Qualidade de vida

Adoçantes naturais e sintéticos: qual a diferença entre eles?

A preferência pelo sabor doce é algo inerente aos seres humanos. Porém, com o aumento da busca por estilos de vida mais suadáveis, a procura por adoçantes também aumentou. Mas será que sabemos escolher o adoçante ideal? Será que todo adoçante é mais saudável que açúcar? O que sabemos é que o consumo de açúcar em excesso gera efeitos prejudiciais ao nosso organismo, como o aumento do risco de diabetes e das reservas de gordura no fígado, além do ganho de peso. (1,2) A Organização Mundial da Saúde considera que a ingestão de açúcar deve representar de 5% a 10% das calorias diárias, porém, pesquisas apontam que o consumo diário brasileiro chega a atingir 16% a 18%, muito acima do recomendado pela OMS. (2) Neste texto, vamos tratar sobre os adoçantes naturais e sintéticos e entender como eles atuam no nosso organismo. O que são e como atuam? Os adoçantes, também conhecidos por edulcorantes, são substâncias capazes de conferir sabor doce aos alimentos, normalmente utilizados como substitutos ao açúcar. Além disso, possuem pouco ou nenhum valor calórico e a maioria deles não são absorvidos pelo organismo. (2,3,4,5) Adoçantes podem ser naturais ou sintéticose a principal diferença entre essas duas classificações está nos ingredientes utilizados na produção e o sabor. (2,3,4,5) Independentemente do tipo, todos os edulcorantes utilizados em solo brasileiro devem ser aprovados pela ANVISA. Sem contar que ainda passam pela avaliação de órgãos internacionais que orientam quanto à ingestão diária máxima recomendada dos adoçantes. Apesar de ser um bom substituto do açúcar, seu uso

LER MAIS
Microbiota intestinal

Microbiota intestinal: por que ela é vital para o organismo?

Provavelmente, você já ouviu falar na flora intestinal, certo? Denominada também como microbiota intestinal, trata-se de uma biodiversidade de micróbios que habitam o nosso trato gastrointestinal e que é muito importante para a manutenção da nossa saúde. (1) Neste texto, vamos descobrir, juntos, qual a função desse ecossistema que é único em cada indivíduo e o quanto seu equilíbrio influencia em diversas áreas da saúde do nosso organismo. (2)  O que é a microbiota intestinal? Dizer que somos quase metade humanos e metade micróbios não é tão absurdo assim. A microbiota intestinal nada mais é do que as bactérias, vírus e fungos que habitam todo o nosso trato gastrointestinal. Estima-se que a população da microbiota intestinal chega a quantidade de 100 trilhões de micro-organismos que, juntos, pesam cerca de 2kg, sendo mais pesado que o nosso cérebro. É importante ressaltar que, sem essas bactérias, não sobreviveríamos, já que elas são responsáveis pela produção de enzimas e hormônios que proporcionam a digestão, por exemplo. (1,3,4) O desenvolvimento da microbiota intestinal acontece logo após o nascimento. Inclusive, a mãe é a primeira fonte de micro-organismo das crianças. Indivíduos que nasceram de parto normal entram em contato com as bactérias mais rapidamente do que aqueles que chegaram ao mundo por cesárea. Isso ocorre porque, no parto normal, já vivenciamos um contato direto com a microbiota fecal materna, ao contrário da cesárea, em que a contaminação inicial acontece pelo meio ambiente que retarda o estabelecimento da microbiota. (3,5) A microbiota intestinal é um ecossistema único de cada indivíduo e

LER MAIS
Atividade física

Atividade física e sistema imunológico: entenda essa relação

Nossa saúde depende muito do sistema imunológico e isso ganhou ainda mais evidência durante a pandemia que estamos vivendo. Mas o que exatamente a atividade física tem a ver com o sistema imunológico? É sobre isso que falaremos no texto de hoje. Saúde, bem-estar e qualidade de vida nunca estiveram tão em alta como neste momento. O ato de se cuidar passou a ser um estilo de vida que tem sido adotado por grande parte da população. Investir na saúde, praticar esportes e cuidar da mente tem sido a maior “moda” da sociedade atual. Embora seja comprovada a ligação direta entre a atividade física e a imunidade, é importante ressaltar que exercícios físicos não nos impedem de sermos infectados por alguma doença. A ajuda vem por meio de um reforço no sistema imunológico, que melhora a resposta do corpo tornando-o mais forte para combater esse tipo de perigo. (1) Como funciona o mecanismo de defesa do organismo? Nosso sistema imunológico é o grande defensor do nosso organismo. Ele é composto por células, tecidos, órgãos e moléculas. Esse sistema garante o reconhecimento de células e substâncias estranhas e age na destruição ou neutralização dos invasores, graças às respostas que recebe dos seus componentes. Essa resposta é fundamental para garantir que o corpo desenvolva ou não uma doença ou até mesmo a duração que ela terá. O sistema imune consegue diferenciar as células do próprio corpo das que são consideradas “invasoras” e garante a defesa do nosso organismo.(2) E como as atividades físicas podem contribuir com o

LER MAIS
Introdução Alimentar

Como fazer a introdução alimentar corretamente?

A introdução alimentar é um processo natural no desenvolvimento de todas as crianças e, se feita de uma maneira saudável, será de extrema importância para um crescimento com mais saúde e qualidade de vida. Mas você sabe quais alimentos devem ser oferecidos na introdução alimentar e como ela deve ser feita? Vamos descobrir! O que é introdução alimentar? A introdução alimentar nada mais é do que a fase onde os bebês começam a comer outros alimentos além do leite materno. Segundo a OMS, a introdução alimentar deve começar a partir dos seis meses de idade. (1) É importante destacar que, também de acordo com a OMS, bebês devem ser alimentados exclusivamente com leite materno até os 6 meses de idade. O aleitamento é essencial para que a criança desenvolva corretamente a maturação e o crescimento das estruturas do sistema estomatognático (como língua, lábios, bochechas etc) e estimular o desenvolvimento de funções fisiológicas, como a mastigação e a deglutição, além de ser um superalimento cheio de nutrientes essenciais para o bebê. (2) Quando o bebê completa seis meses, o recomendado é começar a inserir outros alimentos na dieta e, se possível, continuar com o aleitamento materno até os dois anos. (1) Caso a mãe não consiga amamentar por algum motivo, ela pode optar por fórmulas infantis – sempre lembrando que isso deve ser recomendado por um pediatra.(1) O processo da introdução alimentar precisa ser lento e gradual porque algumas crianças podem estranhar certos alimentos e acabar recusando – e isso é normal, pois é algo novo

LER MAIS
Alimentação saudável

Alimentação saudável e a relação com a saúde

Provavelmente, você já ouviu inúmeras vezes que a alimentação influencia diretamente na qualidade de vida, tanto física quanto mentalmente. Se ainda tem dúvidas sobre esse assunto, podemos adiantar que é pura verdade e é sobre isso que falaremos hoje. O que é ser mais saudável? Para ter um estilo saudável, é preciso alinhar diversos pilares na maneira como levamos a vida, buscando, sempre, o equilíbrio entre eles. Ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos são alguns desses principais pilares que comentamos. Um não substitui o outro e é essencial ter isso em mente. Tudo vai se completando para nos proporcionar mais saúde e bem-estar. Ainda falando sobre a alimentação, grande parte de nós sabe que um dos “segredos” para que ela seja de qualidade está nas boas escolhas e na variedade dos alimentos. Mas, por quê? Provavelmente, não responderemos todos os porquês envolvendo isso, porém, selecionamos algumas informações que temos certeza que irá contribuir muito na hora de você escolher como, por que e com o que vai se alimentar. (1) Princípios básicos da alimentação saudável Como falamos acima, a variedade é, de fato, essencial na vida de quem deseja se alimentar bem e com qualidade. Por isso, esteja sempre atento(a) se o seu “prato” possui diversas fontes de nutrientes que farão o organismo funcionar de maneira saudável. Ou seja: (1) – frutas; – verduras; – legumes; – cereais; – fontes de proteínas, ferro e cálcio; – carboidratos do bem; – água, muita água e muito mais. Pronto, fácil!  Já sabemos o que precisa

LER MAIS
Consumo Consciente

8 dicas para adotar um consumo mais consciente e sustentável

Será que é possível viver e ser mais feliz com menos e ser mais desapegado dos bens materiais? Não só acreditamos que sim, como também incentivamos uma reflexão sobre a maneira que nos relacionamos com as coisas e como escolhemos o que ter e consumir nessa vida. Ser mais consciente sobre o que realmente importa é necessário, pode resultar em mais qualidade de vida e, ainda, contribuir para um mundo mais saudável e sustentável para todos! É preciso buscar a harmonia entre a satisfação, preservação do meio ambiente e o bem-estar social! (1) Ações individuais refletem na coletividade e, por isso, fazer boas escolhas é olhar para si e para o outro. Se não mudarmos nossos comportamentos em relação ao consumo, futuras gerações sofrerão com a escassez. (1) Consumir de maneira consciente coloca em cima da mesa fatores além do preço e da marca. É preciso levar em consideração o meio ambiente, a saúde humana e animal e as relações justas de trabalho. (2) Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e do portal de Educação Financeira “Meu Bolso Feliz” apontou que 17% das pessoas não sabem “muito bem o que fazer” para praticar o consumo consciente. (2) Levando em conta esse dado e a necessidade quase que urgente de uma mudança significativa da nossa relação com o consumo, separamos algumas dicas que podem nos tornar mais conscientes na hora de consumir! Veja: 01: Pensar antes de comprar e escolher bem a empresa de onde vai comprar. Realmente é preciso adquirir

LER MAIS
Oleaginosas: quais escolher para mais qualidade de vida e longevidade?

Oleaginosas: qual sua escolha para mais qualidade de vida?

É incontestável que, com o passar dos anos, muita gente começou a aderir a hábitos de vida saudáveis, como exercícios físicos e uma boa alimentação. E por falar em alimentação, estudos comprovaram que consumir oleaginosas melhora a qualidade de vida e a longevidade, e é sobre isso que falaremos nesse texto. Oleaginosas: um bem necessário Uma busca incansável por estratégias que visam o tratamento e a prevenção de doenças crônicas não transmissíveis – até mesmo a síndrome metabólica e a obesidade – tem feito com que pesquisadores avaliem o efeito da ingestão de alimentos específicos no controle metabólico e no peso corporal. (1) Os estudos levam a crer que, quando as oleaginosas são incluídas na dieta, elas conseguem contribuir para uma melhora no perfil lipídico e de antioxidantes, como resultado, melhora também o perfil lipídico sanguíneo e os marcadores de estresse oxidativo e de inflamação. (1) Ainda segundo estudos, se uma pessoa comer cerca de 30 gramas por dia de oleaginosas, as chances de uma mortalidade precoce são reduzidas em até 22%. Esse efeito positivo foi demonstrado em diversas doenças, de câncer a problemas cardíacos.(2) Quais oleaginosas consumir? Listamos aqui alguns exemplos: (2) – Pistache; – Avelã; – Castanha de caju; – Castanha-do-pará; – Noz; – Amendoim; – Amêndoa; – Macadâmia. A mortalidade em decorrência por diversos problemas, como derrame, diabetes, Alzheimer, doenças cardiovasculares e respiratórias, infecções, câncer e até problemas renais pode ser diminuída com a inclusão de algumas dessas oleaginosas na dieta.  .(2) E como as oleaginosas podem nos ajudar? Simples! As oleaginosas

LER MAIS

O poder transformador da colaboratividade para o planeta

“Se quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá em grupo”. – Provérbio Africano. É com essa frase que você, provavelmente, já ouviu em algum lugar, que iniciamos uma reflexão sobre o poder da colaboratividade em transformar o mundo em um lugar melhor tanto para os seres humanos em suas individualidades quanto para a vivência em sociedade, como isso é essencial para o planeta que queremos deixar para as próximas gerações e qual o papel das empresas nessa transformação. Se este é um assunto que é relevante e necessário para você, temos certeza que, ao final deste texto, ficará mais claro o quanto pequenas e imediatas mudanças podem gerar um impacto positivo no resultado que estamos buscando como sociedade. “Eu sou parte de uma equipe. Então, quando venço, não sou eu apenas quem vence. De certa forma, termino o trabalho de um grupo enorme de pessoas”. – Ayrton Senna. De acordo com Gray (1989 apud MAFFIA, 2017), “a colaboração ocorre quando um grupo de partes autônomas e interessadas em um determinado domínio de problema envolve-se em um processo interativo, compartilhando regras, normas e estruturas para atuar ou decidir sobre questões relacionadas a esse domínio”.(1) Em um mundo cada vez mais conectado, nunca foi tão fácil se unir a pessoas e corporações que estão dispostas a fazer diferença positiva na sociedade e no planeta. Para isso, é preciso nos conhecermos como indivíduos e compreender o que queremos e como podemos nos movimentar para colaborar com aquilo que acreditamos ser necessário para a sociedade e

LER MAIS

Magnésio: saiba como ele atua no Sistema Neuromuscular

Já abordamos a diversidade de benefícios do magnésio algumas vezes aqui no blog. Você pode conferir a importância deste mineral no nosso corpo clicando neste link:https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/ e, se quiser saber como ele pode contribuir no tratamento contra a ansiedade e depressão, é só clicar neste: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/magnesio-no-combate-depressao-ansiedade/. Agora, você vai entender melhor como ele atua no nosso sistema neuromuscular. Vamos lá?! Anatomia e fisiologia do sistema neuromuscular – Sistema Nervoso Central: Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes e, também, temos a medula espinhal,onde ocorrem muitas atividades motoras reflexas e circuitos neurais que estão diretamente associados à execução de movimentos, sendo eles voluntários ou não. (1) – Músculos: Temos três tipos que se diferenciam na organização celular e nas propriedades contrácteis. São eles: (1) – Esqueléticos (ou estriados); – Lisos; – Cardíacos. Entre as principais funções dos músculos, em especial dos esqueléticos, estão: (1) – Produzir movimento; – Estabilizar a articulação; – Manter a postura; – Produzir calor. Para cumprirem essas funções, eles exercem quatro propriedades: (1) – Excitação elétrica; – Contração; – Extensão; – Elasticidade. Caso você não saiba da importância do magnésio no nosso organismo, explicamos melhor nesta publicação: https://vitalblog-dev.actionlabs.com.br/qual-a-importancia-do-magnesio-no-corpo-e-quando-suplementar/. Não deixe de conferir! O magnésio e os músculos: entenda essa relação No sistema neuromuscular, o magnésio

LER MAIS

Mudança climática, natureza e ser humano: como é essa relação?

Há muito tempo, o aquecimento global e as mudanças climáticas fazem parte da pauta sobre o meio ambiente com índices preocupantes. Mesmo ouvindo falar muito sobre esse assunto, parece que ainda não aprendemos o quanto estamos diretamente relacionados com números que assustam e alertam sobre os riscos que a vida na Terra está correndo. Vamos entender melhor como a mudança do nosso comportamento em relação ao planeta é crucial para uma virada positiva neste cenário? A Revolução Industrial e a emissão de gases Desde a Revolução Industrial, no século XVIII, vimos a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera se multiplicarem. São gases de efeito estufa:(1) – Dióxido de Carbono CO2): utilizado como referência no assunto aquecimento global, é o gás mais abundante e que é emitido por diversas atividades exercidas pelo homem, como no uso de combustíveis fósseis (gás natural, carvão e petróleo). Desde a era industrial, o montante deste gás na nossa atmosfera aumentou cerca de 35%. (2) – Metano (CH4): muito encontrado em aterros sanitários, reservatórios de hidrelétricas e lixões, é produzido pela decomposição de matéria orgânica. Além disso, o cultivo de arroz e a criação de gado, também produzem esse gás. O gado?! Sim. A flatulência e o arroto do boi e da vaca produz metano, sabia? – Óxido Nitroso (N2O): com poder de aquecimento global 310 vezes maior que o dióxido de carbono, ele é resultado de tratamento de dejetos animais, uso de fertilizantes, alguns processos industriais, queima de combustíveis fósseis e outros. (2) – Hexafluoreto de Enxofre (SF6):

LER MAIS

Relações sustentáveis: o nosso futuro depende disso!

A palavra sustentabilidade é tão versátil, ambígua e subjetiva! É uma questão complexa com diversas abordagens. Como sustentar, conservar, proteger e manter o equilíbrio tanto nas nossas relações comerciais quanto com o nosso planeta? É essa a reflexão que abordaremos neste texto! Afinal, o que é sustentabilidade? Fomos buscar a fundo a definição desta palavra e o que encontramos foram diversos pontos de vista como: – “Uma técnica de desenvolvimento que resulta na melhoria da qualidade de vida e simultaneamente na minimização dos impactos ambientais negativos”. (MEADOWS;MEADOWS;RANDERS, 1992 apud SILVA et al, 2016, p. 77).(1) – Segundo Dias (2011 apud SILVA et al, 2016, p. 77-78) , a sustentabilidade é dividida em três dimensões: econômica, social e ambiental, considerando-se em termos econômicos, as organizações têm que ser economicamente viáveis, face ao seu papel na sociedade e que deve ser cumprido levando em consideração o aspecto da rentabilidade […]. Em termo social, a organização deve proporcionar boas condições de trabalho, empregos, inclusão social para combater a desigualdade; e em questão ambiental, a empresa deveria pautar-se pela eco eficiência, preocupar-se com os impactos gerados pelo uso dos recursos naturais e pelas emissões de poluentes. (1) – “Sustentabilidade é consequência de um complexo padrão de organização que apresenta cinco características básicas: interdependência, reciclagem, parceria, flexibilidade e diversidade. Se estas características foram aplicadas às sociedades humanas, essas também poderão alcançar a sustentabilidade”. (CAPRA, 2006, apud ROSA, 2007).(2) A importância do propósito relações sustentáveis Atualmente, essa palavra tem sido usada com mais frequência, já reparou? “Qual o seu propósito?” A

LER MAIS

Vitaminas e minerais que podem te deixar mais belo e com mais saúde!

A alimentação e o que ingerimos está 100% ligado à saúde e bom funcionamento do organismo e isso, provavelmente, você já sabe. Mas, sabia que os alimentos que você consome também têm fator essencial na sua beleza? E, mais que somente a sua alimentação, existem suplementos que podem agir também no âmbito estético? Se você está se perguntando “como assim?!”, essa publicação vai ser muito esclarecedora. Quer ver? Pele, cabelo, unha e alimentação Conquistar uma pele mais saudável, disfarçar os impactos da idade causados pelas marcas de expressão, ter um cabelo com mais brilho e forte e melhorar a saúde e resistência das unhas… Se, enquanto listamos todos esses tópicos, você se identificou e desejou usufruir de algum destes benefícios estéticos, saiba que muitos minerais e vitaminas presentes em alimentos e suplementos muito conhecidos por nós, e que fazem parte da rotina de quem se alimenta de maneira saudável, podem ser ótimas (e até deliciosas) maneiras para obter resultados como esses que citamos.(1) Nutrição, estética e nutricosméticos O conceito de beleza de dentro para fora tem tudo a ver com a nutrição e vamos explicar o porquê. De acordo com diversos estudos, produtos como os cremes hidratantes e soluções tópicas podem não bastar para diminuir a velocidade dos efeitos causados pelo envelhecimento ou fortalecer nossos cabelos e unhas. Por isso, o mercado dos nutri cosméticos tem crescido tanto! (1) Esta categoria de produtos tem como premissa proteger, regenerar e tratar a pele, as unhas e os cabelos de dentro pra fora, além de também agir no

LER MAIS