Por que cúrcuma é bom? Conheça os seus benefícios.

Share on facebook
Share on twitter
Cúrcuma

Já ouviu falar da cúrcuma? Ela é uma velha conhecida dos apaixonados pela culinária. Mas sabia que a cúrcuma vai muito além da função de tempero? Ela desempenha inúmeros benefícios para a saúde – inclusive é considerada uma planta medicinal. Nesse texto, falaremos um pouco sobre a cúrcuma e os benefícios que ela promove.

Da Ásia para o mundo: conheça a origem da cúrcuma

A ideia de usar plantas para fins medicinais é antiga. O uso da cúrcuma na índia, em especial, já acontece há muito tempo – cerca de 4.000 a. C. (1)

No começo, a cúrcuma era usada por causa do sabor e por ter propriedades similares ao gengibre. Depois, ela acabou se destacando por suas propriedades etnomedicinais, que compreendem ação antimicrobiana, antioxidante, anti-inflamatória, entre outras. (1)

É extraída da raiz de uma planta chamada Cúrcuma longa L. e é utilizada na cozinha como tempero, condimento alimentar e até corante alimentício. (1)

Aqui no Brasil, a cúrcuma chegou por volta dos anos 80 e acabou ganhando vários nomes, um dos mais conhecidos é o açafrão. (1,2)

Apesar de sua origem asiática, essa planta acabou ganhando o coração – e o paladar – dos brasileiros, sendo cultivada em diversos estados. (2)

Composição da planta

Uma das coisas que mais chama atenção na cúrcuma é a cor. E não é por menos, o amarelo avermelhado deixa os pratos com um charme a mais. O aroma picante também acabou conquistando os fãs de comidas apimentadas. Mas de onde vem tudo isso? Vamos explicar.

A cúrcuma é composta por óleo essencial, rico em sesquiterpenos oxigenados (responsáveis pelo aroma picante). Já os compostos de curcuminoides (curcumina, desmetoxicurcumina e bisdesmetoxicurcumina) são responsáveis pela pigmentação dos caules (pigmento fenólico de cor amarelo avermelhado), tendo a curcumina como principal substância ativa, além de outras substâncias. (1)

Imagem Ilustrativa

O que é a fitoterapia?

Como falamos no começo do texto, a cúrcuma é considerada uma planta medicinal e, consequentemente, é fitoterápica.

Para entender melhor o que isso significa, precisamos voltar um pouco no tempo. A fitoterapia teve início na China por volta de 3.000 a.C. Nessa época, os chineses desenvolveram laboratórios para pesquisas científicas e estudavam as propriedades medicinais da cânfora e do ginseng. (1)

Ou seja, há anos, se tem o conhecimento do uso de plantas medicinais para fins terapêuticos e isso é passado de geração para geração de forma empírica por intermédio de experimentos caseiros e da produção humana, o que auxiliou na descoberta de medicamentos naturais e fitoterápicos aplicados na medicina moderna (4)

Resumidamente, a fitoterapia é o estudo de plantas medicinais e suas aplicações na prevenção, na cura ou no tratamento de doenças dentro de um sistema holístico.

Poder medicinal da cúrcuma e seus benefícios para a saúde

Por meio da etnobotânica, foi possível descobrir os benefícios da cúrcuma para o combate e prevenção de: malária, câncer, diabetes, hepatite, artrite, colesterol, triglicerídeos, processos virais, bacterianos, microbianos e fúngicos. (4)

Por a cúrcuma ser antioxidante, ela é uma ótima opção para prevenir inflamações e estresse oxidativo. (5) E tem mais:

  • Ela tem ação antioxidante no organismo, ajudando a combater os radicais livres;(5)
  • Consegue auxiliar na recuperação muscular, principalmente pós-treino; (5)
  • Auxilia no controle da pressão arterial e, consequentemente, protege o coração;(5)
  • Protege o fígado de possíveis substâncias tóxicas, mantendo a sua integridade e sua função; (5)
  • Por conseguir melhorar as alterações nos neurotransmissores, em casos de ansiedade e depressão, a cúrcuma é considerada antidepressiva; (5)
  • O nosso cérebro tem uma atividade metabólica muito alta, o que gera o estresse oxidativo – que já citamos acima. Por ela ajudar a evitar a produção excessiva de radicais livres, consegue inibir essa ação. Há evidências de que a cúrcuma é capaz de estimular a cognição e a atividade cerebral, além de prevenir e melhorar o déficit de cognição e memória relacionados à idade; (5)
  • A cúrcuma também pode proteger contra a degradação dos neurônios, possibilitando e contribuindo para a plasticidade neuronal; (5)
  • Ela também faz o papel anticancerígeno, pois consegue bloquear o crescimento descontrolado de células cancerosas; (5)
  • Estudos feitos pela Unicamp também descobriram que a cúrcuma ajudou a preservar proteínas do muco do intestino responsáveis pela defesa do órgão. Com isso, pode-se dizer que ela é uma aliada contra problemas inflamatórios e intestinais – problemas comuns de quem passa por cirurgia no aparelho digestivo. (6)

Imagem Ilustrativa

Como usar a cúrcuma no dia a dia?

Com tantos benefícios assim, é impossível não querer incluí-la em nossa rotina, não é?

Por isso, separamos algumas dicas bem legais:

  • Como ela não é de fácil absorção, o ideal é combina-la com alguma gordura boa. Pode ser misturada com azeite de oliva, por exemplo. Misturá-la com pimenta-do-reino também pode ajudar na absorção. (5,6)
  • Por ter sabor forte, algumas pessoas acabam estranhando quando a cúrcuma é usada nos alimentos. Portanto, comece usando pequenas pitadas do tempero na comida para ir se familiarizando com o sabor. (5)
  • Prefira a versão em pó porque ela é mais fácil de ser encontrada. (5)
  • É um ótimo tempero para carnes brancas, como peixe e frango. (5)
  • Se quiser dar cor para pratos como sopas, arroz, creme de milho e até recheio para tortas salgadas, a cúrcuma é uma boa pedida. (5)
  • Sabe aquela batata e frango no forno com azeite de oliva? Tente acrescentar cúrcuma. Além de realçar o sabor e colorir o prato, também será possível aproveitar seus benefícios para a saúde. (5)

Antes de começar a consumir a cúrcuma, é importante conversar com um profissional. Pessoas com problemas na vesícula ou que têm anemia devem evitar a substância, pois a cúrcuma pode causar obstrução dos dutos de quem sofre com cálculos biliares e também pode afetar a absorção de ferro no organismo. (5)

Diversos temperos escondem excelentes benefícios e a cúrcuma, com certeza, faz parte deles. Sabendo de todos esses benefícios, com certeza ela estará presente na lista de compras do mês e os pratos de casa ficarão ainda mais coloridos.

Fontes:
  1. MARCHI, Juliana Pelissari et al. Curcuma Longa L., o açafrão da terra, e seus benefícios. Arq. Ciênc. Saúde UNIPAR, v. 20, n.3, p. 189-194, Umuarama, 2016. Disponível em<https://revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/5871/3383>. Acesso em 29 jan. 2021.
  2. BRASIL. Ministério da Saúde. Anvisa. Monografia da Espécie Curcuma longa L. (Curcuma).Brasília, 2015. Disponível em <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/22/Monografia-Curcuma-CP-corrigida.pdf>. Acesso em 29 jan. 2021.
  3. SHOLZE, Ana Flávia Amorim. Biodispolnibilidade da curcumina. Revista Brasileira de Nutrição Clínica Funcional, a. 14, n. 60, p. 20-24, 2014. Disponível em <https://www.vponline.com.br/portal/noticia/pdf/6b7cfcab701afeeb7e0f4701b5c5920b.pdf>. Acesso em 29 jan. 2021.
  4. MORETES, Débora Nogueira; GERON, Vera Lúcia M. Gomes. Os benefícios medicinais da Curcumalong L. (açafrão da terra). Revista Científica da Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA, v. 10, n. 1, p. 106-114, Ariquemes, 2019. Disponível em <http://www.faema.edu.br/revistas/index.php/Revista-FAEMA/article/view/767/767>. Acesso em 29 jan. 2021.
  5. BITTENCOURT, Gabriela. Cúrcuma: benefícios, receitas e como usar para reforçar a imunidade. Eu Atleta, 2020. Disponível em <https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/curcuma-beneficios-receitas-e-como-usar-para-reforcar-a-imunidade.ghtml>. Acesso em 29 jan. 2021.
  6. CARDOSO, Kátia. Todo o poder da cúrcuma (açafrão-da-terra) na cozinha. Veja Saúde, 2018. Disponível em <https://saude.abril.com.br/alimentacao/todo-o-poder-da-curcuma-acafrao-da-terra-na-cozinha/>. Acesso em 29 jan. 2021.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Saiba quais alimentos evitar na menopausa

Ondas de calor, irritabilidade, sensibilidade, insônia e ganho de peso. Estes são alguns sintomas desagradáveis que vêm com a menopausa, período que marca o fim do período menstrual. A boa notícia: é perfeitamente possível controlar tudo isso com uma alimentação saudável!

Oito substâncias naturais antifúngicas que você precisa conhecer

Se você sofre com doenças causadas por fungos, sabe como elas são desagradáveis: frieiras, candidíase e manchas na pele são alguns dos sintomas causados por eles.

Até a década de 1940, havia poucos cremes antifúngicos disponíveis para o tratamento de infecções fúngicas.

A maior descoberta, ignorada na época, foi feita em 1970, enquanto se estudava a deficiência de biotina em animais e micróbios.