Eu Bem Melhor

pele

Os benefícios do betacaroteno e do licopeno para a pele

Quem sabe reconhecer o que é Vital entende que se cuidar é um ato de amor indispensável para levar a vida com mais leveza, qualidade e disposição. Defendemos a ideia de que beleza se nutre por dentro e que o verdadeiro ritual vai muito além da pia do banheiro. Aquilo que entra pela boca é refletido na pele, portanto, a ciência nos dá a orientação correta dos melhores aliados que provém da dieta, como os carotenoides betacaroteno e licopeno. Não sabe o que é isso? Vamos explicar. (1) Carotenóides são compostos bioativos caracterizados como corantes naturais solúveis em gorduras, presentes nas frutas e vegetais. Existem 600 pigmentos carotenóides na natureza e eles são agentes que contribuem para a fotoproteção endógena, ou seja, nos ajudam a superar os danos moleculares causados pela luz do sol motivados por fatores internos do nosso organismo. Além disso, também exercem atividade antioxidante e podem contribuir para a menor ocorrência de doenças degenerativas.  (2,3) Só nesta introdução, já é possível perceber que esses compostos são muito importantes para a nossa saúde, não é mesmo? Sendo assim, no texto de hoje, vamos falar sobre os dois principais carotenóides que beneficiam a nossa pele, sendo eles o betacaroteno e o licopeno. Continue a leitura para descobrir quais são suas vantagens e começar a incluí-los na dieta agora mesmo. Betacaroteno: bronzeador natural Se o assunto é beleza, o betacaroteno sempre se destaca. Ele é muito citado e consumido principalmente no verão, porque colabora com a formação de melanina, uma substância associada à coloração e

LER MAIS
sono

Sono: qual a importância para a saúde e como dormir melhor?

O dia foi tenso e cansativo. Ao finalizar as tarefas e responsabilidades que surgem na rotina, o momento mais esperado, com certeza, é aquele em que chegamos em casa e nos deparamos com a nossa cama esperando por nós para aquele sono revigorante. Realizamos os rituais noturnos, colocamos o pijama e só acordamos no outro dia. Esse é o cenário perfeito para quem precisa de um descanso, não é mesmo? De fato, é. Mas, e se, ao acordamos, ao invés de estarmos completamente descansados, continuarmos sentindo o cansaço, uma certa irritabilidade, sonolência exagerada, dificuldades de raciocínio e até mesmo lidar com lapsos de memória ao longo do dia? Quando esses sintomas aparecem, pode ser um sinal de que a qualidade do sono está sendo comprometida. (1) Sendo assim, no texto de hoje, vamos falar sobre a importância do sono e apresentar algumas dicas de como ter mais qualidade na hora do descanso para usufruir de todos os benefícios de uma revitalização completa. Por que dormimos? A partir de pesquisas, acredita-se que as pessoas dormem para permitir que o corpo, especialmente o cérebro, possa se recuperar. Ao longo do dia, vivemos novas experiências e isso faz com que as células presentes no cérebro construam conexões com outras partes do cérebro. Quando dormimos, as conexões mais importantes são fortalecidas, enquanto as outras são reduzidas. Além disso, o sono é uma boa oportunidade para eliminar dejetos do cérebro. (2) E o que acontece quando não dormimos? Passamos praticamente um terço das nossas vidas dormindo. Portanto, o sono é

LER MAIS
coenzima q10

5 benefícios da Coenzima Q10 para a saúde

Você pode até nunca ter ouvido falar da coenzima Q10, mas saiba que ela conhece cada pedacinho do que você é. Como assim? Bom, a coenzima Q10, também conhecida como ubiquinona, pode ser encontrada em todas as células e membranas do corpo humano, além de ser essencial para a vida. Trata-se de uma provitamina lipossolúvel, sintetizada no interior das mitocôndrias. (1,2,3) A coenzima Q10 está presente principalmente nos órgãos que necessitam de muita energia, como os músculos, o cérebro, o fígado e o coração. Sua deficiência pode comprometê-los, contribuindo com o surgimento de certas patologias. A coenzima Q10 é o único antioxidante produzido pelo próprio corpo, evitando a morte celular e protegendo o organismo contra o envelhecimento. Ela também pode ser suplementada e encontrada em certos alimentos. (4,5) Só pelo o que falamos até aqui, você já percebeu que a coenzima Q10 é muito importante para a nossa saúde. Então, listamos os principais benefícios dessa provitamina para que você fique por dentro e conheça mais uma substância que é vital para a sua sobrevivência. 1 – Contribuir para a saúde cardiovascular A coenzima Q10 funciona como uma estratégia antioxidante em doenças cardiovasculares, como insuficiência cardíaca crônica e hipertensão arterial sistêmica. (1) Os tecidos do miocárdio de indivíduos com doença cardiovascular são deficientes de coenzima Q10 e quanto maior a gravidade da doença, menor a quantidade da substância.(3,5) Estudos demonstraram que a suplementação de coenzima Q10 reduz pela metade o risco de um evento cardiovascular maior, como agravamentos de casos, implantes ou até mesmo morte. (5)

LER MAIS
dieta low carb

O que é dieta low carb quando ela pode ser indicada?

A dieta low carb é uma velha conhecida dos que buscam o emagrecimento rápido. Existem diversas opiniões sobre essa prática, mas, em resumo, trata-se de um conceito que consiste na redução do consumo de carboidratos. Sendo assim, vários tipos de dieta se encaixam na proposta low carb. (1) Neste texto, vamos conhecer um pouco mais sobre esse programa alimentar e entender para quais estratégias ele é geralmente indicado. Vamos lá? O que é dieta low carb? O próprio nome indica uma direção: “low carb”, traduzido do inglês, significa “baixo teor de carboidratos”. Ou seja, nesse tipo de dieta, o principal fundamento é restringir a ingestão desses nutrientes. (2) Por esse motivo, a proteína se torna o nutriente protagonista de todo o programa alimentar. O objetivo da estratégia low carb é fazer com que o corpo utilize a gordura como a principal fonte de energia, substituindo a glicose obtida através dos carboidratos. (2) A dieta low carb é caracterizada pela ingestão de alimentos ricos do ponto de vista nutricional, como carnes, frutas menos doces, oleaginosas, derivados do leite e gorduras boas. No cardápio, os alimentos ultraprocessados são evitados ao máximo. (3) As maiores vantagens de seguir esse tipo de dieta é que ela promove a sensação de saciedade e a perda de peso é maior e mais rápida em comparação às dietas que restringem gorduras. (1,3) Na dieta low carb, o consumo de carboidratos não deve ultrapassar 20% do total de calorias ingeridas (em média, 20 g de carboidratos/dia). (2)  O funcionamento de carboidratos no organismo

LER MAIS
propósito de vida

Ter propósito de vida te faz mais feliz e saudável

Há algum tempo a pauta do propósito de vida tem chegado a mais pessoas. Por meio de livros, palestras, religiosidade, psicologia e outros, o estudo do bem-estar, autoaceitação, crescimento pessoal, autonomia, relações positivas com os outros e assuntos relacionados passaram a despertar maior interesse da população. Mesmo se tratando de algo tão subjetivo, falar sobre propósito é, também, falar sobre saúde e envelhecimento saudável. Quer ver? O que é ter um propósito de vida? Não há apenas uma definição sobre isso. Filósofos questionam o sentido da vida há milênios e essa não é uma pergunta que possa ser respondida tão facilmente. De acordo com Damon, Menon & Bronk (2003 apud SHINODA, 2019, p. 21), o propósito de vida é uma intenção estável e generalizada de alcançar algo que é ao mesmo tempo significativo para o eu e gera consequências no mundo além do eu. (1) Segundo Guerra (1992, p. 97 apud RODRIGUES, p. 2), ter um sentido de vida quer dizer “a existência consciente de um propósito ou missão na vida da pessoa, que faz orientar-se com destino à sua concretização”. (2) Bronk (2014 apus RODRIGUES, p. 2) diz que a relação com o sentido de vida inicia desde a infância, quando nos envolvemos em atividades com propósito e intencionalidade, e que isso pode nos auxiliar a desenvolver aspirações e encontrar significado. Ainda de acordo com este autor, a busca pelo propósito de vida atinge um auge quando as questões de identidade são resolvidas e isso, geralmente, ocorre na transição entre a adolescência e a

LER MAIS

Vegetariano ou vegano? Você conhece a diferença?

Segundo uma pesquisa Ibope, cerca de 14% dos brasileiros (aproximadamente 30 milhões de pessoas) são adeptos ao vegetarianismo. Esse mesmo estudo apontou ainda que 55% dos entrevistados têm interesse em consumir mais produtos veganos. As motivações para se tornar adepto ao estilo de vida vegetariano ou vegano estão relacionadas, principalmente, à saúde, bem-estar dos animais e preocupação com o meio ambiente. (1) Apesar do crescente interesse da população, é comum a confusão entre os termos vegetarianismo e veganismo. Você saberia nos dizer a diferença entre eles? É o que vamos explicar neste texto.  O que é ser vegetariano? Vegetariano é aquele que não se alimenta de nenhum tipo de carne e nem de produtos feitos com carne. Ou seja: carnes de vaca, frango, peixe ou produtos como presunto, salsicha e salame são alguns dos itens que não são bem-vindos nesse regime alimentar. O número de restrições aos alimentos de origem animal no cardápio diário é o que nos leva a determinar o estilo de dieta vegetariana adotada. (2) Vejamos a seguir:  Tipos de vegetarianos:  Ovolactovegetariano: não consome nenhum tipo de carne, mas utiliza ovos e laticínios. A maioria da população vegetariana está incluída nesse grupo. (2, 3, 4) Lactovegetariano: veta o consumo de carne e ovos, mas utiliza laticínios. Comum na Índia e lá está ligado a razões religiosas. (2, 4) Ovovegetariano: não consome carnes nem laticínios, mas utiliza ovos. (2) Vegetariano estrito: não utiliza nenhum produto de origem animal na sua alimentação. (5) Talvez, agora, você esteja pensando: será que, ao excluir esses alimentos

LER MAIS
covid-19

Covid-19: os principais efeitos e dicas para a recuperação

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o novo coronavírus (Sars-CoV-2) como uma pandemia mundial, foram realizados diversos estudos científicos que contribuíram para a compreensão da Covid-19 e seus efeitos no organismo. Hoje, já entendemos que o coronavírus é bem mais do que uma “pneumonia um pouco mais severa”. Trata-se de uma enfermidade mais abrangente que é capaz de infectar, além do pulmão, órgãos como: coração, rins e sistema nervoso central. (1) Sendo assim, neste texto falaremos sobre os principais danos metabólicos causados pela Covid-19 e como podemos auxiliar o nosso corpo para uma boa recuperação.  Covid-19: uma doença sistêmica, além de respiratória Em primeiro lugar, vamos entender que o coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Até este momento, são conhecidos 5 gêneros, entre eles o SARS-CoV-2, o vírus causador da Covid-19. (2) Para se tornarem intracelular, os coronavírus utilizam um mesmo receptor nas células-alvo: a enzima conversora da angiotensina 2 (ECA2). A angiotensina 2 é uma substância que contrai os vasos e aumenta a pressão sanguínea, presente na membrana de vários tipos celulares, sendo amplamente difusa no organismo. A ECA2 conta com a ajuda de uma molécula conhecida por proteína S, na qual a ligação entre as duas substâncias possibilita a atividade intracelular da Covid-19 facilitando sua reprodução. (3) Cientistas afirmam que os pulmões são os alvos principais do Sars-CoV-2. Quando o vírus causador da Covid-19 atravessa a barreira imunológica e chega ao pulmão, a infecção segue se alastrando por outros órgãos. Artigos científicos destacam que as regiões

LER MAIS
endometriose

Endometriose: conheça definição, causas e prevenção

Endometriose é um problema de saúde pública que afeta aproximadamente 6 milhões de brasileiras, segundo dados do Ministério da Saúde (MS). Estamos falando de uma doença inflamatória crônica caracterizada por fortes dores que pode causar infertilidade quando não tratada corretamente. (1,2) Dependendo da intensidade dos sintomas, essa disfunção se torna capaz de interferir drasticamente na vida social, no trabalho e no estilo de vida de muitas mulheres.(1,2) No texto de hoje, vamos falar um pouco mais sobre a endometriose, apresentando algumas práticas preventivas e como lidar com o tratamento.  O que é endometriose e quais são as causas desse problema? A endometriose é a saída do endométrio, camada que reveste internamente o útero, para fora desse órgão. Os fragmentos podem chegar a se implantar nos órgãos da região pélvica, principalmente nos ovários, embaixo do útero, intestino, bexiga e o peritônio, provocando um processo inflamatório que, dependendo do caso, pode evoluir gravemente.(3,4,5) O detalhe é que, mesmo estando em um local inadequado, o tecido excedente é impulsionado a crescer e, quando a menstruação chega, ele descama simultaneamente com o endométrio original. Então, o incômodo começa: as cólicas fortes surgem, inflamações, desconforto durante o sexo, alterações urinárias ou intestinais e, em alguns casos, infertilidade. (Além disso, o risco de câncer de ovário é ainda mais alto em mulheres com endometriose. (3,4,5) Ainda não se sabe a causa definitiva da endometriose, mas pesquisadores observaram que a vida atual da mulher moderna favorece o desenvolvimento da doença, uma vez que elas menstruam mais vezes durante a vida, devido ao

LER MAIS
fertilidades

Nutrição e fertilidade: entenda essa relação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que, aproximadamente, de 8% a 15% dos casais apresentam algum problema de fertilidade durante sua vida fértil. Essa incapacidade biológica de contribuir para a concepção pode apresentar variadas causas, como: endometriose, miomas, obesidade, disfunções ovulatórias, síndrome dos ovários policísticos e distúrbios na tireoide. (1) Além dessas razões ginecológicas e sistêmicas, a discussão sobre outros fatores que podem influenciar a fertilidade, relacionados ao estilo de vida e condições ambientais, também vem sendo levantada por especialistas. (1) Afinal, será que a dieta pode influenciar quando falamos de fertilidade? É o que vamos descobrir neste texto.  A alimentação pode influenciar na fertilidade? Para começo de conversa, vamos enfatizar que não existe fórmula mágica que ajuda mulheres a terem filhos. O que se sabe é a fertilidade pode ser influenciada pela alimentação e nutrição e que hábitos e escolhas alimentares mais saudáveis e conscientes podem, sim, atuar consideravelmente na fertilidade de homens e mulheres. (1,2) Mas, de que modo isso acontece? Hoje em dia, é comum termos contato com produtos industrializados que carregam alto potencial inflamatório. Tratam-se de alimentos que oferecem poucos nutrientes e muitas substâncias que, em excesso, podem se tornar nocivas ao organismo, como a glicose, o sal e a gordura trans. (2) Nesse sentido, também podemos citar os carboidratos com alto índice glicêmico, pois, quanto mais consumimos alimentos com alto índice glicêmico, maiores as chances de o organismo desenvolver resistência à insulina e aumentar a produção desse hormônio, gerando um estado inflamatório no corpo que pode resultar em diabetes.

LER MAIS

Gratidão: benefícios comprovados pela ciência!

Desde pequenininhos, muitos de nós fomos ensinados a agradecer qualquer gesto de gentileza como uma maneira de educação, encarado como uma obrigação. Mal sabiam nossos pais que essa pequena atitude corrobora com um sentimento tão essencial para a nossa saúde física e mental: a gratidão! Pessoas gratas são mais felizes, menos estressadas, cuidam mais da saúde, fazem menos comparações, sofrem menos com dores, ansiedade e depressão, praticam a empatia no seu dia a dia, enxergam a vida com mais otimismo mesmo diante das dificuldades e colhem muito mais frutos ao encarar esse sentimento como um estilo de vida. (1,2) Nesse texto vamos te mostrar porque tudo isso é verdade e como incluir a gratidão na sua rotina! A vida é uma correria para quase todo mundo e isso nos coloca em um piloto automático que faz coisas simples e belas que acontecem o tempo todo passarem despercebidas por nós todos os dias. Um sorriso de alguém que cruza nosso caminho, uma flor desabrochando, o canto dos pássaros, poder acordar e sair da cama, respirar e poder ser livre para correr atrás dos nossos sonhos são pequenos exemplos da beleza que é estar vivo neste momento. As tarefas atrasadas, a sensação de ter que acertar o tempo todo e corresponder à expectativa alheia, a vontade de ter muitas coisas que ainda não conquistamos e a frustração que sentimos ao nos darmos conta de que, na verdade, não podemos dar conta de tudo, atrapalham a gente de enxergar tudo de bom que há ao nosso redor. Se

LER MAIS
Setembro amarelo

Setembro Amarelo: a importância de falar e prevenir o suicídio

Realizada desde 2014, a campanha do Setembro Amarelo, que tem como propósito abordar e conscientizar a população sobre a prevenção ao suicídio, tem ganhado, cada vez mais, voz e espaço nas discussões sobre saúde mental ano a ano. E não é por menos, somente no Brasil, anualmente, são registrados mais de 13 mil suicídios, sendo que um grande ponto de atenção é que o número de jovens dentro desses casos está cada vez maior. Uma triste realidade que está diretamente relacionada a transtornos mentais. (1) Nesta publicação, traremos luz sobre esse assunto, daremos algumas dicas de como identificar alguém com comportamentos suicidas e, também, como agir diariamente em prol da saúde mental.  Falar sobre suicídio é o melhor caminho! Um assunto pesado, delicado e que, infelizmente, ainda é um grande tabu e, muitas vezes, vai ficando debaixo do tapete, intocável. Porém, não falar sobre suicídio não faz o problema desaparecer, pelo contrário. Grande problema de saúde pública no mundo todo, o suicídio pode ser definido como um ato deliberado executado pela própria pessoa em que a intenção é a morte que, mesmo sendo ambivalente, utiliza de um meio que acredita ser letal de maneira consciente e intencional para tirar a própria vida. (2) Pensamentos, planos e tentativa de suicídio são o que chamamos de comportamentos suicidas e, assustadoramente, um dado de 2005 mostrava que 17% das pessoas no Brasil já apresentaram, em algum momento, pensamentos sobre tirar a própria vida. É muito alarmante! (2) Não é um tema que possa ser tratado de maneira simplista,

LER MAIS
estresse

Estresse: quais os riscos para a nossa saúde?

No dia a dia, você já notou perdas rápidas de memória? À princípio, não achamos que seja algo incomum, mas, na maioria dos casos, ela está relacionada ao acúmulo de estresse. Além desse sintoma, outros, como queda de cabelo, gastrite, osclilação de pressão, também estão associados ao estresse. (1) Neste texto, vamos abordar sobre os riscos do estresse para a saúde e como reduzir essas ocorrências no dia a dia, influenciando diretamente na sua qualidade de vida. Você irá perceber o quanto fazer atividades que você gosta e que te façam relaxar é importante para levar uma vida mais leve e feliz. (2)  O que é o estresse e como ele age no nosso corpo? O estresse é uma reação natural do organismo que surge quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Quando ocorre, nos coloca em estado de alerta, provocando diversas alterações físicas e emocionais. Trata-se de uma atitude biológica essencial para se adaptar às situações novas, que nem sempre são confortáveis. (3) Assim que surge a sensação de ameaça ou estresse, o corpo desencadeia uma reação química, muitos a chamam de “luta ou fuga”. O cérebro fica em alerta e produz os hormônios adrenalina e cortisol, provocando uma resposta que aumenta a frequência cardíaca, acelera a respiração, contrai os músculos e aumenta a pressão arterial. (4,5) Em relação ao segundo hormônio que citamos, o cortisol, todo esse estado de estresse e/ou alerta máximo fazem com que a produção dessa substância nas glândulas suprarrenais seja intensificada. Sendo assim, para agir corretamente, as glândulas precisam

LER MAIS