Nutricosméticos: o que são e o que fazem pela nossa beleza?

Share on facebook
Share on twitter
Nutricosméticos

Nutrição e beleza têm tudo a ver e vamos te provar!

Os nutricosméticos surgiram da enorme demanda do mercado pela busca em desacelerar o processo de envelhecimento e diminuir todos os impactos disso na nossa aparência e saúde. Os nutricosméticos também são conhecidos como pílulas da beleza.

Como podem os suplementos orais tratarem a nossa pele de dentro pra fora? É isso que vamos discutir nesse texto!

O que é o envelhecimento?

Envelhecer é normal, todos nós vamos passar por isso. Mas acontece que, hoje em dia, com tanta tecnologias e estudos, descobriu-se que há formas de retardar os impactos causados pelo envelhecimento de maneira saudável e, uma delas, é utilizando os nutricosméticos. Antes de falarmos sobre eles, vamos entender o que causa o envelhecimento do nosso organismo.

Para entender melhor, é preciso explicar o que é o envelhecimento cutâneo. Ele pode ser separado em dois grupos, intrínseco – conhecido também como cronológico – e extrínseco. Juntando os dois fatores, acabamos promovendo a alteração a nível dérmico, onde acontece a perda de substâncias importantes, como fibras reticulares, colágeno e a elástica, que são responsáveis pela firmeza, sustentação e elasticidade da nossa pele. (1)

O envelhecimento extrínseco acontece por conta de fatores externos, como consumo de álcool em excesso, fumaça, poluição, exposição solar crônica e até mesmo por conta de alimentação carente de nutrientes. Entre todos esses fatores, a exposição solar sem proteção é o que mais causa envelhecimento da pele, em especial em pessoas que têm a pele clara. (2)

Já no envelhecimento intrínseco tem como uma das principais causas o estresse oxidativo, causado pelos radicais livres. O que consegue diminuir os efeitos do estresse oxidativo nas células são os antioxidantes, que estão sendo amplamente utilizados não só na dieta, mas também na indústria farmacêutica, em forma de fármacos e cosméticos. (2)

O envelhecimento cutâneo extrínseco pode ser evitado se usarmos a foto proteção, enquanto o envelhecimento intrínseco pode ser amenizado por substâncias de uso oral e tópico. (1)

Imagem Ilustrativa

O que são os nutricosméticos?

Sabe aquela frase “a beleza vem de dentro para fora”? Essa é a ideia dos nutricosméticos. Eles são nada mais, nada menos do que antioxidantes e vitaminas que visam deixar quem os utiliza com uma aparência mais saudável e bonita. Além da pele, os nutricosméticos conseguem melhorar a beleza das unhas e dos cabelos e promover o bem-estar e a saúde do corpo. (3)

Eles atuam em problemas como celulite, rugas e acne, por exemplo, e podem ser encontrados em forma de alimentos, cápsulas, sachês ou líquidos. (3,4)

E engana-se quem acha que os nutricosméticos são algo novo. Os primeiros foram lançados em 1985 pela marca francesa Oenobiol e, desde então, esse mercado só cresceu. (4)

Os principais ativos dos nutricosméticos

Como falamos acima, os nutricosméticos são compostos por antioxidantes e vitaminas como:(4)

– Vitaminas A, C e E;

– Aminoácidos;

– Óleos essenciais;

– Flavonóides;

– Minerais;

– Proteínas e outros antioxidantes.

Vale a pena destacar alguns e entender para que eles servem:

Vitaminas C e E: têm grande poder antioxidante, conseguindo auxiliar no combate ao estresse oxidativo, principalmente o causado pela radiação ultravioleta. (4)

B-caroteno e licopeno: São carotenoides e, quando ingeridos por uma grande quantidade de tempo, podem melhorar rapidamente a dose de eritema – que é o tempo mínimo de exposição solar capaz de gerar vermelhidão na pele –  e também conseguem melhorar a foto proteção. (4)

Ácido hialurônico: além de ter ação hidratante, também cumpre a função de ser antirrugas e revitalizante. (4)

Selênio: Assim como a vitamina C e E, tem ação antioxidante capaz de combater os radicais livres. (4)

Colágeno: Por ser uma proteína natural, ela já está presente em nossa pele. Junto com a elastina e a queratina, dão à pele elasticidade, resistência e estrutura. O nosso organismo produz colágeno natural, mas, por conta do envelhecimento, essa produção acaba ficando comprometida. Com o uso da suplementação, a aparência da pele pode ter uma melhora no aspecto geral, inclusive na suavização de rugas e linhas de expressão, além de auxiliar na remoção de manchas e no aumento da elasticidade da pele. (4) 

Imagem Ilustrativa

A busca pela beleza não pode custar a sua saúde!

Engana-se quem acha que apenas os nutricosméticos são a salvação para a beleza e para a saúde. Não adianta nada a pessoa consumi-los enquanto leva uma vida sedentária, regrada por uma alimentação pobre em vitaminas e minerais, por exemplo.

O mundo ainda dita o que é bonito ou não, o que é ou não aceitável. Cabe a nós separarmos o que serve para nós e entendermos que cada um tem o seu padrão de beleza, que somos únicos. Buscar a beleza a todo custo pode ser perigoso e causar danos irreparáveis, então sempre priorize a sua saúde – seja física ou mental. Ela é uma das coisas mais importantes.

Antes de iniciar o uso de um nutricosmético ou qualquer outro tipo de suplementação, consulte um profissional para tirar as suas dúvidas e orientá-lo diante das suas necessidades e queixas.

Fontes:
  1. SALVADOR, Maitê M. Giotti; CECHINEL-ZANCHETT, CamillCecconi. Nutricosméticos em desordens estéticas: foco na acne e envelhecimento cutâneo. Arch Health Invest, v. 8, n. 12, p. 853-860, 2019. Disponível em <https://archhealthinvestigation.emnuvens.com.br/ArcHI/article/view/4662/pdf>. Acesso em 01 mar. 2021.
  2. BATTISTI, Betina Zimmermann. Nutricosméticos no processo de envelhecimento de mulheres. 2013. 112 f. Dissertação (Pós Graduação em Envelhecimento Humano) – Faculdade de Educação Física e Fisioterapiam Universidade de Passo Fundo, Paso Fundo, 2013. Disponível em <http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/1169/1/2013BetinaZimmermannBattisti.pdf
  3. MASHORCA, Kelly Soffner et al. A belezae a vaidade em relação a novos tipos de alimentos: um estudo sobre o mercado de nutricosméticos. Revista Brasileira de Marketing, v. 15, n. 3, p. 401-417, São Paulo, 2016. Disponível em <https://www.redalyc.org/pdf/4717/471755313003.pdf
  4. ZANETI, Larissa Aparecida; SPECK, Milena Moreira; MEDEIROS, Fabiana Duarte. Revisão sistemática: nutricosméticos utilizados nos tratamentos das disfunções estéticas. Artigo (Graduação em Tecnologia em Cosmetologia e Estética) – Universidade do Sul de Santa Catarina, 2019. Disponível em <https://riuni.unisul.br/bitstream/handle/12345/7641/tcc%20rev%20sistematica.pdf?sequence=2&isAllowed=y

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

CATEGORIAS
Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Ômega 3: saiba porque ele é bom para o cérebro!

As estatísticas mostram que a longevidade está aumentando em todos os países do mundo. Esta é uma boa notícia, mas que traz uma preocupação: não adianta viver mais, é preciso também viver melhor.

Isso já é possível graças aos avanços da medicina e da mudança do estilo de vida dos idosos que estão mais conscientes da prática de exercícios físicos e de uma boa alimentação.

E com a idade, um dos principais cuidados deve ser com o cérebro, uma vez que existem várias doenças ligadas a idade, principalmente o Mal de Parkinson e o Alzheimer.

Conheça sete principais benefícios da vitamina D para a saúde

Cada vez mais passamos longas horas em locais fechados como shoppings, escritórios e, quando estamos ao ar livre, sempre damos um jeito de nos proteger do sol. Isso faz com que os níveis de vitamina D em nosso corpo fiquem bem abaixo do recomendável.

Isso porque o sol converte essa vitamina (já reconhecida como hormônio) através dos raios solares, mas você também pode obtê-la através de bons suplementos, que é uma forma prática e segura de garantir a quantidade necessária de vitamina D que o organismo precisa.