Doença autoimune: o que é, tipos, causas e prevenção

Doenças autoimunes representam um desequilíbrio no sistema de defesa do corpo e pode afetar diversos órgãos e sistemas.
Share on facebook
Share on twitter
doença autoimune

Pense em um sistema de defesa que, ao invés de proteger, começa a atacar o próprio corpo. Isso é o que acontece nas doenças autoimunes.

Essas condições, que somam mais de 100 doenças, estão interligadas e podem afetar qualquer órgão ou sistema do nosso organismo. (1)

Estudos indicam que as doenças autoimunes afetam aproximadamente 3% da população global, sendo mais comuns em países desenvolvidos, e com uma incidência maior entre mulheres. (2)

O que são doenças autoimunes?

Doenças autoimunes são condições em que o sistema imunológico, que normalmente protege o corpo contra invasores como vírus e bactérias, começa a atacar erroneamente as próprias células, tecidos ou órgãos do organismo. (3)

As doenças autoimunes podem passar despercebidas por longos períodos até que os sintomas se tornem evidentes, causando danos progressivos nos tecidos afetados e levando à sua destruição total. (2)

Como surgem as doenças autoimunes?

Quando nosso corpo entra em contato com uma substância nova, geralmente ele se acostuma com ela, o que significa que não reage de forma intensa. Esse processo é chamado de autotolerância e é importante para evitar que nosso sistema de defesa ataque nossos próprios tecidos. (3)

No entanto, em certas situações, o sistema imunológico perde essa habilidade de reconhecer o que é do nosso próprio corpo. Ele começa a atacar partes dele como se fossem invasores, o que leva ao surgimento das doenças autoimunes. (3) 

doença autoimune

O que pode causar uma doença autoimune?

As doenças autoimunes têm uma origem multifacetada, resultante de uma interação entre diversos fatores ambientais, genéticos e relacionados ao sistema imunológico. (4)

Por exemplo, infecções virais, tabagismo e até mesmo a falta de exposição à luz solar podem desencadear respostas do sistema imunológico que causam inflamação crônica e confundem o sistema de defesa, levando-o a atacar partes do corpo. (1)

Além disso, fatores como influência hormonal, estresse, processo natural de envelhecimento e predisposição genética também podem contribuir para o surgimento das doenças autoimunes. (2)

Tipos de doenças autoimunes

As doenças autoimunes são categorizadas em dois tipos: sistêmicas e órgão específicas.

1- Doenças sistêmicas: as respostas imunes atacam antígenos (substâncias estranhas que ativam o sistema imunológico) ou células de vários tecidos, afetando o corpo como um todo. (1)

2- Doenças órgão-específicas: a resposta autoimune é direcionada a antígenos presentes em tecidos ou grupos celulares específicos, afetando apenas determinados órgãos ou sistemas do corpo. (1)

Além disso, as doenças autoimunes podem ser classificadas com base no tipo de resposta imune que desencadeia a doença. Isso pode ser humoral, envolvendo a produção de autoanticorpos, ou celular, envolvendo a atividade excessiva de linfócitos T auto reativos. (4) 

Exemplos de doenças autoimunes:

Na classificação das doenças autoimunes órgãos específicas, incluem-se condições como miastenia gravis, pênfigo, doença de Graves, esclerose múltipla, tireoidite de Hashimoto, anemia hemolítica autoimune e psoríase. (3, 4)

Agora, entre as principais doenças autoimunes sistêmicas, podemos citar:

  • Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES); (4)
  • Artrite Reumatoide (AR); (4)
  • Síndrome de Sjögren; (4)
  • Esclerose Sistêmica; (4)
  • Dermatopolimiosite; (4)
  • Diabetes Mellitus tipo I; (3)
  • Doença de Crohn; (5)
  • Granulomatose de Wegener. (2) 

doença autoimune

Vitamina D na prevenção de doenças autoimunes 

A vitamina D desempenha um papel crucial no sistema imunológico, aumentando nossa capacidade de defesa e regulando diferentes aspectos da resposta imunológica. (6)

Estudos têm mostrado uma ligação entre a falta de vitamina D e a ocorrência de várias doenças autoimunes. Além de prevenir o desenvolvimento dessas doenças, a vitamina D pode ser utilizada no tratamento. (6)

A suplementação de vitamina D mostrou-se eficaz em experimentos com animais em diversas condições autoimunes, como encefalomielite alérgica, artrite e diabetes tipo 1.(6)

Níveis baixos de vitamina D no sangue podem estar associados a diversos fatores, como redução da atividade física, menor exposição ao sol, predisposição genética e efeitos colaterais de certos medicamentos, além de questões relacionadas à alimentação. (6)

Por isso, garantir níveis adequados de vitamina D é importante não apenas para a saúde dos ossos, mas também para a prevenção e tratamento de doenças autoimunes. 

Como identificar uma doença autoimune?

Diagnosticar doenças autoimunes é um desafio para os médicos e os exames de rotina, pois essas condições podem apresentar sintomas variados e não são facilmente identificadas por testes laboratoriais comuns. (2)

Os sintomas podem variar de acordo com a doença autoimune específica e são geralmente avaliados por médicos especializados por meio de uma combinação de histórico médico, exames clínicos e testes laboratoriais especializados. (2)

Tratamento para doenças autoimunes

As doenças autoimunes não possuem cura, porém, há tratamentos que são capazes de ajudar no controle e melhora dos sintomas. (3)

Alguns dos tratamentos mais comuns para pessoas que realmente sofrem de doenças autoimunes são os imunossupressores, medicamentos que reduzem a atividade do sistema imunológico. (5)

Embora esses medicamentos ajudem o paciente a se sentir melhor, diminuindo os sintomas da doença, também aumentam o risco de contrair outras infecções, pois o sistema imunológico fica enfraquecido. (5)

Além dessa abordagem, o uso de probióticos e prebióticos têm surgido como uma alternativa terapêutica para tratar doenças autoimunes, pois pesquisas recentes enfatizaram o papel crucial da microbiota intestinal na regulação das respostas do sistema imunológico, o que pode contribuir para a redução da inflamação crônica. (1)

Concluindo

Neste texto, falamos sobre a complexidade das doenças autoimunes, nas quais o sistema imunológico ataca os próprios tecidos do organismo.

Exploramos suas múltiplas origens, envolvendo fatores genéticos, ambientais e imunológicos, assim como a variedade de manifestações que podem afetar diferentes órgãos e sistemas do corpo.

Destacamos a importância da vitamina D na prevenção e tratamento dessas condições, ressaltando seu impacto positivo no sistema imunológico, com base em estudos experimentais.

Além disso, discutimos os desafios no diagnóstico das doenças autoimunes e as opções de tratamento disponíveis, incluindo o uso de imunossupressores e a abordagem emergente com probióticos e prebióticos para modular a resposta imunológica.

Para garantir um tratamento seguro e eficaz, não se esqueça de que é fundamental buscar orientação médica e nutricional adequada, adaptada às necessidades individuais de cada paciente.

FONTES:
  1. FARIAS, Alliandra de Oliveira; MELO, Antônia Carlos de; FERREIRA, José Carlos de Sales. A importância da alimentação saudável para os portadores de doença autoimune. Research, Society and Development, v. 10, n. 12, 2021. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20452/18164. Acesso em 25 abr. 2024.
  2. COSTA, Anderson Luiz Pena da; SILVA-JÚNIOR, Antonio Carlos Souza; PINHEIRO, Adenilson Lobato. Fatores associados à etiologia e patogenese das doenças autoimunes. Arq. Catarin. Med., v. 48, n. 2, p. 92-106, 2019. Disponível em: https://revista.acm.org.br/arquivos/article/view/347/354. Acesso em 25 abr. 2024.
  3. FERREIRA, Janaína dos Santos; MESQUITA, Harleson Lopes de; ARAGÃO, Danielle Maria de Oliveira; BASTOS, Carina de Almeida. O sistema imunológico e a autoimunidade. R. Científica UBM, v. 20, n. 39, a. XXIII, 2. sem., p. 41-59, Barra Mansa, 2018. Disponível em: https://revista.ubm.br/index.php/revistacientifica/article/view/950/198. Acesso em 25 abr. 2024.
  4. WASTOWSKI, Isabela J.; CARVALHO, Ivan F. de; DONADI, Eduardo A. Patogenia das Doenças Auto-Imunes. In: _____ Imunologia Clínica na Prática Médica. Atheneu, 2009, cap. 3, p. 45-58. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Isabela-Wastowski/publication/236221011_Patogenia_das_Doencas_Auto-Imunes/links/02e7e517186ca80139000000/Patogenia-das-Doencas-Auto-Imunes.pdf. Acesso em 25 abr. 2024.
  5. DAVIS, Ryan R.; HOLLIS, Thomas. Autoimunidade: por que o corpo age contra si mesmo? UNESP Para Jovens, 2022. Disponível em:https://parajovens.unesp.br/autoimunidade-por-que-o-corpo-age-contra-si-mesmo/. Acesso em 25 abr. 2024.
  6. MARQUES, Cláudia Diniz Lopes; DANTAS, Andréa Tavares; FRAGOSOS, Thiago Sotero; DUARTE, Ângela Luzia B. Pinto. A importância dos níveis de vitamina D nas doenças autoimunes. Rev. Bras. Reumatol., v. 50, n. 1, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbr/a/5BcvSsQGhJPXXD8Q9Pzff8H/?lang=pt. Acesso em 25 abr. 2024.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Por que o cérebro precisa de ômega 3?

Vamos fazer um teste? Complete a frase: “O cérebro humano é composto por quase 60% de ____________”. Se você não respondeu gordura, não se preocupe. Pouca gente sabe disso. Mas agora que você sabe, temos uma ótima notícia! É possível “turbinar” seu cérebro com a ingestão de ômega 3.