Faz Bem Estar Bem

Existe segredo para ser feliz?

Somos seres individuais e com desejos tão particulares. Muitas vezes, imaginamos sermos tão diferentes de todo mundo e é como se ninguém pudesse nos compreender, mas, uma coisa, acreditamos que todos temos em comum: a vontade de ser feliz, esse desejo de sentir a felicidade até a última gota e experimentar a sensação de estar aproveitando a vida do melhor jeito possível. A felicidade pode ser sentida de inúmeras formas, mas a ciência descobriu que é possível ter algumas chaves para acessá-la com mais facilidade e plenitude: as nossas relações! A gente te explica e ainda fala sobre mais pontos importantes que estão relacionados à nossa felicidade. Felicidade e relacionamentos Um estudo desenvolvido durante 75 anos pela Universidade de Harvard, que trata-se de uma das mais longas pesquisas já noticiadas, acompanhou 724 homens, monitorando a vida deles no trabalho, em casa e exames médicos anualmente, concluiu que a principal razão para a felicidade são os bons relacionamentos, pois ajudaram a mantê-los saudáveis por mais tempo, auxiliaram no relaxamento do sistema nervoso e atuaram na redução das dores tanto emocionais quanto físicas. Observou-se, também, que pessoas solitárias tiveram o cérebro deteriorado com mais velocidade, resultando em uma piora na saúde e menos longevidade. É possível e vale a pena conferir mais dados sobre esse estudo em uma TED Talk feita por um dos diretores do estudo, Robert Waldinger. (1) Muitos de nós acreditamos que a felicidade está majoritariamente relacionada com a satisfação com o trabalho, no ganho financeiro, na conquista material e em outros fatores, mas,

LER MAIS

5 dicas para reduzir o estresse no dia a dia

Estudiosos afirmam que o estresse e a ansiedade são os males característicos do nosso século. Vários aspectos da vida moderna contribuem para essa declaração, como o excesso de informações que recebemos a todo momento, preocupação com trabalho, vida e família. Alguns sintomas típicos desses problemas incluem taquicardia, falta de ar, insônia, irritabilidade e cansaço frequente. (1) Eliminar o estresse da nossa vida é uma tarefa quase impossível. Apesar de um pouco de inquietação ser bom e essencial para a sobrevivência, as tensões prolongadas podem gerar sérias consequências. (2,3) Então, para amenizar períodos estressantes, a dica da OMS (Organização Mundial da Saúde) é que, primeiramente, paremos e prestemos atenção em nossas próprias necessidades e sentimentos. (4) Conheça, neste texto, algumas orientações que podem ajudar a driblar o estresse e melhorar a qualidade de vida. Consequências do estresse        Antes de tudo, vamos relembrar o que é o estresse, tipos e causas do problema. O estresse é uma reação natural do organismo que ocorre quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Para se adaptar ao cenário, o organismo libera reações que ativam a produção de hormônios, como a adrenalina. É como se o nosso corpo estivesse em estado de alerta ou alarme, que pode provocar mudanças físicas e emocionais. (5,6) Os tipos de estresse são: (5) agudo: é mais intenso e curto, comumente causado por situações traumáticas, mas passageiras; crônico: afeta a maioria das pessoas e tem como principal característica ser presente diariamente e constantemente, em pequenas porções e de modo mais suave. O estresse

LER MAIS
imunidade infantil

4 atitudes que fortalecem a imunidade das crianças

Uma das preocupações da maioria dos pais é saber como fortalecer a imunidade das crianças, afinal, durante a infância, com o início do contato com o mundo externo e social, é comum a presença frequente de gripes, resfriados, viroses ou dores de ouvido nas crianças, se tornando uma dor de cabeça para os pais e incômodo aos pequenos. Um dos motivos que contribuem para o adoecimento na infância está relacionado à imaturidade do sistema imunológico, no qual o processo de desenvolvimento e produção de anticorpos só acontece na adolescência. Visto que o aparelho imune se encontra mais frágil do que o dos adultos, existem algumas atitudes que podem ajudar a fortalecer a imunidade das crianças. (1,2) Saiba mais nos próximos tópicos.  Como funciona o sistema imunológico? O sistema imune é formado por um time de células e moléculas dispersas pelo nosso corpo que tem a função de, primeiramente, reconhecer e, depois, destruir ou inativar qualquer condição considerada estranha ao organismo, como uma bactéria ou vírus. Para que esse papel de ataque seja executado corretamente, o sistema conta com a ajuda de alguns órgãos que produzem diversos tipos de células de defesa, como as amígdalas, medula óssea e até mesmo a nossa pele. Além desses órgãos, também existem tecidos, caracterizado como um conjunto de células, espalhados por inúmeras partes do corpo, como no intestino. (2) É importante saber que as crianças já nascem com parte do sistema imunológico pronto, que vai se desenvolvendo aos poucos. Sendo assim, o início da formação desse sistema ocorre ainda no

LER MAIS
CAFÉ

Você conhece os benefícios do café?

Se o café fosse um ator de Hollywood, já teria no currículo a experiência de dois papéis: o de vilão e o mocinho! Sem contar o prestígio mundial, por ser uma das bebidas mais apreciadas do planeta e a segunda mais consumida, depois da água. (1) Com o avanço da ciência, vemos especialistas da área da saúde incentivando o consumo de café e desvendando vários preconceitos que surgiram no passado. (2) Esse efeito já era de se esperar: o grão do café traz diversos benefícios para a saúde, pode evitar doenças crônicas e facilitar a vida na hora de praticar atividades físicas. (1) Neste texto, você saberá quais os outros benefícios que o consumo de café pode oferecer. De acordo com a Associação Brasileira de Café (ABIC), o Brasil é o maior produtor de café do mundo! (1) Isso explica a paixão difundida em solo brasileiro. Com certeza, você deve conhecer alguém apaixonado por essa bebida ou pelo sabor tão característico. Por diversas vezes, o café é visto como um vilão, devido ao seu composto farmacológico mais ativo: a cafeína! (1) Ao fornecer um efeito estimulante, essa substância atua no sistema nervoso central, aumentando a produção dos neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, dentre os vários outros benefícios que citaremos logo mais. (3) Mas, e se revelarmos a você que o café não é feito só de cafeína? Um grão de café tem cerca de 1 a 2,5% desse composto que faz parte do grupo das xantinas, trazendo alta concentração de polifenóis ricos em vitaminas

LER MAIS

Glúten: o que é e quais doenças ele pode causar?

O glúten, muitas vezes, é enxergado como algo negativo. As pessoas o excluem da alimentação por acreditarem que ele ajuda no ganho de peso. Na verdade, a história é um pouco diferente. O que sabemos é que sim, o glúten tem relação com algumas patologias, mas ele não é o maior vilão do mundo vegetal. (1) Neste texto, vamos falar sobre quem realmente pode consumir essa proteína, os desafios relacionados a ela e, de quebra, ainda desmistificaremos a associação com o ganho de peso.  O que é glúten O glúten é um conjunto de proteínas de reserva usadas por algumas plantas para nutrir suas sementes durante a germinação. Pode ser encontrado em alguns cereais, como o trigo, centeio, cevada e aveia. (2,3) Por ser uma substância viscoelástica, o glúten é muito importante na fabricação de pães, macarrão, biscoitos e outros alimentos. (3) Sendo assim, o glúten, na maior parte dos casos, pode ser consumido normalmente, sem oferecer riscos à saúde. Contudo, existem pessoas que desenvolveram intolerância ou alergia ao glúten, fazendo com que o consumo dessa proteína seja prejudicial à saúde desses pacientes, como veremos nos próximos tópicos.. (3)  Patologias relacionadas ao glúten Nos Estados Unidos, cerca de 30% das pessoas seguem uma dieta que inibe o consumo de glúten. Considerando que somente uma minoria realmente tem um diagnóstico de patologias relacionadas à ingestão dessa proteína, a restrição do seu uso pode apresentar um comprometimento nutricional para quem não convive com os seguintes problemas: alergia ao trigo (AT), sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC) e

LER MAIS
gentileza

Gentileza gera gentileza, felicidade e saúde mental!

“Gentileza gera gentileza” é uma frase que ouvimos há muito tempo e não é à toa que alguém um dia pensou nela. Fazer o bem e se doar ao bem-estar do outro é uma semente que nos faz colher frutos maravilhosos no decorrer da vida. E essa afirmação não está só no campo da subjetividade não, a ciência comprova que, ao ser gentil e fazer o bem ao próximo também é ser gentil e fazer bem a si mesmo. Vamos refletir sobre isso? Ajudar alguém, independente da circunstância, quando feito genuinamente de coração, pode te deixar mais feliz! Um estudo de seis semanas em que os participantes realizaram cinco novos atos de gentileza, um por dia, mostrou que essas pessoas sentiram um aumento significativo de bem-estar se comparado às do grupo controle. (1) Mais do que felicidade, “fazer o bem sem olhar a quem” pode aumentar os níveis de satisfação, proporcionar o senso de sentido na vida, melhorar o nosso humor e reduzir o estresse. (2) Além disso, quando ajudamos o outro, também deixamos de focar apenas nos nossos problemas, passando a levar uma vida com mais empatia e compaixão, sentimentos que enobrecem qualquer pessoa, não é mesmo? Fazer o bem é uma corrente que funciona de verdade, ao contrário daquelas que a gente recebe nas redes sociais! Isso porque, quando a gente cuida do outro, incentivamos mais pessoas a fazerem o mesmo e, assim, conseguimos um feito que tanta gente busca: fazer do mundo um lugar melhor para se viver. Existe ligação entre ajudar

LER MAIS
antioxidantes

A importância dos antioxidantes para a saúde infantil

Quando falamos da saúde de crianças, estamos considerando um tipo de organismo que está em constante desenvolvimento. Existem diversos nutrientes essenciais para que esse desenvolvimento aconteça de maneira saudável nas crianças e os antioxidantes são um exemplo deles. Nos primeiros seis meses de vida, a alimentação principal é o leite materno. Com o passar do tempo, os sistemas do corpo evoluem e requerem mais nutrientes para garantir o bom funcionamento. É aí que entra a introdução alimentar, para suprir todas as necessidades nutricionais dos pequenos, acompanhada dos desafios para garantir um cardápio balanceado e saudável. (1) É nessa fase que o contato com nutrientes importantes para o organismo, como vitaminas e proteínas, se torna mais próximo. Felizmente, nos últimos 20 anos, observou-se um declínio nos índices de desnutrição infantil no Brasil. No entanto, continua sendo uma preocupação no país, já que um dos motivos para a existência dessa realidade é o consumo inadequado de alimentos em qualidade e quantidade. (2) Sendo assim, cabe aos pais, pediatras e nutricionistas, a função de guiar os pequenos a praticarem uma dieta balanceada com hábitos saudáveis desde a infância, para que os níveis ideais de saúde sejam sempre satisfatórios e favoreçam o desenvolvimento físico e intelectual das crianças para que se tornem adultos sadios e com menos chance de desenvolver deficiências nutricionais que prejudiquem a qualidade de vida no presente e futuro. (3) Neste texto, falaremos sobre a importância dos antioxidantes para a saúde infantil, por serem aliados do bom funcionamento do organismo em qualquer idade, constituindo nutrientes vitamínicos,

LER MAIS
alimentos funcionais e superalimentos

A diferença entre alimentos funcionais e superalimentos

Provavelmente você já deve ter ouvido falar em alimentos funcionais e no termo “superalimentos”, popularizados nos últimos anos pelo crescente interesse em assegurar refeições mais saudáveis no dia a dia. Da perda de peso até a prevenção do câncer, (1) esses supostos mantimentos poderosos integram dietas milagrosas e cada vez mais adentram nossos lares. Logo, a fama gera dúvidas: será que essas denominações estão corretas? Superalimentos e alimentos funcionais são a mesma coisa? E, afinal, por que são considerados importantes? Nesse texto, você vai descobrir que alimentos milagrosos não existem e que uma alimentação equilibrada e diversificada é o caminho mais potente a ser seguido. (2) Superalimentos: existem mesmo ou é só marketing? A expressão “superalimentos” foi mencionada pela primeira vez em 2004, no livro “SuperAlimentos: Quatorze alimentos que mudarão sua vida” escrito pelo Doutor Steven Pratt. Mais tarde, com a disseminação desse termo, surgiram outros alimentos, além dos 14 apresentados pelo médico. (3) Superalimento é uma descrição utilizada para caracterizar produtos abundantes em nutrientes e considerados especialmente benéficos para a saúde. No entanto, não se trata de uma nomenclatura científica, mas de uma definição voltada para fins comerciais. (1) Reforçando: o termo “superalimento” é apenas uma criação de marketing alheia a qualquer determinação científica. (2) É preciso ter em mente que esses alimentos são excelentes para a manutenção da saúde, mas esse fato não os torna independentes e autossuficientes na dieta. Eles detêm agentes inibidores de doenças, oferecem propriedades anti-inflamatórias, reforçam o sistema imunológico e regulam o metabolismo. No entanto, a utilização do termo

LER MAIS
dietas vegana e vegetariana

O ômega 3 nas dietas vegana e vegetariana

Certamente, você conhece alguém no seu grupo de amigos que é adepto ao vegetarianismo ou veganismo. As razões pessoais por de trás da crescente adesão a esses estilos de vida podem ser diversas. Os principais motivos estão relacionados à saúde, ética, religião, meio ambiente, economia e ao acolhimento dos direitos dos animais. (1) Enquanto os vegetarianos não se alimentam de carne, os veganos excluem da alimentação tanto a carne, quanto qualquer substância de origem animal. Logo, devido à dieta mais restrita desses grupos, alguns nutrientes ficam de fora e precisam ser compensados. (2) É o caso do ômega 3, um tipo de gordura saudável essencial para a manutenção da saúde e prevenção de doenças. Já citamos a importância desse nutriente por aqui, que tem, como algumas de suas fontes, ovos e peixes. (1,3) Sendo assim, será que é possível uma pessoa que não come esse tipo de alimento conseguir suprir as necessidades de ômega 3 para o organismo? Esse é o assunto que vamos abordar neste texto. Vegetarianismo: restrito à alimentação  O vegetarianismo tem sido uma opção nutricional desde o início dos tempos. Ao longo da história, essa prática difundiu-se com a cultura de todo o mundo. Grandes filósofos e pensadores aderiram a essa rotina, iniciando por Pitágoras, passando por Leonardo da Vinci, Benjamim Franklin, Mahatma Gandhi e Albert Einstein. (1) Mas, afinal, o que é ser vegetariano? Do ponto de vista nutricional, significa não se alimentar de nenhum tipo de carne (vaca, frango, peixe, “frutos” do mar), nem de produtos feitos com carne (presunto,

LER MAIS
meditação

Como a meditação pode ajudar no controle das emoções

Por muito tempo, a meditação foi vista mais como um assunto religioso e filosófico do que de saúde. Embora ela seja praticada há, no mínimo, 3 mil anos pelos budistas, nas últimas décadas, a ciência vem comprovando os benefícios da meditação associados a diversos fatores importantes para a nossa saúde, como no controle da ansiedade e estresse, além de contribuir para o autoconhecimento e qualidade de vida, já sendo indicada como terapia complementar para pessoas de todas as idades, inclusive as crianças. (1) Segundo a OMS, o Brasil é o país com o maior índice de pessoas ansiosas no mundo. Com certeza, esse não é o tipo de ranking que queremos fazer parte, mas, infelizmente, estima-se que mais de 18 milhões de brasileiros convivem com esse transtorno que ainda é tratado como um grande tabu e ignorado por muita gente. Insegurança, medo, condições sociais, correria do dia a dia, excesso de trabalho e outros motivos, geralmente, influenciam o nosso estado mental, gerando angústia e estresse. A ansiedade é considerada natural em muitas situações, principalmente naquelas relacionadas às expectativas que criamos sobre algo, como o momento que antecede uma prova importante ou um encontro, porém, em muitas pessoas, esse sentimento de estar em alerta é algo presente o tempo todo e é aí que isso se torna um grande problema. (2,3) Mudanças de hábitos como uma alimentação mais saudável e prática de atividades físicas, terapia, uso de medicamentos, dependendo do diagnóstico, e meditação são uns dos mais importantes pilares no tratamento de uma mente ansiosa. (3)

LER MAIS
Antioxidantes

Antioxidantes: 5 motivos para consumir

Existem substâncias que são consideradas super-heroínas para o nosso organismo, com verdadeiros superpoderes. É o caso dos agentes antioxidantes! Por serem tão benéficos a saúde, já falamos sobre eles algumas vezes aqui no blog, mas, por se tratar de algo tão essencial ao nosso corpo, o assunto é sempre bem-vindo novamente. Além de reforçar o que são os antioxidantes e os seus principais benefícios, nesse texto vamos apresentar motivos comprovados para que eles não fiquem fora das nossas vidas. Antioxidantes: quem são vocês? Os agentes antioxidantes são vitaminas, minerais e outras substâncias químicas que protegem as células de elementos prejudiciais produzidos durante seu próprio metabolismo. Esses agentes são as principais substâncias que combatem os radicais livres, causadores de males como doenças degenerativas, cardíacas, derrames, alguns tipos de câncer e doenças relacionadas ao envelhecimento.(1) São considerados tipos de antioxidantes: vitaminas A, C e E, selênio, compostos fenólicos e carotenoides. (1) Eles são classificados em dois grupos: os enzimáticos e não enzimáticos. Os enzimáticos são os antioxidantes sintetizados pelo nosso próprio organismo. Os não enzimáticos são essencialmente ingeridos através de diversas fontes alimentares, especialmente frutas, legumes e vegetais. (2) Agora vamos direto ao ponto! Conheça cinco motivos que listamos para inserir os antioxidantes no seu dia a dia e ter uma vida mais saudável e feliz. 1 – Combate ao envelhecimento precoce A tão sonhada poção da juventude eterna ainda não foi descoberta, mas já sabemos que existem substâncias superpoderosas que dão uma grande ajuda para a vitalidade do nosso organismo. Os agentes antioxidantes são um belo

LER MAIS

Ômega 7 e Diabetes: entenda essa relação

Com as novas e agitadas rotinas da sociedade moderna, nossa alimentação é cada vez mais inadequada, deficiente de nutrientes e com o sedentarismo nos rondando. Como consequência, estamos mais suscetíveis a uma série de doenças como a obesidade e a síndrome metabólica, que aumentam consideravelmente os riscos de surgimento do temido diabetes tipo 2. No Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivem com a doença, o que representa 6,9% da população.(1) Com um crescimento alarmante, o diabetes é considerado uma epidemia mundial e a estimativa é que, até 2025, o número possa chegar a 300 milhões de pessoas diabéticas no mundo.(6) A boa notícia é que você pode se prevenir adotando atitudes simples: hábitos saudáveis, exercícios físicos e, principalmente, uma alimentação balanceada podem te deixar fora dessas estatísticas. A inclusão de algumas substâncias chaves no cotidiano também fazem a diferença na luta contra o diabetes. É o caso do ômega 7 e, neste texto, vamos explicar como ele pode ser um importante aliado. Primeiramente, o que é diabetes? Diabetes é uma doença crônica que surge quando o corpo não produz insulina ou não consegue empregar de forma correta a insulina que produz naturalmente. A insulina é o hormônio responsável por controlar a quantidade de glicose no sangue. Precisamos desse hormônio para utilizar a glicose que obtemos na alimentação como fonte de energia. Sem a insulina, o nível de glicose no sangue fica elevado e, se esse quadro permanecer por períodos longos, pode ocorrer danos em órgãos, vasos sanguíneos e nervos. (1) Famosos, porém nem

LER MAIS