Eu Bem Melhor

fertilidades

Nutrição e fertilidade: entenda essa relação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que, aproximadamente, de 8% a 15% dos casais apresentam algum problema de fertilidade durante sua vida fértil. Essa incapacidade biológica de contribuir para a concepção pode apresentar variadas causas, como: endometriose, miomas, obesidade, disfunções ovulatórias, síndrome dos ovários policísticos e distúrbios na tireoide. (1) Além dessas razões ginecológicas e sistêmicas, a discussão sobre outros fatores que podem influenciar a fertilidade, relacionados ao estilo de vida e condições ambientais, também vem sendo levantada por especialistas. (1) Afinal, será que a dieta pode influenciar quando falamos de fertilidade? É o que vamos descobrir neste texto.  A alimentação pode influenciar na fertilidade? Para começo de conversa, vamos enfatizar que não existe fórmula mágica que ajuda mulheres a terem filhos. O que se sabe é a fertilidade pode ser influenciada pela alimentação e nutrição e que hábitos e escolhas alimentares mais saudáveis e conscientes podem, sim, atuar consideravelmente na fertilidade de homens e mulheres. (1,2) Mas, de que modo isso acontece? Hoje em dia, é comum termos contato com produtos industrializados que carregam alto potencial inflamatório. Tratam-se de alimentos que oferecem poucos nutrientes e muitas substâncias que, em excesso, podem se tornar nocivas ao organismo, como a glicose, o sal e a gordura trans. (2) Nesse sentido, também podemos citar os carboidratos com alto índice glicêmico, pois, quanto mais consumimos alimentos com alto índice glicêmico, maiores as chances de o organismo desenvolver resistência à insulina e aumentar a produção desse hormônio, gerando um estado inflamatório no corpo que pode resultar em diabetes.

LER MAIS

Gratidão: benefícios comprovados pela ciência!

Desde pequenininhos, muitos de nós fomos ensinados a agradecer qualquer gesto de gentileza como uma maneira de educação, encarado como uma obrigação. Mal sabiam nossos pais que essa pequena atitude corrobora com um sentimento tão essencial para a nossa saúde física e mental: a gratidão! Pessoas gratas são mais felizes, menos estressadas, cuidam mais da saúde, fazem menos comparações, sofrem menos com dores, ansiedade e depressão, praticam a empatia no seu dia a dia, enxergam a vida com mais otimismo mesmo diante das dificuldades e colhem muito mais frutos ao encarar esse sentimento como um estilo de vida. (1,2) Nesse texto vamos te mostrar porque tudo isso é verdade e como incluir a gratidão na sua rotina! A vida é uma correria para quase todo mundo e isso nos coloca em um piloto automático que faz coisas simples e belas que acontecem o tempo todo passarem despercebidas por nós todos os dias. Um sorriso de alguém que cruza nosso caminho, uma flor desabrochando, o canto dos pássaros, poder acordar e sair da cama, respirar e poder ser livre para correr atrás dos nossos sonhos são pequenos exemplos da beleza que é estar vivo neste momento. As tarefas atrasadas, a sensação de ter que acertar o tempo todo e corresponder à expectativa alheia, a vontade de ter muitas coisas que ainda não conquistamos e a frustração que sentimos ao nos darmos conta de que, na verdade, não podemos dar conta de tudo, atrapalham a gente de enxergar tudo de bom que há ao nosso redor. Se

LER MAIS
Setembro amarelo

Setembro Amarelo: a importância de falar e prevenir o suicídio

Realizada desde 2014, a campanha do Setembro Amarelo, que tem como propósito abordar e conscientizar a população sobre a prevenção ao suicídio, tem ganhado, cada vez mais, voz e espaço nas discussões sobre saúde mental ano a ano. E não é por menos, somente no Brasil, anualmente, são registrados mais de 13 mil suicídios, sendo que um grande ponto de atenção é que o número de jovens dentro desses casos está cada vez maior. Uma triste realidade que está diretamente relacionada a transtornos mentais. (1) Nesta publicação, traremos luz sobre esse assunto, daremos algumas dicas de como identificar alguém com comportamentos suicidas e, também, como agir diariamente em prol da saúde mental.  Falar sobre suicídio é o melhor caminho! Um assunto pesado, delicado e que, infelizmente, ainda é um grande tabu e, muitas vezes, vai ficando debaixo do tapete, intocável. Porém, não falar sobre suicídio não faz o problema desaparecer, pelo contrário. Grande problema de saúde pública no mundo todo, o suicídio pode ser definido como um ato deliberado executado pela própria pessoa em que a intenção é a morte que, mesmo sendo ambivalente, utiliza de um meio que acredita ser letal de maneira consciente e intencional para tirar a própria vida. (2) Pensamentos, planos e tentativa de suicídio são o que chamamos de comportamentos suicidas e, assustadoramente, um dado de 2005 mostrava que 17% das pessoas no Brasil já apresentaram, em algum momento, pensamentos sobre tirar a própria vida. É muito alarmante! (2) Não é um tema que possa ser tratado de maneira simplista,

LER MAIS
estresse

Estresse: quais os riscos para a nossa saúde?

No dia a dia, você já notou perdas rápidas de memória? À princípio, não achamos que seja algo incomum, mas, na maioria dos casos, ela está relacionada ao acúmulo de estresse. Além desse sintoma, outros, como queda de cabelo, gastrite, osclilação de pressão, também estão associados ao estresse. (1) Neste texto, vamos abordar sobre os riscos do estresse para a saúde e como reduzir essas ocorrências no dia a dia, influenciando diretamente na sua qualidade de vida. Você irá perceber o quanto fazer atividades que você gosta e que te façam relaxar é importante para levar uma vida mais leve e feliz. (2)  O que é o estresse e como ele age no nosso corpo? O estresse é uma reação natural do organismo que surge quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Quando ocorre, nos coloca em estado de alerta, provocando diversas alterações físicas e emocionais. Trata-se de uma atitude biológica essencial para se adaptar às situações novas, que nem sempre são confortáveis. (3) Assim que surge a sensação de ameaça ou estresse, o corpo desencadeia uma reação química, muitos a chamam de “luta ou fuga”. O cérebro fica em alerta e produz os hormônios adrenalina e cortisol, provocando uma resposta que aumenta a frequência cardíaca, acelera a respiração, contrai os músculos e aumenta a pressão arterial. (4,5) Em relação ao segundo hormônio que citamos, o cortisol, todo esse estado de estresse e/ou alerta máximo fazem com que a produção dessa substância nas glândulas suprarrenais seja intensificada. Sendo assim, para agir corretamente, as glândulas precisam

LER MAIS
cranberry

Conheça os benefícios da cranberry para a saúde

Hoje vamos nos aprofundar sobre uma pequena fruta vinda da América do Norte e que recentemente ganhou fama devido a seus inúmeros benefícios e se tornou mais fácil de encontrar no Brasil: a cranberry. (1) A cada ano estamos mais conscientes e convencidos de como é importante fazermos escolhas melhores e mais naturais para nossa saúde. Passamos a dedicar mais tempo na seleção dos ingredientes que colocamos na nossa mesa todos os dias e colhemos os benefícios com a qualidade de vida que estamos ganhando. A natureza nos oferece diversos aliados para esta missão: as frutas (como a cranberry), sementes, raízes e outros diversos alimentos que são fontes de nutrientes para nosso corpo.  O que é cranberry? A cranberry é uma das três frutas nativas cultivadas na América do Norte, e, no Brasil, é conhecida pelo nome “oxicoco”. Os primeiros registros sobre a fruta surgem na literatura por volta de 1620, mostrando americanos usando o alimento na conservação de carnes de caça. Outro fato apontado é que seu suco vermelho era usado como tinta natural para coloração de tecidos como tapetes, cobertores e roupas. (1) Naquela época, já observavam suas propriedades medicinais e utilizavam como antisséptico natural, aproveitando a cranberry no tratamento de ferimentos que eram causados por flechas venenosas. Nos Estados Unidos, a cranberry também tem um papel cultural e importante nos tradicionais feriados, como o de Ação de Graças, e é considerada símbolo de uma vida saudável.(1) A fruta é rica em fibras (pectina), ácidos (acético, ascórbico, cáprico, málico, valeriânico, cítrico), antioxidante (flavonóides)

LER MAIS
melatonina

Melatonina: benefício para o sono e muito mais!

A melatonina é um hormônio produzido naturalmente pelo organismo. (1) Trata-se de uma molécula versátil que, além de exercer papel fundamental na regulação do sono e da reprodução, revela alta capacidade antioxidante, anti-inflamatória, antienvelhecimento e anticancerígena. (2) Sendo utilizada no tratamento de distúrbios do sono, a melatonina também atua como instrumento de suplementação alimentar.(2) Neste texto, vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre essa substância e entender quais são os efeitos de suas ações implantadas no organismo.  Melatonina: o que é, como funciona, quais os riscos e benefícios Considerada o “hormônio do sono”, a melatonina é um hormônio natural liberado sobretudo no período noturno para regularizar o ciclo circadiano em seres humanos. (3) Essa molécula é produzida pela glândula pineal e sintetizada a partir do triptofano. (4) A glândula está localizada no cérebro e é considerada a “morada da alma” pelo filósofo Descartes. (3,5) Enquanto escurece, os olhos e o cérebro sinalizam para a glândula pineal que é a hora de liberar a melatonina. Em seguida, ela chega na corrente sanguínea e viaja por todo organismo, entrando em contato com as células e iniciando o processo de indução do corpo ao sono e jejum. (5) A realização de todo esse percurso é o que nos mantém alertas e acordados durante o dia e mais sonolentos no período da noite. (6) A deficiência de melatonina pode gerar riscos à saúde. Estudos indicam que, quando há essa ausência, pode ocorrer o desenvolvimento da obesidade, alterações no colesterol, resistência insulínica e distúrbios energéticos. Noites mal dormidas também provocam a diminuição

LER MAIS
espiritualidade

Os efeitos da espiritualidade na saúde física e mental

Antes de mais nada, ao contrário do que o título possa sugerir, esse texto não é sobre religião. Falar de fé é falar sobre espiritualidade, um termo muito amplo, particular e abstrato. Qual o significado da vida? Acreditar que existe algo muito maior que nós mesmos pode ter o poder de influenciar positivamente a nossa saúde física e mental? Será que a fé desempenha tamanha capacidade sobre nós? A ciência acredita que sim e nós também! Religiosidade x Espiritualidade Esses termos estão relacionados sim, mas é essencial deixar claro que não são sinônimos. A espiritualidade pode ser compreendida como a busca do sentido da vida através de conceitos que vão além do tangível. É como se houvesse uma conexão com algo além do que se vê e a religião pode ser incluída como um instrumento da espiritualidade. (1) Na religião, temos os cultos e doutrinas compartilhados por um grupo, já na espiritualidade, existe a crença em aspectos espirituais que justifiquem a nossa existência e o nosso propósito de vida. (1) (SAAD et al., 2001; POWELL et al., 2003 apud GUIMARÃES; AVEZUM, 2007) Espiritualidade e seus efeitos positivos O JAMA Internal Medicine apontou, em um estudo em 2016, que jovens com maior grau de espiritualidade tendem a ter uma saúde melhor durante a vida adulta. (2) Uma prestigiada clínica médica americana chamada Mayo Clinic realizou um trabalho que concluiu que o envolvimento com a espiritualidade e com a religião são capazes de aumentar a capacidade de lidar com problemas, melhorar a qualidade de vida até no enfrentamento

LER MAIS
Autocuidado

5 atitudes para se cuidar mais desde já!

Quantas vezes você já colocou o outro em primeiro lugar e perdeu o protagonismo da própria vida se deixando sempre para depois? Poderia listar diversos momentos em que isso aconteceu, não é mesmo? A gente entende, pois acontece com muitas pessoas e com grande frequência, colocando como prioridade, principalmente, aqueles que amam: filhos, amigos, marido, mulher, pai, mãe, irmãos… A lista de pessoas importantes para nós costuma ser um tanto quanto extensa, mas e nós? Na escala de importância da nossa vida, em que lugar estamos? É preciso cuidar de si para cuidar do outro, e, quando nos cuidamos, inspiramos os outros a se cuidarem também. Vamos falar mais sobre isso? Cuidar de si é se enxergar com uma lente de afeto e acolhimento, tendo consciência de quem é, como quer levar a vida e tudo aquilo que deseja viver. Não faz sentido almejar uma vida longa e com qualidade sem colocar como prioridade o autocuidado: um conjunto de diversas atitudes que visam o nosso bem-estar. Para se cuidar, é preciso se ouvir, estar atento às próprias necessidades e buscar desenvolver hábitos que nos fazem bem. Na correria do dia a dia, tampamos o ouvido para a nossa escuta interna, colocando no volume máximo todas as cobranças e responsabilidades externas. O trabalho, os estudos, os outros… esses parecem ter um autofalante sobre nós, não é mesmo? É claro que todos esses fatores são essenciais na nossa história, mas não a todo e qualquer custo, não quando isso nos custa a nossa saúde e a nossa

LER MAIS
ômega 3 e gestação

Ômega 3: qual a importância para gestantes?

Os cuidados com a saúde devem estar presentes em todas as fases da vida, mas algumas, em especial, requerem mais atenção, como a gestação. O ômega 3 é um nutriente que pode ser aliado das mamães nessas fases que passam a ser cruciais em sua vida: gravidez, amamentação e a própria saúde do recém-nascido. Mulheres gestantes precisam cuidar de si e dos pequenos que estão a caminho. Estes pequeninos seres chegam ao mundo tão indefesos que precisam dos cuidados da mãe desde o ventre para que tenham um nascimento seguro e um desenvolvimento saudável. Ao longo da gravidez, a mulher possui diferentes necessidades nutricionais. O pré-natal é fundamental nesta fase, pois o acompanhamento mensal garante que todos os cuidados serão tomados. Além de explicarmos sobre os benefícios do ômega 3, vamos mostrar qual o melhor tipo de ômega 3 para o consumo durante o período de gestação. Ômega 3 Famoso no mundo e citado diversas vezes aqui no blog, já que suas funções são tão benéficas a saúde, o ômega 3 são ácidos graxos essenciais que não são fabricados pelo nosso organismo. Por ser fundamental à nossa saúde, precisamos garantir a ingestão dele através de alimentos e suplementos no dia a dia.(1)   Entre os benefícios mais conhecidos e relevantes, podemos citar: fortalecimento da memória, concentração e funções cognitivas, melhora no quadro de doenças cardiovasculares e obesidade.(2) Todos esses benefícios já foram amplamente estudados por médicos e cientistas. O que está na mira dos pesquisadores mais recentemente é como esse nutriente pode auxiliar a mulher

LER MAIS
Sistema digestório e imunidade

Sistema digestório e imunidade: qual a relação?

Estamos acostumados a pensar que o trato gastrointestinal serve apenas para digestão e absorção dos alimentos, mas na realidade, ele também tem ligação com o bom funcionamento do sistema imunológico, sabia? Nesse texto, vamos abordar como o intestino faz para ser um ótimo aliado para a imunidade, doenças que podem aparecer quando o intestino não está regulado e também vamos deixar algumas curiosidades interessantes sobre esse órgão tão importante. Intestino x sistema imunológico: qual é a relação? Como citamos acima, temos um pensamento errado a respeito do nosso intestino. Além de ter como função absorver alimentos, é no intestino que está alojada a maior coleção de células imunes do corpo. Essas células estão em plena atividade e ficam localizadas exatamente na mucosa do intestino. (1) Para entendermos melhor essa relação do intestino com o sistema imune, precisamos falar sobre a microbiota intestinal. Contendo mais de 100 trilhões de bactérias comensais de 1200 espécies diferentes, elas são super importantes para a saúde humana. Além de facilitar o metabolismo dos nutrientes e a resistência ao aparecimento de patologias, elas também promovem a integridade das células epiteliais, além de auxiliarem no desenvolvimento do sistema imunológico. (1,2) Essa relação entre a microbiota intestinal e o sistema imune é tão essencial que acaba dando uma resposta imune a doenças em órgãos além do intestino, como o trato urinário e o pulmão, por exemplo. Por isso, quando há alguma perturbação na diversidade, quantidade e estrutura das comunidades comensais intestinais, há chances do surgimento de doenças infecciosas e imunomediadas. (2) É importante

LER MAIS
Saúde Mental

Como cuidar da saúde mental? Veja 5 dicas.

A saúde mental é um dos muitos fatores que precisam estar em equilíbrio para mantermos um estilo de vida saudável. Acabamos sempre falando muito sobre a saúde física para nutrir o corpo para que possamos ter uma vida mais longa e de qualidade, mas acabamos esquecendo de nossa mente. Sabemos que a rotina costuma tirar um pouco da importância de cuidarmos de nós mesmos, dando lugar à execução de várias tarefas que o mundo nos exige. Trabalho, estudo, filhos, casa, boletos…ufa! É, realmente, muita pressão sob nós. E onde a gente fica nessa agenda tão lotada? Vamos ficando de lado, paramos de prestar atenção às nossas emoções, deixamos de fazer aquilo que gostamos e, quando reparamos, viver assim já levou meses e anos. Será que é possível cumprir todas as tarefas e, ainda assim, dar à nossa saúde mental o lugar que é dela por direito? Um lugar importante que nos faz ver mais sentido nas coisas, que nos transforma em seres humanos mais gratos e, quem sabe, até mais felizes somente pelo fato de estarmos bem mentalmente. A busca pela felicidade parece ser uma jornada sem fim e exaustiva. E ela é. Não tem linha de chegada, sabe por quê?  Porque enquanto ficamos com a cabeça “lá”, deixamos de viver a única coisa que é possível: o agora. É preciso buscar ficar bem agora, onde você está, da maneira em que se encontra, porque o amanhã pode não chegar. E quando falamos isso, não é com um sentido negativo sobre a finitude da vida

LER MAIS
IMAGEM ILUSTRATIVA

Alimentos e hábitos saudáveis que contribuem para a perda de peso

Cada vez mais abordado na mídia, o assunto alimentação, saúde e perda de peso exige um pouco mais de compreensão e conhecimentos para que as pessoas não acreditem em tudo o que veem por aí. Dietas mirabolantes e alimentos milagrosos aparecem com frequência prometendo resultados visíveis e rápidos. Induzidas por modismos e padrões, muitas pessoas, ao seguirem essas promessas colocam sua saúde em risco. Visto tudo isso, nesta publicação, vamos abordar mitos e verdades sobre os alimentos que, de fato, podem contribuir para uma perda de peso saudável. Antes de mais nada… É imprescindível dizer que, para fazer qualquer mudança ou adotar alguma dieta, é essencial que tenha o acompanhamento de profissionais dessa área. Cada indivíduo possui um organismo e a alimentação deve ser definida de acordo com suas individualidades. Não existe um alimento que será responsável por atingir os seus objetivos! Existem alimentos que apresentam excelentes propriedades e que contribuem para a promoção da saúde, porém, nenhum deles sozinho é capaz de fornecer tudo o que necessitamos para uma vida saudável e, mais que isso, nenhum alimento por si só é capaz de nos fazer emagrecer. (1) A chave para ser mais saudável e conseguir perder pesoestá em uma alimentação variada, baseada em alimentos in natura e minimamente processados, tendo em vista a quantidade, qualidade e a distribuição desses alimentos durante o dia. (1) Por que as dietas da moda não funcionam a longo prazo? Porque, por constituírem padrões de comportamento alimentar não usuais adotados entusiasticamente, a adesão tende a ser temporária, resultando no

LER MAIS