Qualidade de vida

Introdução Alimentar

Como fazer a introdução alimentar corretamente?

A introdução alimentar é um processo natural no desenvolvimento de todas as crianças e, se feita de uma maneira saudável, será de extrema importância para um crescimento com mais saúde e qualidade de vida. Mas você sabe quais alimentos devem ser oferecidos na introdução alimentar e como ela deve ser feita? Vamos descobrir! O que é introdução alimentar? A introdução alimentar nada mais é do que a fase onde os bebês começam a comer outros alimentos além do leite materno. Segundo a OMS, a introdução alimentar deve começar a partir dos seis meses de idade. (1) É importante destacar que, também de acordo com a OMS, bebês devem ser alimentados exclusivamente com leite materno até os 6 meses de idade. O aleitamento é essencial para que a criança desenvolva corretamente a maturação e o crescimento das estruturas do sistema estomatognático (como língua, lábios, bochechas etc) e estimular o desenvolvimento de funções fisiológicas, como a mastigação e a deglutição, além de ser um superalimento cheio de nutrientes essenciais para o bebê. (2) Quando o bebê completa seis meses, o recomendado é começar a inserir outros alimentos na dieta e, se possível, continuar com o aleitamento materno até os dois anos. (1) Caso a mãe não consiga amamentar por algum motivo, ela pode optar por fórmulas infantis – sempre lembrando que isso deve ser recomendado por um pediatra.(1) O processo da introdução alimentar precisa ser lento e gradual porque algumas crianças podem estranhar certos alimentos e acabar recusando – e isso é normal, pois é algo novo

LER MAIS
Alimentação saudável

Alimentação saudável e a relação com a saúde

Provavelmente, você já ouviu inúmeras vezes que a alimentação influencia diretamente na qualidade de vida, tanto física quanto mentalmente. Se ainda tem dúvidas sobre esse assunto, podemos adiantar que é pura verdade e é sobre isso que falaremos hoje. O que é ser mais saudável? Para ter um estilo saudável, é preciso alinhar diversos pilares na maneira como levamos a vida, buscando, sempre, o equilíbrio entre eles. Ter uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos são alguns desses principais pilares que comentamos. Um não substitui o outro e é essencial ter isso em mente. Tudo vai se completando para nos proporcionar mais saúde e bem-estar. Ainda falando sobre a alimentação, grande parte de nós sabe que um dos “segredos” para que ela seja de qualidade está nas boas escolhas e na variedade dos alimentos. Mas, por quê? Provavelmente, não responderemos todos os porquês envolvendo isso, porém, selecionamos algumas informações que temos certeza que irá contribuir muito na hora de você escolher como, por que e com o que vai se alimentar. (1) Princípios básicos da alimentação saudável Como falamos acima, a variedade é, de fato, essencial na vida de quem deseja se alimentar bem e com qualidade. Por isso, esteja sempre atento(a) se o seu “prato” possui diversas fontes de nutrientes que farão o organismo funcionar de maneira saudável. Ou seja: (1) – frutas; – verduras; – legumes; – cereais; – fontes de proteínas, ferro e cálcio; – carboidratos do bem; – água, muita água e muito mais. Pronto, fácil!  Já sabemos o que precisa

LER MAIS
Consumo Consciente

8 dicas para adotar um consumo mais consciente e sustentável

Será que é possível viver e ser mais feliz com menos e ser mais desapegado dos bens materiais? Não só acreditamos que sim, como também incentivamos uma reflexão sobre a maneira que nos relacionamos com as coisas e como escolhemos o que ter e consumir nessa vida. Ser mais consciente sobre o que realmente importa é necessário, pode resultar em mais qualidade de vida e, ainda, contribuir para um mundo mais saudável e sustentável para todos! É preciso buscar a harmonia entre a satisfação, preservação do meio ambiente e o bem-estar social! (1) Ações individuais refletem na coletividade e, por isso, fazer boas escolhas é olhar para si e para o outro. Se não mudarmos nossos comportamentos em relação ao consumo, futuras gerações sofrerão com a escassez. (1) Consumir de maneira consciente coloca em cima da mesa fatores além do preço e da marca. É preciso levar em consideração o meio ambiente, a saúde humana e animal e as relações justas de trabalho. (2) Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e do portal de Educação Financeira “Meu Bolso Feliz” apontou que 17% das pessoas não sabem “muito bem o que fazer” para praticar o consumo consciente. (2) Levando em conta esse dado e a necessidade quase que urgente de uma mudança significativa da nossa relação com o consumo, separamos algumas dicas que podem nos tornar mais conscientes na hora de consumir! Veja: 01: Pensar antes de comprar e escolher bem a empresa de onde vai comprar. Realmente é preciso adquirir

LER MAIS
Oleaginosas: quais escolher para mais qualidade de vida e longevidade?

Oleaginosas: qual sua escolha para mais qualidade de vida?

É incontestável que, com o passar dos anos, muita gente começou a aderir a hábitos de vida saudáveis, como exercícios físicos e uma boa alimentação. E por falar em alimentação, estudos comprovaram que consumir oleaginosas melhora a qualidade de vida e a longevidade, e é sobre isso que falaremos nesse texto. Oleaginosas: um bem necessário Uma busca incansável por estratégias que visam o tratamento e a prevenção de doenças crônicas não transmissíveis – até mesmo a síndrome metabólica e a obesidade – tem feito com que pesquisadores avaliem o efeito da ingestão de alimentos específicos no controle metabólico e no peso corporal. (1) Os estudos levam a crer que, quando as oleaginosas são incluídas na dieta, elas conseguem contribuir para uma melhora no perfil lipídico e de antioxidantes, como resultado, melhora também o perfil lipídico sanguíneo e os marcadores de estresse oxidativo e de inflamação. (1) Ainda segundo estudos, se uma pessoa comer cerca de 30 gramas por dia de oleaginosas, as chances de uma mortalidade precoce são reduzidas em até 22%. Esse efeito positivo foi demonstrado em diversas doenças, de câncer a problemas cardíacos.(2) Quais oleaginosas consumir? Listamos aqui alguns exemplos: (2) – Pistache; – Avelã; – Castanha de caju; – Castanha-do-pará; – Noz; – Amendoim; – Amêndoa; – Macadâmia. A mortalidade em decorrência por diversos problemas, como derrame, diabetes, Alzheimer, doenças cardiovasculares e respiratórias, infecções, câncer e até problemas renais pode ser diminuída com a inclusão de algumas dessas oleaginosas na dieta.  .(2) E como as oleaginosas podem nos ajudar? Simples! As oleaginosas

LER MAIS

O poder transformador da colaboratividade para o planeta

“Se quer ir rápido, vá sozinho. Se quer ir longe, vá em grupo”. – Provérbio Africano.
É com essa frase que você, provavelmente, já ouviu em algum lugar, que iniciamos uma reflexão sobre o poder da colaboratividade em transformar o mundo em um lugar melhor tanto para os seres humanos em suas individualidades quanto para a vivência em sociedade como isso é essencial para o planeta que queremos deixar para as próximas gerações

LER MAIS

Magnésio: saiba como ele atua no Sistema Neuromuscular

Sistema Nervoso Central: Ele é constituído por redes neuronais que estão integradas e regulam uma grande parte das funções do nosso organismo. Um exemplo da sua ação é a coordenação de movimentos voluntários modulados por informações sensoriais. No Sistema Nervoso Central, temos o encéfalo, local em que ocorre um alto nível de integração sensorial e atividades conscientes

LER MAIS

Mudança climática, natureza e ser humano: como é essa relação?

Há muito tempo, o aquecimento global e as mudanças climáticas fazem parte da pauta sobre o meio ambiente com índices preocupantes. Mesmo ouvindo falar muito sobre esse assunto, parece que ainda não aprendemos o quanto estamos diretamente relacionados com números que assustam e alertam sobre os riscos que a vida na Terra está correndo

LER MAIS

Orégano: benefícios além da cozinha

Sabia que sua despensa também pode servir como farmácia? É que alguns produtos naturais são verdadeiros remédios que podem ajudar a combater vários tipos de doenças.

Quer um exemplo? O orégano! Ele é muito mais que um simples tempero! A partir dele é possível extrair seu óleo (prensado a frio) que pode tratar e prevenir várias doenças, desde infecções até problemas digestivos e do coração. Isso porque entre seus principais compostos estão o carvacrol e o timol.

LER MAIS