antioxidantes

Antioxidantes na prevenção de doenças crônicas

Atualmente, a busca por uma vida mais longa e saudável é uma prioridade para muitas pessoas. Diante dos contratempos que podem surgir, os antioxidantes podem atuar como defensores do nosso organismo. Neste texto, vamos entender de maneira prática e objetiva como essas substâncias podem contribuir na promoção do bem-estar e na proteção contra enfermidades. O que são antioxidantes e para que servem? Os antioxidantes são substâncias que defendem os sistemas biológicos dos efeitos prejudiciais causados pelos processos ou reações que resultam na oxidação de moléculas celulares. (1) O sistema antioxidante tem dois grupos principais: os antioxidantes que o corpo mesmo produz, chamados de endógenos, principalmente as enzimas antioxidantes; e os antioxidantes que obtemos dos alimentos, chamados de exógenos. (1) Trabalhando juntos, esses grupos antioxidantes podem ajudar a proteger nossas células contra danos causados por radicais livres e processos oxidativos. (1) Os antioxidantes presentes nos alimentos, após ingeridos, sacrificam-se para neutralizar a ação dos radicais livres. Por isso, é importante repor esses antioxidantes regularmente, consumindo alimentos que os contenham. (1) Pesquisas, como a realizada por Tesoriere et al. (2004), indicam que uma alimentação abundante em frutas e vegetais pode contribuir para a diminuição dos danos oxidativos em partes importantes do nosso corpo. (1) Desse modo, os antioxidantes podem atuar em diferentes níveis na proteção dos organismos. Enumeramos algumas ações, veja: Podem evitar a formação de radicais livres, principalmente impedindo reações em cadeia com ferro e cobre. (2) Antioxidantes podem ser capazes de “pegar” os radicais livres gerados pelo nosso corpo ou por fatores externos, evitando que

LER MAIS

Celulite: o que é, causas, tratamentos e dicas nutricionais

A celulite, uma preocupação estética que pode afetar o bem-estar de muitas pessoas, é um fenômeno comum, mas frequentemente mal compreendido. Embora não seja exclusiva de um grupo específico, a celulite tende a afetar principalmente mulheres e sua presença pode ser influenciada por uma variedade de fatores, como genética, estilo de vida e hormônios. (1) Neste texto, você vai descobrir o que é a celulite de verdade, como ela aparece, os tipos que existem, maneiras de diminuir seu aspecto e como a nutrição pode ajudar. O que é celulite? Há mais de 150 anos, surgiu na literatura médica francesa o termo “celulite”, embora seja crucial entender que não se referia a uma inflamação ou infecção celular. (2) Esta condição é caracterizada pela aparência irregular e ondulada da pele, que se assemelha ao aspecto de casca de laranja ou ao queijo tipo cottage. Na ciência, também é conhecida como adiposidade edematosa, lipodistrofia ginoide e dermatopaniculose deformante. (2) A celulite é mais comum em mulheres e, geralmente, se manifesta em áreas do corpo onde a gordura é influenciada pelo estrógeno, como quadris, coxas e nádegas. (2) Além disso, o aparecimento da celulite pode acontecer em regiões como mamas, parte inferior do abdome, braços e nuca, notavelmente nas áreas onde ocorre o padrão típico de deposição de tecido adiposo feminino. (2)  Quais as causas da celulite? A origem da celulite ainda é desconhecida, porém, diversas causas parecem desempenhar um papel no seu desenvolvimento, englobando fatores estruturais, circulatórios e inflamatórios, além de alterações hormonais. (2) Existem três principais teorias

LER MAIS
automedicação

8 razões para evitar a automedicação e preservar sua saúde

Quem nunca teve uma dor de cabeça e pensou: “ah, vou tomar um remédio, deve resolver”? A automedicação muitas vezes parece a solução fácil para os nossos problemas de saúde, mas será que é tão simples assim? Vamos parar um pouco para pensar nos riscos que estamos correndo quando decidimos ser nosso próprio médico. Neste texto, você vai descobrir por que a automedicação pode não ser tão inofensiva quanto parece, e como podemos repensar nossos hábitos para cuidar melhor da nossa saúde. Continue a leitura! A questão da automedicação no Brasil Durante a colonização portuguesa no Brasil, surgiu o hábito da automedicação. Naquela época, os boticários, que eram os responsáveis pelo cuidado da saúde, forneciam receitas à população sem um respaldo científico sólido. (1) Essa prática persistiu ao longo de dois séculos, e ainda hoje muitos brasileiros recorrem diretamente às farmácias para lidar com questões de saúde, como dores de cabeça e crises de hipertensão arterial. (1) Contudo, a automedicação, longe de ser apenas uma prática cultural, tem implicações sérias para a saúde, contribuindo para a morte de aproximadamente 20 mil pessoas por ano no país, conforme dados da Associação Brasileira das Indústrias Farmacêuticas (Abifarma). (1) Podemos perceber que, desde tempos antigos até hoje, todo mundo usa remédios, mas é importante ter cuidado. Se utilizados de maneira inadequada e sem prescrição médica, podem ter consequências graves, às vezes até irreversíveis. Por isso, é essencial prestar atenção para evitar consequências indesejadas do uso indiscriminado de medicamentos. (2) O que leva uma pessoa a se automedicar? São

LER MAIS