Bem estar

geleia real

6 benefícios da geleia real para a saúde

O mundo das abelhas é surpreendente. Além de serem insetos com vida social, elas produzem agentes naturais que se tornam úteis para a manutenção da nossa saúde. Entre eles, existe a geleia real, que merece uma atenção especial. Diferente dos outros produtos das abelhas, a geleia passou a ser utilizada a partir do século XX, sendo aplicada como complemento alimentar e na indústria de cosméticos. (1,2) Hoje, nós vamos descobrir mais sobre a geleia real. A geleia real é rica em nutrientes A geleia real é uma substância viscosa, secretada por abelhas operárias jovens para a sua nutrição. É um dos produtos mais importantes para a colmeia, pois serve de alimento para as larvas em desenvolvimento e para a abelha rainha por toda a sua vida. Estamos falando de um dos compostos mais ricos que existem na natureza, contendo, em sua composição, mais de 100 tipos diferentes de substâncias, como vitaminas, sais minerais, aminoácidos, proteínas, carboidratos, lipídios, hormônios, ácidos e entre outros. (1,3,4) Os minerais presentes na geleia real são: enxofre, magnésio, ferro, zinco, cobre, arsênio, lítio, cobalto, manganês, níquel, cromo, fósforo e nitrogênio. Em relação aos aminoácidos, encontramos a alanina, metionina, arginina, taurina, glutamina, tirosina, triptofano, entre outros. Todos esses elementos desempenham um papel fundamental, justamente por proporcionarem funções biológicas importantes. (3,5)  A maior produtora de geleia real é a China, responsável por cerca de 60% da produção mundial. Quanto à sua comercialização no Brasil, a geleia real recebe destaque como atividade do agronegócio em desenvolvimento. Então, cada vez mais, o interesse comercial em

LER MAIS
Mitocôndria

Mitocôndria: você conhece essa organela e a relação com a energia celular?

O nosso corpo é repleto de substâncias e componentes que agem em função do bom funcionamento do organismo e sempre procuramos abordá-los por aqui. Hoje, vamos falar sobre as mitocôndrias, estrutura presente nas células no nosso corpo e que desempenha um papel essencial, sobretudo quando falamos de energia celular, indispensável para o funcionamento do nosso organismo.  O que são as mitocôndrias? As mitocôndrias são organelas essenciais na fisiologia celular e possuem diversas funções para o bom funcionamento das células humanas. Tratam-se de pequenas estruturas encontradas no interior de todas as células do corpo e que possuem um formato cilíndrico rígido e alongado, com uma membrana externa e a outra interna. (1,2) No organismo humano, há uma média de 500 a 2.000 mitocôndrias por célula. Além disso, você sabia que essas organelas possuem o seu próprio DNA? A herança do DNA mitocondrial, inclusive, é materna, pois, na formação do embrião, ele recebe apenas as mitocôndrias do ovócito, não dos espermatozoides. (1,2) Um outro fato interessante é que as mitocôndrias são responsáveis por produzir aproximadamente 90% de energia do corpo. A partir da utilização de nutrientes e oxigênio, é gerada uma energia química chamada de trifosfato de adenosina, mais conhecida como ATP, uma molécula essencial para a realização de todas as atividades no organismo dos seres vivos. (1,2,3) Guarde bem essa sigla, vamos falar mais sobre esse assunto no próximo tópico! Sendo assim, visto a importância das mitocôndrias para o corpo, ressaltamos que a disfunção dessas organelas pode provocar desordens e doenças, trazendo riscos à nossa saúde.

LER MAIS
verão

Quais os cuidados com a saúde o verão exige?

Os cuidados com a saúde devem acontecer o ano inteiro, claro. Mas quando as estações do ano vêm com temperaturas muito mais altas ou muito mais baixas, devemos tomar cuidados especiais Agora, com a aproximação do verão, já estamos vivendo dias de temperaturas mais quentes. É normal que fiquemos um pouco perdidos sobre a melhor decisão a ser tomada quando falamos de aproveitar o verão de forma consciente. Por isso, preparamos um conteúdo super especial para tirar as dúvidas que mais surgem nesse período, para você aproveitar cada momento sem ameaçar a saúde. Vamos lá? É possível morrer de calor? De vez em quando, ouvimos e reproduzimos essa expressão tão comum no cotidiano do brasileiro que vivencia as nuances de um clima tropical. Estamos falando da famosa frase “vou morrer de calor!”. À propósito, você sabia que isso realmente pode acontecer? Primeiro, é preciso que você entenda os riscos que acompanham a chegada do verão, para que, então, possa se proteger adequadamente e curtir essa estação do ano sem perigos. Estudos apontam que, durante as ondas de calor que acontecem especialmente no verão, há um aumento na taxa de mortalidade de alguns grupos, sobretudo os de pessoas idosas e bebês, que, muitas vezes, dependem de cuidados de terceiros para se protegerem, além de possuírem menor capacidade de adaptação. (1) Quando está calor, o suor aparece como uma forma de regular a temperatura do corpo. O cérebro envia os comandos para que a temperatura da pele caia, o que influencia também na temperatura do sangue circulando

LER MAIS
praia

Curtindo a praia com mais saúde

O dia daquela viagem marcada desde o início do ano se aproxima. Finalmente, o momento de curtir a praia vem chegando e quase já é possível ouvir o som do mar. Mas, será que você está preparado para viver esse momento da melhor forma? Caso não tenha certeza, saiba que, depois desse texto, a sua experiência diante desse momento tão esperado será bem mais segura, principalmente quando falamos sobre os cuidados com a pele. Afinal, a saúde não tira férias. Doenças que mais aparecem na praia Chega o verão e o maior órgão do corpo humano fica ainda mais exposto. A combinação de sol, excesso de suor, areia e praia pode elevar o risco de algumas doenças de pele. Então, é importante que você saiba quais são e como evitar. (1)  Brotoejas: São pequenas bolinhas que surgem devido ao contato da pele com o suor. Aparecem especialmente em bebês, naquelas “dobrinhas” da própria pele ou das roupas. As bolhas podem ser transparentes e com pouca coceira, como também avermelhadas que provocam bastante coceira. (1) Para evitar a brotoeja, o ideal é utilizar roupas leves e soltas, evitando locais muito abafados que provocam o suor excessivo. (1)  Micoses: Causadas por fungos, essas infecções podem surgir na pele, unhas e cabelos. Ninguém está livre desse problema. Ao estar diante de condições favoráveis ao seu crescimento, como calor, umidade e baixa de imunidade, esses fungos têm ainda mais chances de se reproduzirem e causar a doença. (1) A melhor forma de prevenir é manter hábitos básicos de higiene,

LER MAIS
intestino Irritavel

Síndrome do Intestino Irritável e alimentação: qual a relação?

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) está presente em cerca de 20% da população mundial. Essa condição começa a se manifestar, normalmente, após vivenciarmos um momento de estresse, tanto físico quanto emocional. Não podemos afirmar que se trata de um problema de critério psicológico, pois ocorrem alterações funcionais no órgão intestinal. No entanto, o fator emocional é realmente um grande desencadeador de crises. (1) Quer saber mais? Continue a leitura! Neste texto, trouxemos informações sobre a Síndrome do Intestino Irritável e te ajudamos a entender qual a relação dela com a alimentação. O que é a Síndrome do Intestino Irritável (SII)? A Síndrome do Intestino Irritável é um distúrbio caracterizado por desconforto abdominal, dor, diarreia e prisão de ventre. É definida como uma doença funcional, pois não apresenta anormalidades estruturais e bioquímicas. (2,3) Apesar de as causas não serem muito esclarecidas, especialistas acreditam que a hipersensibilidade visceral pode ser agravada pelo consumo de certos alimentos. Portanto, a Síndrome do Intestino Irritável também é definida como um distúrbio multifatorial, que está relacionado com transtornos neurológicos diretamente ligados ao intestino. (2,3) Portadores da Síndrome do Intestino Irritável descrevem a presença de dores e desconfortos abdominais recorrentes, acompanhados de alguns sintomas que podem continuar por semanas e meses, interferindo na qualidade de vida dos pacientes. (2) São eles: Constipação e diarreia, sem motivo aparente; (1,2) Alívio total ou parcial da dor após a evacuação; (2) Distensão abdominal e flatulências; (2) Inchaço temporário da barriga, com dores, após as refeições. (1) As causas da Síndrome do Instestino Irritável podem

LER MAIS
Licopeno

Licopeno: um poderoso antioxidante

Algumas substâncias contidas nos alimentos podem nos ajudar a envelhecer melhor e com mais saúde, uma delas é o licopeno. Você pode até achar esse nome estranho, mas é essa substância que dá a cor avermelhada em diversos alimentos, como tomate, melancia, goiaba entre outros. Esse poderoso antioxidante já faz parte da sua dieta e você nem sabia! Vamos descobrir os benefícios do licopeno pra nossa saúde? Siga nesta leitura.  Radicais Livres e Antioxidantes  Antes de tudo, vamos entender um pouco sobre radicais livres e antioxidantes. Os radicais livres são moléculas muito instáveis que possuem um número ímpar de elétrons. Ao buscar a estabilidade, eles acabam sendo extremamente reativos, removendo elétrons de compostos estáveis, formando, assim, outros radicais livres. (1) Quando o sistema de defesa fisiológico do nosso organismo se torna insuficiente no combate aos radicais livres, ocorre um fenômeno chamado estresse oxidativo, que é conhecido como um dos principais responsáveis pelo aumento de risco de doenças crônicas como doenças cardiovasculares e o câncer. (1) Então, para evitar os danos causados por eles, nosso organismo desenvolveu mecanismos de defesa, como os antioxidantes, que são capazes de neutralizar as ações provocadas pelos radicais livres. Por isso, o consumo de alimentos antioxidantes é tão importante! (1) Podemos separar os antioxidantes em dois grupos: enzimáticos (produzidos pelo próprio organismo) e não enzimáticos (quando são obtidos por meio da alimentação). (1) Licopeno: conheça esse carotenoide Chamamos de alimentos funcionais aqueles ingredientes que, além de desempenhar funções nutricionais básicas, proporcionam benefícios para a nossa saúde. Esse tipo de alimento pode

LER MAIS

A importância do ômega 3 na prática de atividades físicas

As atividades físicas, hoje em dia, são cada vez mais procuradas pelas pessoas, afinal, seus benefícios são diversos: perda de peso e gordura corporal, redução da pressão arterial, melhora do diabetes e no metabolismo de carboidratos e até diminuição do colesterol total, além de claro, proporcionar uma melhoria na qualidade de viral em geral. (1,2) Mas você sabia que o ômega 3 acabou virando um aliado para quem busca um melhor rendimento físico? Nesse texto, vamos abordar a importância dessa gordura no organismo dos atletas. Por que ômega 3? Como já é de conhecimento de todos, além de comprovado por estudos, uma má alimentação e uma vida sedentária são prejudiciais à saúde. Com o acesso mais fácil à informação e a preocupação na mudança de hábitos alimentares, a indústria também se viu em um papel em que era preciso mudar e, assim, uma maior atenção foi dada aos alimentos chamados funcionais”), os chamados alimentos funcionais. (1) Um desses compostos funcionais mais conhecidos, sem dúvida, é o ômega 3, um ácido graxo poli-insaturado (gordura) muito importante para a saúde humana. E, como o nosso organismo não o produz, precisamos adquiri-lo de alguma forma: por meio da suplementação ou por meio da alimentação. (1) O ômega 3 pode ser encontrado em peixes de águas frias e profundas, como atum, salmão e truta, além de também ser possível ser extraído de sementes de plantas, como a linhaça. A noz, o óleo de canola e as folhas verdes escuras também possuem ômega 3. (3) O ômega 3 é antioxidante

LER MAIS

Conheça 11 principais benefícios das sementes de abóbora

As sementes de abóbora podem ser pequenas, mas estão cheias de nutrientes valiosos. Comer apenas uma pequena quantidade delas pode fornecer uma quantidade substancial de gorduras saudáveis, magnésio e zinco. Por causa disso, as sementes de abóbora têm sido associadas a vários benefícios para a saúde. Estes incluem melhor saúde do coração, saúde da próstata e proteção contra certos tipos de câncer. Além disso, essas sementes podem ser facilmente incorporadas à sua dieta. Conheça agora os 11 principais benefícios para a saúde das sementes de abóbora comprovados pela ciência 1 – São ricas em nutrientes valiosos Ao contrário das sementes brancas e duras de uma abóbora, a maioria das sementes de abóbora compradas no supermercado não tem casca. Estas sementes sem casca são verdes, planas e ovais. Uma porção de 28 gramas contém: Fibra: 1,7 g Carboidratos: 5 g Proteína: 7 Gordura: 13 g (6 dos quais são ômega-6) Vitamina K: 18% Fósforo: 33% Manganês: 42% Magnésio: 37% Ferro: 23% Zinco: 14% Cobre: 19% Eles também contêm uma grande quantidade de antioxidantes e uma quantidade razoável de ácidos graxos poli-insaturados, potássio, vitamina B2 (riboflavina) e folato. As sementes de abóbora e óleo de semente prensado a frio também contêm muitos outros nutrientes e compostos de plantas que demonstraram fornecer benefícios à saúde. Essa foi a conclusão de um estudo da Universidade da Virgínia (EUA). 2 – São ricas em antioxidantes De acordo com estudos do Departamento de Bioquímica da Áustria, as sementes de abóbora contêm antioxidantes como carotenoides e vitamina E. Antioxidantes podem reduzir a

LER MAIS

Ômega 3: um aliado importante na saúde do cérebro

Para ter uma vida equilibrada e saudável é preciso ter, entre outros fatores, uma mente sadia, certo? Entre as várias formas de manter o bom funcionamento do cérebro estão atividades como ler, jogar xadrez, aprender um novo idioma, fazer palavras cruzadas e ter uma alimentação saudável. Nesse quesito, um dos principais amigos do seu cérebro é o ômega 3! Como nosso organismo não é capaz de produzir esta substância, é muito importante suplementar diariamente com ômega 3! A melhor forma de se obter ômega 3 de forma prática e segura é através de bons suplementos. Eles já vêm com a quantidade certa de nutrientes  que você precisa para “turbinar seu cérebro”, são fáceis de ingerir e de incorporar na rotina. Mas antes, certifique-se de que o produto tenha a concentração adequada dos ácidos graxos essenciais  EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosahexaenoico) para que você faça a ingestão de 250 a 500 mg por dia. E mais: procure uma empresa idônea que não coloque sua saúde em risco, ou seja, o produto deve ser livre de metais tóxicos! Mas e os alimentos? O problema é que, para obter a quantidade necessária de ômega 3 através deles, seria preciso ingerir uma grande quantidade, várias vezes ao dia. E mais: alguns desses alimentos são difíceis de encontrar ou preparar e nem sempre são livres de metais tóxicos, como os peixes, por exemplo. Quais os benefícios do ômega 3 para o corpo? O ômega 3 participa ativamente do bom funcionamento deste órgão de várias maneiras. Ele pode: –

LER MAIS