alimentação saudável

Colesterol: 20 trocas alimentares que ajudam a manter as taxas sob controle

Fonte: mdemulher.abril.com.br No placar científico, um time de nutrientes já pontuou a favor das nossas artérias na disputa contra o colesterol. Um estudo em institutos espanhóis, como o Hospital Clinic de Barcelona, demonstra, após analisar 772 pessoas suscetíveis a infartos, que uma dieta rica em fibras dribla o excesso de LDL, a versão nada benéfica da gordura, afastando perigos. Já nos Estados Unidos, pesquisadores da Universidade Loma Linda provaram que peixes, nozes e castanhas garantem proteção, pois ajudam a controlar as taxas da substância no sangue. Por que, então, não inserir esses alimentos ao cardápio? A tática vitoriosa é trocar itens que contribuem muito pouco — ou até atrapalham — por outros que se mobilizam para vencer o colesterol. E o melhor: sem deixar o prazer à mesa de lado. Confira! Pão francês por integral Eis uma forma de começar o dia protegendo as artérias. A massa integral presenteia o organismo com boas doses de fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino. Bem nutridas, algumas delas fabricam mais propionato, uma substância que tem tudo a ver com os níveis de gordura na circulação. “Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol”, explica a gastroenterologista Jacqueline Alvarez-Leite, da Universidade Federal de Minas Gerais. Com isso, cai também a quantidade dessa partícula no sangue. Leite integral por desnatado Esse esquema garante a entrada do cálcio, tão caro aos ossos, sem um bando de penetras gordurosos. A bebida desnatada tem o mesmo teor do mineral, com a vantagem de ostentar menos ácidos graxos saturados.

LER MAIS

Seis truques para exterminar a barriga

Fonte: anitricionista.blogs.sapo.pt Se prestar atenção ao que coloca no prato conseguirá sentir diferença no tamanho da barriguinha. Além da quantidade é preciso ter cuidado com a qualidade dos alimentos. Fique longe dos refrigerantes Troque-os por chá verde, mate ou branco. Ricos em substâncias termogénicas e antioxidantes, eles não só aumentam o metabolismo como desintoxicam e desincham. Evite doces, pães e biscoitos feitos com farinha branca  Alimentos como estes têm alto índice glicémico favorecendo a acumulação de gordura na barriga. Substitua-os pelos integrais. Ricos em fibras, com índice glicémico baixo ou moderado e têm vitaminas do complexo B, fundamentais para manter o intestino saudável. Atenção às fibras  Para o intestino funcionar bem, é necessário consumi-las. Mas se não beber água suficiente para hidratá-las congestionam o intestino, aumentando a produção de gases e provocando cólicas. Então, combine as duas coisas: fibras e água – 1,5 a 2 litros por dia é uma boa medida. Consuma alimentos que ajudam a combater inflamações  Os campeões são o alho cru e a cebola (ricos em antioxidantes), amêndoa, castanha-do-pará e azeite extravirgem (com gordura “boa” são essenciais para a absorção dos antioxidantes anti-inflamatórios presentes nas verduras). Cuidado com o feijão, a couve e o repolho  Para algumas pessoas, estes alimentos provocam prisão de ventre. No caso do feijão, o truque é deixar o grão de molho e trocar a água várias vezes para eliminar as substâncias que provocam a fermentação. Já as verduras citadas não podem ser totalmente retiradas do menu, pois contêm nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo.

LER MAIS

Vida sedentária, como evitar engordar

Fonte: anitricionista.blogs.sapo.pt Muitas vezes o nosso trabalho é muito sedentário mas com criatividade e boa vontade podemos mesmo assim ter uma vida saudável e cheia de energia, evitando engordar e exercitando o corpo. – Caminhe todos os dias: meia hora é o suficiente. Você pode sair do autocarro, ou estacionar o carro longe do trabalho e completar o trajecto a pé. Ao início vai parecer cansativo, mas depois o corpo acostuma-se e tem mais energia. – Evite os elevadores, suba pelas escadas. – Utilize os fins de semana para se movimentar. – Respeite os seus horários para comer, e nas horas de comer coma uma quantidade suficiente, nunca coma no escritório ainda mais em simultâneo com o trabalho. Evite petiscos. – O mais importante de tudo, organize o seu tempo para tomar o pequeno-almoço antes de sair de casa. – Inclua muitas fibras na sua alimentação, ser sedentário tem também efeitos no funcionamento do intestino, as fibras vão ajudar a que as comidas passem menos tempo no organismo, limpando-o de toxinas e evitando a absorção extra de calorias.

LER MAIS

‘Gorduras boas’ são saudáveis para acrescentar nas receitas

Fonte: vidaeestilo.terra.com.br Nozes, avelãs, amêndoas, castanhas (de caju e do Brasil), macadâmias, pistaches, entre outras, integram o grupo conhecido como oleaginosas, que são alimentos fontes de gorduras poli-insaturadas (gordura boa), vitamina E, selênio, zinco, entre outros nutrientes. “Elas podem auxiliar na manutenção do peso, na diminuição do colesterol, na prevenção das dores de cabeça e até na redução do estresse”, explica a nutricionista Gisela Savioli, autora, entre outros, do livro Alimente bem suas emoções(Ed. Loyola). Seu consumo, porém, precisa ser moderado, pois mesmo contendo gorduras boas, são calóricas. Além disso, elas são difíceis de digerir, podem desencadear processos alérgicos e apresentar fungos. “Por isso, o ideal é não ultrapassar a quantidade recomendada para o consumo, e com rodízio entre as oleaginosas para diminuir a incidência de alergia”, orienta a nutricionista funcional Andrezza Botelho. Quanto ingerir Para crianças entre 4 a 8 anos, a recomendação é de meia castanha do Brasil e três nozes (ou de castanha de caju) por semana, sempre em dias alternados. No caso dos adolescentes, a porção é de uma castanha do Brasil, de três a cinco nozes e de 20 a 40 gramas de castanha de caju, também por semana e em dias alternados. Mais sabor entre as refeições As oleaginosas são uma boa opção de complemento nos lanches da manhã ou da tarde, pois conferem saciedade. Vale ainda usá-las em preparações, já que não perdem tanto o seu valor nutricional. As nozes vão bem em molho pesto, enquanto que as castanhas de caju e do Brasil são ótimas para incrementar o arroz

LER MAIS

Alimentação saudável: gorduras boas x gorduras ruins

Fonte: www.parana-online.com.br Bom-dia, amigos. Esta semana estamos revisando de uma forma bem básica alguns princípios da alimentação saudável. Hoje falaremos sobre a diferença das gorduras boas e ruins. E também que apesar de saudáveis, as “boas” gorduras continuam sendo calóricas e requerem cautela. Muitas pessoas questionam se o uso de azeite de oliva é bom e se pode ser usado sem restrições. Embora o azeite de oliva seja um tipo de óleo saudável, sendo bom para o aparelho cardiovascular, devemos lembrar que uma colher de sopa equivale a 120 calorias. Fica fácil imaginar que ao comer pizza, e regá-la com bastante azeite, o que acontecerá com o seu peso. Hábito comum nas pizzarias, a oferta do azeite de oliva nas mesas é tentadora. Isso para não falar do azeite de oliva composto (parte de azeite de oliva e parte de óleo de soja), que poucas pessoas sabem fazer distinção. Por outro lado, dizer que todas as gorduras são ruins para o organismo não é realidade. Utilizar-se de um pouco de gordura diariamente é essencial para a saúde, pois ela é necessária para absorver as vitaminas lipossolúveis (A, D, E, e K), manter a pele macia e aparência jovial, participar na formação de hormônios, dar proteção mecânica aos órgãos, dar melhor sabor e textura nos alimentos e ainda provocar a saciedade. As gorduras em quantidades adequadas nas refeições são bem vindas, mas ninguém gosta de tê-las acumuladas no corpo, principalmente na cintura, no abdômen, nos braços e pernas. Na prática vemos pessoas que evitam ingerir gordura de

LER MAIS

Extrato de espinafre acalma sensação de fome, diz estudo

Fonte: saude.terra.com.br Um extrato 100% natural de espinafre apresentou efeitos promissores para reduzir a sensação de fome, ajudando a prevenir o excesso de peso, informou na segunda-feira (10) a Universidade de Lund, na Suécia. A pesquisadora Charlotte Erlanson-Albertsson procurava uma maneira de reduzir a velocidade do processo de digestão para atenuar a sensação de fome quando perguntou a seu marido – um especialista em fotossíntese – se havia uma molécula natural que pudesse provocar a sensação de saciedade. O especialista se voltou então para os tilacoides, membranas das folhas verdes, “que teriam a capacidade de reduzir a velocidade da digestão dos lipídios” e manter a difusão dos hormônios que provocam a sensação de saciedade. A pesquisadora escolheu então o espinafre como fonte destes tilacoides. “Comer espinafres não é suficiente (para reduzir a sensação de fome). É preciso moê-lo, filtrá-lo e centrifuga-lo para liberar os tilacoides das células da planta, porque nosso corpo não pode separá-los dos espinafres frescos de maneira direta”, destacou a universidade de Lund. Quinze pessoas que tomaram um extrato de espinafre em pó diluído em água a cada manhã resistiram melhor à tentação de comer pela manhã e até à tarde. Estas pessoas “tiveram mais facilidade de comer apenas três vezes por dia em comparação ao grupo de controle, que tomou uma solução sem a substância ativa”, destacou a universidade. Os exames de sangue também revelaram mais hormônios que dão sensação de saciedade no sangue do grupo que tomou o extrato de espinafre. O agente exato ainda deve ser identificado, pois os tilacoides

LER MAIS

Alimentação saudável contribui para a conservação da memória

Fonte: segs.com.br Sabemos que as células do nosso organismo necessitam de oxigênio para converter os nutrientes absorvidos dos alimentos em energia. Porém, com o tempo, elas são danificadas ou comprometidas pelos radicais livres. Isso leva a uma menor produção de energia que, por consequência, provoca uma diminuição da capacidade de comunicação entre as células, prejudicando o funcionamento mental. A formação de radicais livres está relacionada a diversos fatores como: poluição ambiental, prática de exercícios intensos, tabagismo, estresse e, principalmente, má alimentação. “Eles são formados pelo nosso organismo. O processo de envelhecimento precoce, assim como o surgimento de algumas doenças e a perda da memória estão relacionados à ação dos radicais livres no organismo”, explica a nutricionista da Global Nutrição, Dra. Ana Huggler. Para evitar a deterioração  do cérebro, uma das recomendações é investir em uma alimentação balanceada. “O excesso de radicais livres pode ser combatido através de alimentos que possuem ação antioxidante. Sendo assim, alimentos industrializados, ricos em conservantes e corantes, precisam ser evitados, pois possuem substâncias nocivas para o bom funcionamento do organismo”, alerta a nutricionista. A especialista explica que os alimentos antioxidantes atuam promovendo uma remoção de impurezas no organismo e, com isso, estimulam a formação de novas conexões entre os neurônios (ramificações), aumentando, portanto, a capacidade de aprender, raciocinar, se concentrar e memorizar. “O ácido graxo, por exemplo, coopera na formação e manutenção do sistema nervoso. Já as vitaminas do complexo B não podem faltar na dieta, pois atuam regulando a transmissão de informações entre os neurônios e combatem o processo inflamatório das

LER MAIS

Receita de tender light para o Natal

Um tender desses deixaria qualquer mesa de Natal ainda mais bonita, não é mesmo?! E o melhor: é ligth e combina muito bem com óleos naturais! A receita foi tirada do livro “Trocas Inteligentes“, escrito pela nutricionista Sonja Salles, com apoio do Vital Âtman. Então, vamos aprender a receita? Tender light com purê de castanha e cenoura   Ingredientes 1 tender bolinha 1 colher (chá) de cravos ½ xícara (chá) geleia diet de damasco 1 xícara (chá) de suco de laranja-seleta Noz-moscada a gosto Para o purê de castanha e cenoura 15 castanhas portuguesas 3 cenouras cruas cortadas em rodelas Sal a gosto 1 cebola ralada 2 colheres (sopa) de requeijão light 1 colher (chá) de adoçante para forno e fogão Preparo Tender Em uma assadeira, coloque o tender e leve ao forno para assar em fogo baixo por meia hora. Tire do forno e, com uma faca, trace diagonais na superfície do tender. Enfeite com os cravos, espetando-os. Em uma tigela, misture a geleia com o suco de laranja e a noz-moscada. Derrame lentamente metade desse molho sobre o tender e leve-o para assar novamente em forno médio por 40 minutos. Vá regando com o restante do molho. Após esfriar, corte em fatias e despeje o molho que ficou na assadeira. Purê de castanha e cenoura Cozinhe as castanhas portuguesas na panela de pressão. Retire a casca e reserve-as. Em outra panela, cozinhe as cenouras. No liquidificador, coloque as castanhas e as cenouras cozidas e bata até obter uma mistura homogênea. Retire e ponha

LER MAIS

Entenda o processo de extração a frio

Pureza é a palavra de ordem na fabricação de óleos funcionais extraídos de sementes oleaginosas. Por isso, para garantir óleos 100% puros, não se pode adicionar qualquer solvente químico ou elevar a temperaturas da extração, resultando a pureza e a manutenção das propriedades funcionais das sementes. Quer conhecer a forma Vital de extração dos óleos? Então, confira o passo dessa legítima extração a frio: 1)      Controle de qualidade das sementes: O primeiro passo é a certificação de que as sementes que serão prensadas apresentam bom rendimento para a extração. “Sementes de bom rendimento são a garantia da qualidade final do óleo”, explica Cristina Prates, gerente de produção da Vital Âtman, indústria pioneira na extração a frio de óleos naturais . “Pedimos sempre 5 kg de cada semente para verificar, por meio de análises químicas em laboratório, o rendimento e a qualidade. Se passarem nesse primeiro teste, pedimos mais sementes que serão usadas na fabricação dos óleos”. 2)      Prensagem: Em seguida, as sementes certificadas passam pelas máquinas de extração a frio, que prensam morosamente a matéria-prima, extraindo o óleo e as tortas, que são uma espécie de bagaço do que sobra das sementes. Segundo a gerente, é preciso 5 kg de sementes para produzir 1 litro de óleo: “A prensagem a frio é um processo moroso, lento, já que o óleo demora dias para ficar pronto. Porém, o resultado final é um produto que preserva todas as características naturais das matérias-primas”. 3)      Cuidados diários: A Vital Âtman tem um cuidado especial e diário com suas máquinas:

LER MAIS

Dicas para uma vida bem melhor

Para ter uma vida saudável não é preciso uma mudança radical, já que a simplicidade da vida é o que há de mais saudável e sustentável. Por isso, o segredo é ver o mundo com outros “óleos” e buscar a integração espírito-corpo. Quer ver como é fácil? Confira as dicas: 1)      Durma cedo e acorde cedo. Para aproveitar bem cada momento do dia, é preciso ter disposição e ânimo. Para isso, nada melhor do que uma noite bem dormida. Porém, se você é daqueles que não conseguem dormir cedo, experimente programar seu relógio para despertar mais cedo e procure acordar todos os dias no mesmo horário, inclusive nos fins de semana. No começo, isso pode parecer difícil, mas assim que o corpo começar entrar na rotina, logo vêm os benefícios de noites bem dormidas 2)      Tenha uma alimentação equilibrada e mastigue bem os alimentos. A verdadeira saúde e felicidade vêm de dentro para fora. Sabe aquele ditado “você é o que você come”? Pois é! Ele funciona, já que é dos alimentos que ingerimos que provêm os nutrientes para fazer do nosso corpo uma máquina perfeita. Por isso, organize e planeje sua alimentação , mastigue bem os alimentos e encha seu prato de nutrientes que vão trazer toda a saúde que você precisa para ser feliz. 3)      Não fique parado! Pratique esportes, afinal nosso corpo foi feito para se mexer! Segundo o médico americano Michael Joyner*, da Clínica Mayo, a “inatividade é o diagnóstico primário de várias enfermidades, entre elas obesidade, lesões articulares, fibromialgia, hipertensão e

LER MAIS

Gorduras: vilãs X mocinhas

Falou em gordura, falou em mal à saúde? Saiba que a lógica não é bem assim! Existem, sim, aquelas que prejudicam nosso organismo, como, por exemplo, as saturadas de origem animal, ou então aquelas modificadas industrialmente, conhecidas como gorduras trans, que podem levar ao entupimento de artérias. De contrapartida, existem também gorduras boas que devem fazer parte de uma dieta saudável, sendo que algumas dessas são essenciais, ou seja, precisam estar presentes em nossas células para o bom funcionamento de nosso organismo. As gorduras “boas” são aquelas conhecidas como insaturadas. Entre os vários benefícios que essas gorduras proporcionam à saúde, podemos citar, por exemplo, o combate ao colesterol ruim. Além disso, quando se tem uma dieta equilibrada e rica em gorduras boas, simples resultados como boa aparência em nossa pele e cabelos são perceptíveis em nosso corpo. As gorduras insaturadas podem ser encontradas em diversos tipos de alimentos, como o abacate, o azeite de oliva, óleos vegetais, azeitonas, nozes, soja e seus derivados e até em óleos de peixes, ricos em ômega 3. Esse tipo de gordura apresenta forma líquida e deve ser consumida em temperatura ambiente para não perder suas características primordiais. Por isso, uma boa dica é utilizar óleos ricos em gorduras insaturadas para finalizar as refeições, como, por exemplo, o azeite de oliva, o óleo de amêndoa doce e o óleo de noz de macadâmia que, além de serem extremamente saudáveis, também adicionam um delicioso sabor aos alimentos. Portanto, para uma dieta nutritiva e cheia de saúde, é essencial que saibamos escolher

LER MAIS