estresse

O poder do pensamento positivo!

Em meio às dificuldades do dia a dia, uma atitude otimista se torna cada vez mais rara. Um fato é que o pensamento positivo pode influenciar muito a resistência do organismo às doenças e nos levar em direção à novas oportunidades. (1,2) Pessoas que enxergam o lado bom da vida tendem a ser mais cuidadosas com a saúde, buscam praticar exercícios físicos e se alimentar melhor. Do contrário, a negatividade gera estresse e nos torna menos receptivos a tudo que nos rodeia. (1,2) O livro “O Segredo”, da autora Rhonda Byrne, traz a fórmula “Peça, Acredite e Receba”. É como se, ao realizar um pedido e acreditar que será possível, o universo se movesse para que ele realmente se realize. (1) No texto de hoje, vamos abordar o poder do pensamento positivo e como mantê-lo em nossa rotina para que cada vez mais possamos encarar a vida com mais leveza e felicidade. Mantendo pensamentos positivos As reações criadas pelo pensamento positivo geram determinadas construções químicas no cérebro, como liberação de hormônios e manipulação de neurotransmissores. Essas construções produzirão efeitos fisiológicos, ligados ao sistema endócrino, influenciando na qualidade de vida. É por isso que encaramos o pensamento positivo como algo poderoso. Quando usado corretamente, sem exageros, a dinâmica mental pode nos levar a um lugar de esperança e otimismo. (2) O escritor americano Norman Vincent Peale, autor do livro “O Poder do Pensamento Positivo”, define o conceito como a habilidade de enxergar além das dificuldades, é a capacidade de procurar soluções e absorver o aprendizado junto

LER MAIS

5 dicas para reduzir o estresse no dia a dia

Estudiosos afirmam que o estresse e a ansiedade são os males característicos do nosso século. Vários aspectos da vida moderna contribuem para essa declaração, como o excesso de informações que recebemos a todo momento, preocupação com trabalho, vida e família. Alguns sintomas típicos desses problemas incluem taquicardia, falta de ar, insônia, irritabilidade e cansaço frequente. (1) Eliminar o estresse da nossa vida é uma tarefa quase impossível. Apesar de um pouco de inquietação ser bom e essencial para a sobrevivência, as tensões prolongadas podem gerar sérias consequências. (2,3) Então, para amenizar períodos estressantes, a dica da OMS (Organização Mundial da Saúde) é que, primeiramente, paremos e prestemos atenção em nossas próprias necessidades e sentimentos. (4) Conheça, neste texto, algumas orientações que podem ajudar a driblar o estresse e melhorar a qualidade de vida. Consequências do estresse        Antes de tudo, vamos relembrar o que é o estresse, tipos e causas do problema. O estresse é uma reação natural do organismo que ocorre quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Para se adaptar ao cenário, o organismo libera reações que ativam a produção de hormônios, como a adrenalina. É como se o nosso corpo estivesse em estado de alerta ou alarme, que pode provocar mudanças físicas e emocionais. (5,6) Os tipos de estresse são: (5) agudo: é mais intenso e curto, comumente causado por situações traumáticas, mas passageiras; crônico: afeta a maioria das pessoas e tem como principal característica ser presente diariamente e constantemente, em pequenas porções e de modo mais suave. O estresse

LER MAIS
estresse

Estresse: quais os riscos para a nossa saúde?

No dia a dia, você já notou perdas rápidas de memória? À princípio, não achamos que seja algo incomum, mas, na maioria dos casos, ela está relacionada ao acúmulo de estresse. Além desse sintoma, outros, como queda de cabelo, gastrite, osclilação de pressão, também estão associados ao estresse. (1) Neste texto, vamos abordar sobre os riscos do estresse para a saúde e como reduzir essas ocorrências no dia a dia, influenciando diretamente na sua qualidade de vida. Você irá perceber o quanto fazer atividades que você gosta e que te façam relaxar é importante para levar uma vida mais leve e feliz. (2)  O que é o estresse e como ele age no nosso corpo? O estresse é uma reação natural do organismo que surge quando vivenciamos situações de perigo ou ameaça. Quando ocorre, nos coloca em estado de alerta, provocando diversas alterações físicas e emocionais. Trata-se de uma atitude biológica essencial para se adaptar às situações novas, que nem sempre são confortáveis. (3) Assim que surge a sensação de ameaça ou estresse, o corpo desencadeia uma reação química, muitos a chamam de “luta ou fuga”. O cérebro fica em alerta e produz os hormônios adrenalina e cortisol, provocando uma resposta que aumenta a frequência cardíaca, acelera a respiração, contrai os músculos e aumenta a pressão arterial. (4,5) Em relação ao segundo hormônio que citamos, o cortisol, todo esse estado de estresse e/ou alerta máximo fazem com que a produção dessa substância nas glândulas suprarrenais seja intensificada. Sendo assim, para agir corretamente, as glândulas precisam

LER MAIS
manjericão

Manjericão: conheça os benefícios para a saúde

O consumo de alimentos funcionais vem aumentando nas últimas décadas. A busca por um estilo de vida mais saudável, aliado à preocupação individual da saúde, faz com que plantas medicinais, como o manjericão, ocupem uma função especial nas receitas. Podendo ser considerado um condimento ou especiaria, o manjericão é frequentemente utilizado para tratamento, prevenção e controle de doenças crônicas, além de ser um excelente tempero e aromatizador para as refeições, tornando os alimentos mais atraentes ao paladar. (1) Neste texto, você vai descobrir quais os benefícios do manjericão e como utilizá-lo no seu dia a dia. Um dos 100 alimentos mais nutritivos do mundo Estudos apontam que o manjericão (Ocimum basilicum L.) origina-se do continente asiático, proveniente da índia, mas se tornou um ícone da culinária mediterrânea, chegando ao Brasil com a imigração italiana. (2,3) Ao proporcionar um sabor levemente picante e doce, ele é comumente utilizado em massas e pizzas, além de outras combinações que você descobrirá nos próximos tópicos. (3) Quando falamos de sua composição, estamos incluindo uma série de benefícios nutricionais que concebe ao manjericão o título de alimento funcional, considerado uma planta medicinal desde as antigas civilizações. (1) Constituído por óleos essenciais (eugenol, estragol, linalol, lineol, alcanfor, cineol, pineno e timol), taninos, saponinas, flavonóides, ácido cafeíco e esculosídeo, o manjericão também conta com vitaminas A, C, B1, B2, B3, K, (3) (4) e minerais como o cálcio, fósforo e ferro. (2,3) Achou que acabou por aí? Não, ainda tem mais: quanto mais se estuda, mais se descobre novos aspectos da planta,

LER MAIS

Luteína e Zeaxantina: antioxidantes poderosos para seus olhos!

A alimentação, sem dúvidas, está diretamente ligada à nossa saúde. O que nos alimenta pode tanto trazer benefícios quanto malefícios em diversos aspectos da vida. Provavelmente, você já ouviu (muitas vezes) durante a sua vida que algum tipo de alimento faz bem “pras vistas”. Consegue lembrar de algum? Será que os olhos podem se beneficiar daquilo que comemos? Podem sim! E iremos abordar quais são os alimentos que contribuem para a nossa saúde ocular ao longo desse texto. Mas, antes disso, é importante destacarmos quais são os principais fatores que podem afetar a nossa visão e onde a alimentação entra nessa relação. Vamos lá?! Degeneração Macular: a principal causa de cegueira na terceira idade! Abreviada em DMRI, é uma doença degenerativa e progressiva que atinge, principalmente, a área central da retina, a mácula, que desempenha função essencial na nossa visão: a de possibilitar foco e nitidez das imagens. A degeneração macular relacionada à idade é a principal causa de cegueira no mundo em pessoas acima de 55 anos, em maior parte dos casos. (1,2) Fatores de risco dessa patologia: (1,2) – idade (após 55 anos); – estresse oxidativo; – alterações cardiovasculares; – condições ambientais, genéticas, étnicas e raciais; – tabagismo; – exposição aos raios solares; – alimentação; – obesidade visceral; – portadores de catarata. O que é estresse oxidativo? A produção de radicais livres representa um processo fisiológico que produz energia e sua função principal é eliminar invasores bacterianos e células malformadas. Algumas condições ambientais ou patológicas, como exposição à irradiação, idade, fumaça de cigarro,

LER MAIS

Magnésio no combate à depressão e ansiedade

Há pouco tempo, abordamos como o ômega 3 pode auxiliar no tratamento da depressão e ansiedade e, hoje, viemos relacionar outro elemento essencial para o corpo humano no que diz respeito ao tratamento desses transtornos mentais que são considerados um grande problema de saúde pública no mundo inteiro! Neste texto, ficará ainda mais evidente a relação entre a nossa saúde mental com a alimentação e o estilo de vida. Continue acompanhando. A importância do magnésio para o corpo humano Este mineral essencial oferece diversos benefícios em várias funcionalidades do nosso organismo, como na melhora na saúde dos ossos e músculos, prevenção do diabetes, melhora do desempenho físico, energia para o corpo e outras, além de desempenhar função anti-inflamatória. Sua deficiência está associada a diversos problemas de saúde, como acidentes coronarianos, aumento de pressão arterial, arritmias cardíacas, infarto agudo no miocárdio, osteoporose e depressão. Falaremos mais sobre esse último item! (1, 2) Por que ficamos deficientes de magnésio? A principal causa da deficiência deste mineral no nosso organismo é uma dieta rica em alimentos industrializados e pobre em alimentos naturais, como vegetais escuros (couve, espinafre e salsinha, por exemplo), oleaginosas (castanhas e nozes), cacau, leguminosas, grãos e outros. Além disso, estamos sendo envenenados pelos nossos alimentos! Pois a qualidade dos solos e o uso de pesticidas estão diretamente ligados à deficiência do magnésio. (2, 3) Sabe o que mais pode causar deficiência de magnésio? O estresse! Passar por situações estressantes pode contribuir para a redução dos níveis de magnésio no corpo. (2, 3) O magnésio e

LER MAIS