Saiba como a Dieta Mediterrânea pode beneficiar a saúde

Share on facebook
Share on twitter
dieta mediterrânea

Quando falamos em um padrão alimentar para melhorar a qualidade de vida e alcançar a longevidade, a dieta mediterrânea não pode ficar de fora. Ela se baseia em um estilo alimentar dos habitantes de países banhados pelo Mar Mediterrâneo. Opa, se perdeu na geografia? Calma, estamos falando de países europeus, como a Grécia, Espanha, Itália, Portugal, Marrocos, França e os demais ali localizados. (1,2)

O estilo alimentar dessa população pode incluir mais vegetais e frutas, além de peixes e de azeite de oliva no dia a dia. (3) Essa dieta, que inclusive é premiadíssima, é considerada a mais saudável do ano de 2021, de acordo com avaliações anunciadas pela revista U.S. News & World Report. (3,4)

Como notamos, a região do Mediterrâneo nos reserva muito mais surpresas além de paisagens repletas de belezas naturais e um clima agradável. (3)

Nesta publicação, vamos conhecer um pouco mais sobre a dieta mediterrânea.

O que é a dieta mediterrânea?

A dieta mediterrânea é um padrão alimentar que foi definido no início da década de 1960 e, em 2010, reconhecido como patrimônio cultural e imaterial da Unesco (Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura). Vale ressaltar que a dieta mediterrânea não é apenas um padrão, mas também uma coleção de hábitos saudáveis tradicionalmente seguidos pelas populações dos países da região mediterrânea. (2)

Portanto, ela pode ser definida como um conjunto de práticas em que os alimentos representam apenas um dos componentes culturais relevantes. A intensa atividade física dos moradores da região, as técnicas de plantio e colheita, entre outras, colaboram para que essa dieta se torne um exemplo a ser seguido por todos aqueles interessados em adquirir novos e melhores hábitos para uma vida mais longa e saudável. (2)

dieta mediterrânea

As características da dieta mediterrânea

Popular no mundo inteiro, a dieta mediterrânea possui características marcantes, que a torna um dos padrões alimentares mais saudáveis, e até mesmo mais saborosos, do mundo. Podemos destacar, como características dessa dieta: (2)

  • Abundância de alimentos frescos e naturais;
  • Alimentos cultivados respeitando a sazonalidade e a regionalidade de cada um e minimamente processados;
  • Frutas frescas ou doces contendo açúcares ou mel consumidos apenas em quantidades moderadas;
  • Muito azeite de oliva como a principal fonte de gordura;
  • Produtos lácteos consumidos de forma moderada;
  • Uma média de quatro ovos consumidos por pessoa semanalmente;
  • Carne vermelha consumida em baixas quantidades;
  • Vinho, para acompanhar as refeições, moderadamente.

O resultado dessas combinações alimentares fornece aos adeptos dessa dieta todos os nutrientes necessários para manutenção das funções vitais e preservação de funções orgânicas importantes, como as dos sistemas circulatório e reprodutor. Acredita-se que o consumo regular de uma dieta com esses atributos pode trazer benefícios para a saúde como um todo. (5) Falaremos deles logo a seguir.

Os benefícios da dieta mediterrânea para a saúde

Estudos indicam que a dieta mediterrânea pode reduzir o risco de diabetes, colesterol alto, demência, perda de memória, depressão e câncer de mama. A dieta também já foi associada a ossos mais fortes, coração mais saudável e maior longevidade. (4)

O padrão nutricional mediterrâneo, associado ao conjunto de nutrientes ricos em antioxidantes, fibras e gorduras de boa qualidade, é determinante para a manutenção e preservação das funções do organismo. (2)

Agora, confira 6 benefícios que a dieta mediterrânea está associada: (2)

  1. Redução dos níveis de LDL colesterol (o “colesterol ruim”);
  2. Aumento de HDL colesterol (o “bom”);
  3. Proteção contra doenças cardiovasculares;
  4. Diminuição dos marcadores inflamatórios;
  5. Ação contra obesidade e doenças crônicas;
  6. Prevenção de doenças como hipertensão, dislipidemia e diabetes do tipo 2.

dieta mediterrânea

Dieta mediterrânea e os efeitos no envelhecimento

A expectativa de vida da população nas regiões que possuem a dieta mediterrânea como padrão é uma das maiores do mundo, chegando, em média, a mais de 80 anos de vida. Segundo um estudo conduzido pela Academia Sahlgrenska, da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, idosos que seguem a dieta têm 20% mais chances de viverem por mais tempo. (2,5)

Uma outra pesquisa, realizada por pesquisadores da Universidade de Edimburgo no Reino Unido, descobriu que uma dieta mediterrânea pode prevenir o encolhimento do cérebro em idosos, reduzir o declínio das funções cognitivas e, assim, diminuir as chances de desenvolver doenças como Alzheimer e outras demências. Portanto, o estudo mostrou que uma dieta saudável, como a mediterrânea, é capaz de desacelerar o processo de redução de volume cerebral. (6)

Qualquer pessoa pode seguir a dieta mediterrânea?

A resposta é não. Acontece que, apesar dos benefícios que essa dieta proporciona à saúde, é muito importante buscar um nutricionista antes de aderir à dieta. Alguns itens presentes neste padrão alimentar, como queijos e pães, podem ocasionar problemas de saúde para pessoas que convivem com intolerâncias e outras restrições. (3)

Se você chegou até aqui na leitura, viu que a dieta mediterrânea pode oferecer diversos benefícios para a saúde, sem contar que é um dos mais populares padrões alimentares do mundo. Ela tem suas próprias características e, como vimos, um dos seus principais atributos é contribuir para a longevidade. Então, para levar uma vida longa e cheia de vitalidade, vale a pena conhecer essa dieta um pouquinho mais.

Fontes: 
  1. NATACCI, Lara. Uma dieta mediterrânea adaptada para os brasileiros. Veja Saúde, 2020. Disponível em: <https://saude.abril.com.br/coluna/alimente-se/uma-dieta-mediterranea-adaptada-para-os-brasileiros/>. Acesso em 24 jun. 2022.
  2. CAMBIAGHI, Arnaldo S.; SOARES, Abilio. Fertilidade e alimentação – Guia Alimentar para Mulheres e Homens que desejam melhorar a fertilidade. Dieta Mediterrânea. E-book. Disponível em: <https://ipgo.com.br/livro-digital/pdf/dieta-mediterranea-ebook.pdf>. Acesso em 24 jun. 2022.
  3. MITOS e verdades sobre a dieta mediterrânea. Nutritotal, 2020. Disponível em: <https://nutritotal.com.br/publico-geral/material/mitos-e-verdades-sobre-a-dieta-mediterranea/>. Acesso em 24 jun. 2022.
  4. LAMOTTE, Sandee. Dieta mediterrânea é a mais saudável do ano; conheça ela e outras. CNN Brasil, 2022. Disponível em: <https://www.cnnbrasil.com.br/saude/dieta-mediterranea-e-a-mais-saudavel-do-ano-conheca-ela-e-outras/>. Acesso em 24 jun. 2022.
  5. DIETA do Mediterrâneio leva a uma vida mais longa. Veja, 2011. Disponível em: <https://veja.abril.com.br/saude/dieta-do-mediterraneo-leva-a-uma-vida-mais-longa/>. Acesso em 24 jun. 2022.
  6. DIETA mediterrânea e os efeitos no envelhecimento. VP Online, 2018. Disponível em: <http://portal.vponline.com.br/novidades-cientificas/nutricao-clinica/dieta-mediterranea-e-os-efeitos-no-envelhecimento/>. Acesso em 24 jun. 2022.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

10 motivos para procurar uma nutricionista

É com muito orgulho e alegria que comemoramos, no próximo dia 31 de agosto, o Dia da Nutricionista!

Afinal, estes profissionais estudaram muito e dedicam suas vidas à fazer com que as pessoas tenham uma vida mais saudável através de uma boa alimentação.

A nutricionista é a profissional imprescindível em combinar alimentos que vão garantir a sua saúde em todas as fases da vida: nascimento, vida adulta e maturidade.

Existem milhares de motivos para que você procure uma nutricionista, mas vamos citar os 10 principais:

Cinco maneiras naturais de baixar a pressão arterial

Imagine que existe um inimigo invisível que só dá sintomas quando está em estágio avançado. Várias doenças apresentam esse perfil e uma delas é a hipertensão arterial.

Popularmente conhecida como “pressão alta” essa doença não escolhe idade, classe social, profissão nem sexo.

Mas o que é a “pressão alta”? É um número relacionado à força que o sangue faz nas artérias para circular em todo o corpo. Quando este número é igual ou maior que 14 por 9 (140mmHg X 90mmHg) a pessoa é considerada hipertensa.