Produção sustentável de ômega 3: será que isso é possível?

Share on facebook
Share on twitter
Produção sustentável de ômega 3: será que isso é possível?

Por diversas vezes, quando abordamos o esse tipo de ácido graxo poli-insaturado aqui no blog, deixamos claro que as principais fontes de DHA, um tipo de ômega-3, são os óleos de peixe. Será que é possível continuar produzindo esse tipo de alimento/suplemento em larga escala, de maneira sustentável, atendendo à demanda que se faz crescente cada vez mais, sem causar danos à natureza, aos recursos naturais e, ao mesmo tempo, não colocar esses animais em risco de extinção?

Esse é o tema dessa publicação e vamos descobrir agora! Além disso, também vamos falar sobre a busca por outras fontes ricas de ômega-3 que não sejam os animais marinhos, pois se tornam uma alternativa em vários quesitos relacionados à sustentabilidade da produção dessas substâncias tão essenciais para a saúde humana.

Por que o ômega-3 tem sido cada vez mais procurado pelas pessoas?

Como citamos anteriormente e em diversas matérias publicadas aqui, os ácidos graxos são essenciais na saúde do corpo humano e não são produzidos por ele. Por isso, é preciso buscá-lo através da nossa alimentação.

Nos últimos anos, notamos uma maior procura por esses alimentos que são necessários para manter em condições normais as membranas celulares, as funções cerebrais e a transmissão de impulsos nervosos. Além disso, os ácidos graxos poli-insaturados possuem propriedades anti-inflamatórias e antiarrítmicas, estando associados à melhora da saúde cardiovascular. E não para por aí: pesquisas mostram que eles são benéficos para o desenvolvimento visual de recém-nascidos e para a memória dos adultos e muitos outros pontos positivos. (1)

Sendo assim, hoje, não há dúvidas de que o consumo de alimentos ricos em ômega-3 é necessário para nós, humanos. (1)

producao-sustentavel-de-omega-3-sera-que-isso-e-possivel

Produção do óleo de peixe e sustentabilidade

Apesar de gerar inúmeros empregos e benefícios econômicos, toda atividade produtiva pode impactar o meio ambiente, principalmente, quando é executada inadequadamente, sem planejamento do uso de recursos naturais e estratégias que assegurem o desenvolvimento sustentável. (2)

A piscicultura (cultivo de peixes / ração para peixes) foi o segmento que mais consumiu óleo de peixe em 2014. Somente 24% da produção de óleo de peixe foi utilizado para o consumo na alimentação humana. Em 2013, a demanda do óleo de peixe em piscicultura foi de 772 mil toneladas e estima-se que pode chegar a 898 mil toneladas em 2025. (1)

Para você entender, para manter os níveis altos de ômega-3 nos peixes, é preciso que a alimentação deles seja rica em DHA (ômega-3).(1)

Visto a demanda mundial crescente pelo ômega-3, seja para a alimentação humana ou piscicultura, é preciso entender com fazer isso de uma maneira que não cause a extinção de espécies de peixes e consumo desenfreado de recursos naturais que já estão cada vez mais escassos. Por isso, buscar fontes alternativas à produção do ômega-3 se faz importante e urgente.

Produção sustentável de ômega 3: será que isso é possível?
Produção sustentável de ômega 3: será que isso é possível?

Como as empresas estão mudando para serem mais sustentáveis?

A partir de tudo que falamos anteriormente, a boa notícia é que existem empresas que se comprometem com os seus valores e buscam, cada vez mais, estar alinhadas com elas em todas as suas frentes.

Vamos dar aqui um exemplo de como algumas delas estão fazendo isso na prática:

A Evonik e a empresa holandesa DSM, após dois anos de construção, finalizaram a criação de uma fábrica que produz, por meio da fermentação de algas marinhas naturais, um óleo rico em ômega-3 para a produção de salmão. (3)

Lembra que falamos que uma grande parte da produção de peixes é destinada para a piscicultura? No caso dessa fábrica, com a produção do óleo proveniente das algas, somente nessa unidade, será possível abastecer de maneira sustentável uma média de 15% da demanda mundial de EPA e DHA (ômegas-3) para a alimentação de salmões, evitando, assim, o uso do óleo de peixe para alimentar esses peixes. (3)

O presidente da Evonik, Christian Kullmann, diz que o objetivo é “fazer uma contribuição inovadora para a nutrição saudável da crescente população mundial sem onerar ainda mais os oceanos”, além disso, ele afirma que, dessa maneira, “é possível reduzir a dependência que a indústria da aquacultura tem dos recursos mundiais finitos do óleo de peixe”. (3)

Com essa solução que demos de exemplo, o óleo de algas permite reduzir a produção do óleo de peixe sem prejudicar o teor de ácido graxo ômega-3 na produção de peixes direcionados para a nutrição humana. (3)

Ser cada dia mais sustentável é Vital!

Por isso, estamos sempre em busca de parceiros que, assim como nós, se comprometem com o desenvolvimento sustentável e a saúde do planeta de maneira responsável e regulamentada.

FONTES: 
  1. FINCO, Ana Maria de Oliveira. Desenvolvimento de bioprocesso para produção de biolipídeos para a indústria de alimentos funcionais. 2015. 116 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Alimentos) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/48424/R%20-%20D%20-%20ANA%20MARIA%20DE%20OLIVEIRA%20FINCO.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em 12 nov. 2020.
  1. ELER, Márcia Noélia; MILLANI, Thiago José. Métodos de estudos de sustentabilidade aplicados a aquicultura. R. Bras. Zootec, v. 36, p. 33-34, Viçosa, 2017. Disponível em <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-35982007001000004>. Acesso em 12 nov. 2020.
  1. Fábrica exclusiva de ácidos graxos ômega-3 para aquacultura sustentável e produção de salmão. EVONIK, 2019. Disponível em <https://central-south-america.evonik.com/pt/fabrica-exclusiva-de-acidos-graxos-omega-3-para-a-aquacultura-sustentavel-e-producao-de-salmao-115476.html>. Acesso em 12 nov. 2020.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Óleo de peixe, benefícios além da medicina

De acordo com um estudo recente da Universidade de Harvard, a deficiência de ácidos graxos ômega 3 é oficialmente uma das 10 principais causas de morte nos Estados Unidos.
O óleo de peixe se mostrou eficiente para suprir essa carência de ômega 3!