substâncias que combatem os radicais livres, causadores de males como doenças degenerativas, cardíacas, derrames, alguns tipos de câncer e doenças relacionadas ao envelhecimento.(1) São considerados tipos de antioxidantes: vitaminas A, C e E, selênio, compostos fenólicos e carotenoides. (1) Eles são classificados em dois grupos: os enzimáticos e não enzimáticos. Os enzimáticos são os antioxidantes sintetizados pelo nosso próprio organismo. Os não enzimáticos são essencialmente ingeridos através de diversas fontes alimentares, especialmente frutas, legumes e vegetais. (2) Agora vamos direto ao ponto! Conheça cinco motivos que listamos para inserir os antioxidantes no seu dia a dia e ter uma vida mais saudável e feliz. 1 – Combate ao envelhecimento precoce A tão sonhada poção da juventude eterna ainda não foi descoberta, mas já sabemos que existem substâncias superpoderosas que dão uma grande ajuda para a vitalidade do nosso organismo. Os agentes antioxidantes são um belo

LER MAIS
Autocuidado

5 atitudes para se cuidar mais desde já!

Quantas vezes você já colocou o outro em primeiro lugar e perdeu o protagonismo da própria vida se deixando sempre para depois? Poderia listar diversos momentos em que isso aconteceu, não é mesmo? A gente entende, pois acontece com muitas pessoas e com grande frequência, colocando como prioridade, principalmente, aqueles que amam: filhos, amigos, marido, mulher, pai, mãe, irmãos… A lista de pessoas importantes para nós costuma ser um tanto quanto extensa, mas e nós? Na escala de importância da nossa vida, em que lugar estamos? É preciso cuidar de si para cuidar do outro, e, quando nos cuidamos, inspiramos os outros a se cuidarem também. Vamos falar mais sobre isso? Cuidar de si é se enxergar com uma lente de afeto e acolhimento, tendo consciência de quem é, como quer levar a vida e tudo aquilo que deseja viver. Não faz sentido almejar uma vida longa e com qualidade sem colocar como prioridade o autocuidado: um conjunto de diversas atitudes que visam o nosso bem-estar. Para se cuidar, é preciso se ouvir, estar atento às próprias necessidades e buscar desenvolver hábitos que nos fazem bem. Na correria do dia a dia, tampamos o ouvido para a nossa escuta interna, colocando no volume máximo todas as cobranças e responsabilidades externas. O trabalho, os estudos, os outros… esses parecem ter um autofalante sobre nós, não é mesmo? É claro que todos esses fatores são essenciais na nossa história, mas não a todo e qualquer custo, não quando isso nos custa a nossa saúde e a nossa

LER MAIS
ômega 3 e gestação

Ômega 3: qual a importância para gestantes?

Os cuidados com a saúde devem estar presentes em todas as fases da vida, mas algumas, em especial, requerem mais atenção, como a gestação. O ômega 3 é um nutriente que pode ser aliado das mamães nessas fases que passam a ser cruciais em sua vida: gravidez, amamentação e a própria saúde do recém-nascido. Mulheres gestantes precisam cuidar de si e dos pequenos que estão a caminho. Estes pequeninos seres chegam ao mundo tão indefesos que precisam dos cuidados da mãe desde o ventre para que tenham um nascimento seguro e um desenvolvimento saudável. Ao longo da gravidez, a mulher possui diferentes necessidades nutricionais. O pré-natal é fundamental nesta fase, pois o acompanhamento mensal garante que todos os cuidados serão tomados. Além de explicarmos sobre os benefícios do ômega 3, vamos mostrar qual o melhor tipo de ômega 3 para o consumo durante o período de gestação. Ômega 3 Famoso no mundo e citado diversas vezes aqui no blog, já que suas funções são tão benéficas a saúde, o ômega 3 são ácidos graxos essenciais que não são fabricados pelo nosso organismo. Por ser fundamental à nossa saúde, precisamos garantir a ingestão dele através de alimentos e suplementos no dia a dia.(1)   Entre os benefícios mais conhecidos e relevantes, podemos citar: fortalecimento da memória, concentração e funções cognitivas, melhora no quadro de doenças cardiovasculares e obesidade.(2) Todos esses benefícios já foram amplamente estudados por médicos e cientistas. O que está na mira dos pesquisadores mais recentemente é como esse nutriente pode auxiliar a mulher

LER MAIS
Sistema digestório e imunidade

Sistema digestório e imunidade: qual a relação?

Estamos acostumados a pensar que o trato gastrointestinal serve apenas para digestão e absorção dos alimentos, mas na realidade, ele também tem ligação com o bom funcionamento do sistema imunológico, sabia? Nesse texto, vamos abordar como o intestino faz para ser um ótimo aliado para a imunidade, doenças que podem aparecer quando o intestino não está regulado e também vamos deixar algumas curiosidades interessantes sobre esse órgão tão importante. Intestino x sistema imunológico: qual é a relação? Como citamos acima, temos um pensamento errado a respeito do nosso intestino. Além de ter como função absorver alimentos, é no intestino que está alojada a maior coleção de células imunes do corpo. Essas células estão em plena atividade e ficam localizadas exatamente na mucosa do intestino. (1) Para entendermos melhor essa relação do intestino com o sistema imune, precisamos falar sobre a microbiota intestinal. Contendo mais de 100 trilhões de bactérias comensais de 1200 espécies diferentes, elas são super importantes para a saúde humana. Além de facilitar o metabolismo dos nutrientes e a resistência ao aparecimento de patologias, elas também promovem a integridade das células epiteliais, além de auxiliarem no desenvolvimento do sistema imunológico. (1,2) Essa relação entre a microbiota intestinal e o sistema imune é tão essencial que acaba dando uma resposta imune a doenças em órgãos além do intestino, como o trato urinário e o pulmão, por exemplo. Por isso, quando há alguma perturbação na diversidade, quantidade e estrutura das comunidades comensais intestinais, há chances do surgimento de doenças infecciosas e imunomediadas. (2) É importante

LER MAIS