Respeitar o próximo é respeitar a si mesmo: reflita sua relações

Share on facebook
Share on twitter

Soa quase um absurdo ainda ser tão preciso falar sobre a importância do respeito mútuo entre os seres humanos para se viver em sociedade, não é mesmo? Parece estar tudo tão claro, mas, a cada dia que passa, percebemos uma grande necessidade de escancarar as feridas ainda tão abertas e dolorosas que a indiferença, o preconceito, a falta de inclusão, o bullying, a violência física e psicológica e outros diversos dilemas tão presentes na sociedade em que vivemos causam.

Como refletir sobre a maneira que trato as pessoas? Como ter a certeza de que estamos educando as crianças para que se tornem adultos empáticos e pautados no respeito das diferenças? Como mudar quando percebemos que ainda precisamos aparar algumas arestas tão sutilmente impregnadas nos nossos comportamentos? Como olhar o planeta com mais respeito?

É essa a reflexão que vamos propor nesta publicação. Vem com a gente!

Respeitar as diferenças não é ter que concordar ou mudar a sua opinião ou comportamento.

É entender que todos nós nascemos livres e iguais em dignidade e direitos. É promover o diálogo para possibilitar uma coexistência pacífica.Promover o bem-estar de todos, sem preconceito de raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, está estabelecido no art. 3º da nossa atual Carta Constitucional. (1)

Para pensar: estou agindo de acordo com o que prega a constituição?

O Brasil tem a diversidade como parte do seu DNA. Somos fruto da miscigenação de muitos povos e culturas. Isso deveria ser encarado com uma grande oportunidade de aprendizado e deveríamos nos alegrar por poder aprender tanto com as nossas diferenças.

A sociedade é plural e constituída por diferentes características físicas e psicológicas, além de diferentes valores e histórias de vida, mas, infelizmente, o que vemos é uma enorme dificuldade de relacionamento baseados na escassez de ética, tolerância e respeito, colocando em conflito amigos, famílias, povos e nações.

respeitar-o-proximo-e-respeitar-a-si-mesmo-reflita-sua-relacoes

O papel da educação na inclusão e no respeito entre as pessoas

A inclusão é um direito garantido por lei, já que a Constituição Brasileira de 1988 garante o acesso ao Ensino Fundamental Regular a todas as crianças e adolescentes, sem exceção. (2)

A escola deve ser um lugar de encontro para compartilhar o conhecimento e oferecer trocas de experiências com o diferente e a inclusão contribui para a melhoria do ensino, pois incentiva que a educação seja vista com outros olhos. Inclusão não diz respeito somente a pessoas deficientes, mas sim a todos aqueles que são excluídos ou discriminados de alguma forma. (2)

Werneck (1993, p.56 apud FERREIRA, 2009, p.4) diz que “evoluir é perceber que incluir não é tratar igual,pois as pessoas são diferentes! Alunos diferentes terão oportunidades diferentes,para que o ensino alcance os mesmos objetivos. Incluir é abandonar estereótipos”. (2)

TODOS ganham com os benefícios que a inclusão gera, pois somos levados a praticar a empatia, a exercitar a tolerância e a respeitar o próximo seja ele quem for.

Precisamos acreditar que a educação é o motor da mudança em direção ao mundo que queremos viver e deixar para os nossos. Mas é importante saber que a inclusão e o respeito às diferenças não se aprendem somente na escola. É preciso ter consciência que todos nós somos agentes de mudança e ferramentas da educação.

respeitar-o-proximo-e-respeitar-a-si-mesmo-reflita-sua-relacoes

“Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro.” – Carl Jung

Como praticar o respeito diariamente?

– Se conheça e respeite a sua história e o seu contexto;

– Coloque-se no lugar do outro praticando a empatia e a compaixão;

– Entenda que nem todos pensam igual a você e é preciso aceitar isso;

– Seja gentil com você e com os outros;

– Agradeça;

– Ofereça e aceite ajuda;

– Saia da bolha para conseguir compreender porque as pessoas são diferentes;

– Ao assumir um compromisso, cumpra-os;

– Saiba quando o silêncio é a melhor escolha;

– Não julgue as escolhas e o jeito do outro;

– Conscientize mais pessoas sobre a importância do respeito;

– Inclua.

Poderíamos listar mais inúmeras boas práticas que fomentam o respeito e a tolerância consigo mesmo e com os outros, mas finalizaremos este texto com uma citação da professora e escritora Brené Brown:

“Em vez de vivermos de julgamentos e críticas, devemos ousar, aparecer e deixar que nos vejam. Isso é a coragem de ser imperfeito! Isso é viver com ousadia!

Estamos aqui para criar vínculos com as pessoas! Amor e aceitação são necessidades irredutíveis de todas as pessoas.”

Abrace as diferenças!

 

FONTES: 
  1. PESSANHA, Jackelline Fraga; GOMES, Marcelo S. Vieira. O respeito à diversidade e a formação social do indivíduo: uma análise do bullying sofrido por crianças advindas de famílias homoafetivas.Opin. jurid., Medellín, v. 13, n. 25, p. 51-67, 2014.   Disponível em <http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1692-25302014000100004&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 09 out. 2020.
  1. FERREIRA, Michele Marcelina. BOZZO, Fátima E. Frigato. Educação inclusiva – Inclusão de crianças com Síndrome de Down no ciclo I do ensino fundamental. Disponível em <http://www.unisalesiano.edu.br/encontro2009/trabalho/aceitos/CC31441044850.pdf>. Acesso em 09 out. 2020.

Deixe um comentário

Deixe aqui seu e-mail pra receber conteúdos incríveis sobre qualidade de vida.

Share on facebook
Share on twitter

VEJA TAMBÉM

Conheça substâncias naturais que combatem as inflamações!

Você sabia que muitas doenças que existem hoje em dia são provocadas por inflamações? Este é um processo que acontece no organismo que vai muito além dos sintomas mais conhecidos como vermelhidão, dor, edema e sensação de calor.

Só para você ter uma ideia, até mesmo a gordura, causada pelo excesso de peso, pode passar por um processo de inflamação e causar vários prejuízos ao corpo.

Por isso nesse blog post vamos explicar como funciona o processo de inflamação e mais: como substâncias naturais podem ajudar a combater esse problema. Veja!

Você é feliz?

Estamos fazendo essa pergunta pois no dia 20 de março comemoramos o Dia Mundial da Felicidade, e esta é uma boa oportunidade para pensarmos sobre o assunto.

Mas o que é felicidade para você? Se fizermos essa pergunta para cem pessoas, provavelmente elas responderão coisas comuns como: ter saúde, sucesso profissional, um bom casamento, uma bela casa, filhos e estabilidade financeira.